Últimos itens adicionados do Acervo: Universidade Federal de Ouro Preto

A Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) é uma universidade pública brasileira mantida pelo governo federal do Brasil. Foi criada em 21 de agosto de 1969 a partir da incorporação de duas centenárias instituições de ensino superior: a Escola de Farmácia fundada em 1839 e a Escola de Minas fundada em 1876, ambas localizadas em Ouro Preto, Minas Gerais.

Página 12 dos resultados de 429 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Aplicativo para a avalia??o econ?mica de jazidas minerais

Baudson, Adolfo Jos? Gon?alves Stavaux
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A avalia??o econ?mica de projetos de minera??o, em especial, de jazidas minerais, tem por finalidade prover crit?rios econ?micos para a tomada de decis?es, baseados na an?lise ampla dos seguintes aspectos: t?cnico, econ?mico, financeiro, de risco e intang?veis (fatores pol?ticos, meio ambiente, etc.). O processo de avalia??o consiste em comparar as alternativas econ?micas, para selecionar aquela mais rent?vel entre as apresentadas. Neste trabalho, buscou-se o desenvolvimento de um aplicativo, em ambiente de programa??o DELPHI, para a realiza??o da avalia??o econ?micofinanceira de jazidas minerais. Atrav?s da elabora??o do fluxo de caixa do projeto mineral, s?o aplicados os principais m?todos de avalia??o econ?mica, al?m de se realizar uma An?lise de Sensibilidade para esta avalia??o. Com este aplicativo, ser? poss?vel realizar estudos de avalia??o econ?mica n?o s? pelas empresas de minera??o, mas tamb?m pelas institui??es que os desenvolvem de forma acad?mica. ____________________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: The valuation of mining projects, especially of mineral deposits, aims at providing economical criteria for decision making, based on a deep analysis of the following aspects: technical...

An?lise da aplicabilidade do plano de fechamento de mina no plano de aproveiramento econ?mico.

Resende, Alessandro Gomes
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O presente trabalho baseia-se numa proposta de analisar o grau de atendimento por parte das empresas de minera??o com opera??es no Estado de Minas Gerais, no que diz respeito ?s exig?ncias previstas no C?digo de Minera??o e na legisla??o em vigor, notadamente a apresenta??o do plano de fechamento de mina, conforme a NRM-20, quando da elabora??o do plano de aproveitamento econ?mico - PAE. Para a execu??o deste trabalho foi realizado um estudo de todas as concess?es de lavra do Estado de Minas Gerais, de forma a propiciar uma vis?o geral sobre a situa??o das minas, al?m de demonstrar a aus?ncia da estrutura??o de uma pol?tica de fechamento de minas e controle r?gido das minas com suspens?o tempor?ria de lavra ou abandonadas. A partir do mapeamento das concess?es de lavra foram estudados e analisados 30 planos de aproveitamento econ?mico com foco principal na abordagem dada ao plano de fechamento de mina. O resultado mostrou que nenhuma empresa contemplou o plano de fechamento de mina, quando da elabora??o do PAE para requerer a concess?o de lavra ou mesmo no momento em que foi feita alguma atualiza??o desse estudo t?cnico-econ?mico ao longo dos anos de opera??o. Verificou-se tamb?m que dos 30 PAE?s estudados, 13 minas contemplaram na an?lise econ?mica da jazida algum custo com fechamento de mina...

A expans?o da minera??o no munic?pio de Congonhas (MG) e implica??es s?cioambientais

Ferreira, Almir Aparecido Malta
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O estado de Minas Gerais responde por 35% da Produ??o Mineral Brasileira. O estado ? o maior produtor brasileiro de min?rio de ferro do pa?s respondendo por 70% da produ??o nacional. Neste contexto de produ??o de min?rio de ferro, destaca-se o munic?pio de Congonhas localizado na bacia do Alto Paraopeba, no sudeste do Quadril?tero Ferr?fero. Partindo do pressuposto de que a minera??o adentra a ?rea urbana de Congonhas, o objetivo deste estudo ? avaliar sua extens?o e dissertar sobre aspectos socioecon?micos e ambientais da atividade. Para 2015 estima-se, para o Alto Paraopeba, uma extra??o de 120 milh?es de toneladas/ano de min?rio de ferro e uma produ??o de 12 milh?es toneladas/ano de a?o, sendo em Congonhas a maior concentra??o da atividade mineral. A metodologia adotada nesse estudo teve por base a quest?o ambiental fundamentada na Constitui??o Federal, que divide as compet?ncias em esferas de responsabilidades e cuidados. O levantamento bibliogr?fico buscou identificar publica??es relacionadas com a minera??o urbana e investigar os conflitos ambientais. O controle de ?reas do DNPM-MG foi utilizado como fonte para a defini??o dos limites das ?reas de interesse miner?rio. Os resultados desse estudo possibilitaram mostrar que a minera??o em Congonhas ? periurbana e vem ocupando ?reas inteiramente urbanizadas...

A liberdade art?stica de Nietzsche

Mendes, Clarissa Ayres
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O presente trabalho pretende abarcar a proposta de liberdade nietzschiana, que se revela est?tica e n?o moral, como pensava toda a tradi??o filos?fica at? Nietzsche. Para tanto, fez-se necess?rio percorrer os caminhos propostos por Nietzsche. Tendo como fio condutor o senso hist?rico, avaliamos as principais inten??es de Nietzsche. Em primeiro lugar, pretendemos demonstrar que existem possibilidades de remontar o surgimento dos valores morais baseadas em pontos de vista espec?ficos, ou seja, Nietzsche explora a id?ia de interpreta??o na cria??o dos valores morais, e pretende apontar para caracter?sticas especificas de certos tipos de homem e sociedades, que privilegiaram determinadas interpreta??es. Com isto em mente, aliamo-nos ? tarefa inicial de destrui??o de certezas nas quais se fundamentam os valores morais. Depois do trabalho com o martelo, podemos e necessitamos da cria??o. Nietzsche tenta devolver ao homem a sua condi??o e consci?ncia de sua condi??o de criador. Neste sentido, temos a liberdade em termos nietzschianos como aliada. A liberdade proposta aqui, correlata ao fazer art?stico, aparece como a perspectiva inerente ao homem que se sente apto e dispon?vel para a cria??o, que passa a encarar a necessidade e a liberdade com um sentido de equival?ncia...

Est?tica e estetiza??o no pensiero debole de Gianni Vattimo: Uma investiga??o cr?tica

Soares, Cl?udia Dalla Rosa
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Esta disserta??o versa sobre o pensiero debole de Gianni Vattimo (1936- ) e sua reflex?o sobre as transforma??es provocadas pelo avan?o tecnol?gico no s?culo XX, em particular, pelo advento dos mass media, que propiciaram certa orienta??o est?tico-hermen?utica em que se inscreve seu pensamento. A proposta filos?fica vattimiana, o pensiero debole, apresenta-se como express?o de uma outra forma de se pensar, despojada das caracter?sticas autorit?rias do pensamento fundacionista. Nesse sentido, o pensiero debole ? uma maneira de se interpretar n?o apenas a hist?ria da filosofia, mas principalmente as mudan?as s?cio-culturais ocorridas na contemporaneidade. Em sua interpreta??o do presente, Vattimo destaca o advento dos meios de comunica??o de massa, pois a intensifica??o dos fen?menos comunicativos n?o ? um aspecto entre outros que caracteriza a contemporaneidade, mas o centro e sentido desta ?poca: a sociedade contempor?nea ? a sociedade dos mass media. Da? Vattimo destacar a ?estetiza??o-desrealiza??o? [estetizzazione-derealizzazione] como elemento distintivo da p?s-modernidade. No seu entender tal fen?meno decorre das mudan?as tecnol?gicas ocorridas no presente, a saber, a modifica??o da exist?ncia social pelos mass media. A cultura de massas n?o homologou a experi?ncia est?tica...

Sobre a analogia entre natureza e arte na Cr?tica da Faculdade do Ju?zo

Citro, Danilo
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Este trabalho pretende trazer em evid?ncia a analogia entre natureza e arte atrav?s do texto de Kant na Cr?tica da Faculdade do Ju?zo. Para isto, apresentamos primeiramente o problema geral que envolve esta obra, cuja solu??o pode encontrar apoio por meio da analogia. Tal analogia ? poss?vel mediante uma especifica??o do conceito de arte em geral para o conceito de arte bela. O novo conceito de arte tem como fundamento uma faculdade produtora que poucos possuem, descrito por Kant como um talento dado pela natureza. Tal faculdade produz obras que expressam id?ias est?ticas, que possibilitam uma analogia da arte com a natureza. Portanto, o conceito de id?ias est?ticas ? essencial para o novo conceito de arte bela. Al?m disso, resulta num novo conceito de natureza enquanto an?loga ? arte, pois Kant diz que a natureza tamb?m comp?e em sua beleza express?es de id?ias est?ticas. Sendo assim, analisamos uma analogia rec?proca entre natureza e arte ? luz do conceito de id?ias est?ticas, ao menos da maneira com que elas se referem ?s id?ias em geral. _______________________________________________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT: This work aims to bring in evidence the analogy between nature and art through the Kant?s text in the Critic of Power of Judgment. For this...

A dimens?o est?tica na filosofia de Pico della Mirandola

Alavina, Fran de Oliveira
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Em 1486, publicam-se, em Roma, as Conclusiones Nongentae de Pico della Mirandola (1463-1494). Tratava-se de um ambicioso projeto filos?fico, que buscava conciliar as mais d?spares culturas e tradi??es de pensamento: multiplicidade das vias e converg?ncia de tradi??es para o estabelecimento de um novo princ?pio de unidade do saber. Considerando a busca desse novo princ?pio como fio de articula??o da filosofia de Pico, observa-se, inserido em tal projeto, a presen?a e a contribui??o de saberes como a Ret?rica, a Po?tica e a Filologia. Nessa proposta de converg?ncia de saberes pode-se, assim indagar sobre a dimens?o est?tica na filosofia mirandolana, pois mesmo que a Est?tica ainda n?o houvesse se constitu?do como disciplina filos?fica de estatuto pr?prio, observa-se a presen?a de elementos est?ticos em tal filosofia, oriundos do patrim?nio ret?rico e po?tico da tradi??o cl?ssica-humanista. Da?, a dimens?o est?tica n?o se assemelhar a uma Filosofia da Arte, limitada ao sistema das artes, ou reflex?o filos?fica que identifica o belo como objeto particular de uma considera??o est?tica. Desse modo, o car?ter est?tico n?o ? aut?nomo em rela??o ? busca do novo princ?pio conciliador, mas encontra sentido na busca da unidade. Tal unidade por sua vez n?o deve desconsiderar a multiplicidade de vias...

Luigi Pareyson e a est?tica da formatividade: um estudo de sua aplicabilidade ? po?tica do ready-made

Napoli, Francesco
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Diante da dificuldade de an?lise das vanguardas art?sticas pelo vi?s das est?ticas tradicionais, pretende-se aproximar uma est?tica contempor?nea de uma po?tica que representa uma verdadeira ruptura na hist?ria da arte. Luigi Pareyson prop?e que se pense a arte a partir da ?tica do artista, mas sem perder o car?ter filos?fico que a est?tica exige. Desse modo, a Est?tica da Formatividade se mostra inovadora e pass?vel de ser aproximada de uma po?tica dif?cil de ser analisada pelas est?ticas tradicionais: o ready-made de Marcel Duchamp. Por meio da Teoria da Formatividade ? poss?vel esmaecer a r?gida distin??o entre arte e n?o-arte, aproximando a arte da vida cotidiana sem retirar o car?ter de autonomia da aut?ntica arte. Ao deslocar objetos cotidianos para o ?mbito da arte, Duchamp recria o conceito de arte e reinventa o modo de conceber a arte ao neg?-la. Atrav?s da est?tica da formatividade pode-se fazer uma rica leitura desta po?tica, al?m de elucidar os conceitos pareysonianos por meio de uma instigante aplica??o. _______________________________________________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT: In the face of the difficulty of analyzing the art avant-gardes through the traditional aesthetics slant...

Cominui??o seletiva de minerais de diferentes moabilidades

Sud?rio, Fl?via Emery Pereira
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O presente trabalho visa ? melhoria da separa??o entre a calcita e o quartzo, explorando as diferen?as na moabilidade atrav?s de um modelo matem?tico. O presente trabalho, atrav?s da cl?ssica equa??o de Rosin-Rammler, mostra as mudan?as no comportamento do min?rio quando submetido ? opera??o de moagem. O estudo do par?metro de agudez de Rosin- Rammler permitiu a constru??o de um modelo matem?tico simples. A base te?rica para o trabalho foi otimiza??o de processo, realizada por Ray e Szekely (1973), atrav?s de um modelo estat?stico baseado na distribui??o log-normal das part?culas ap?s moagem. Este trabalho ? parte de um escopo maior no qual engloba um modelo de otimiza??o para o processo de cominui??o atrav?s da rela??o da energia gasta e classifica??o. ____________________________________________________________________________________________________

Planejamento operacional de lavra com aloca??o din?mica de caminh?es: abordagens exata e heur?stica

Ara?jo, Francisco C?sar Rodrigues de
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Este trabalho trata do planejamento operacional de lavra com aloca??o din?mica de caminh?es. Este problema consiste em determinar o n?mero de viagens que cada caminh?o deve fazer a cada frente de lavra, bem como decidir em quais frentes de lavra alocar as carregadeiras,de sorte a atender ?s metas de produ??o e qualidade requeridas para o m?nimo a ser produzido, fazendo o melhor aproveitamento da frota de ve?culos dispon?vel. Dada sua complexidade combinat?ria, o problema ? abordado por um procedimento heur?stico baseado na metaheur?sticaIterated Local Search. Tamb?m ? formulado um modelo de programa??o matem?tica, o qual serve para validar o m?todo heur?stico proposto. Os modelos propostos s?o testados por meio da utiliza??o de dados reais em um software desenvolvido para este fim. ____________________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: This work deals with the Operational Mining Planning in open pit mines with equipment dynamic allocation. This problem consists in determining the number of trips that each truck would do in each mining site as well as deciding in which mining site to allocate the loaders machines, in order to attend the production and quality goals required to the ore production...

Cominui??o seletiva de mesclas bin?rias e sua simula??o por redes neurais artificiais

Rosa, Germano Mendes
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O presente trabalho divide-se em duas partes: estudo da moagem de mesclas bin?rias de minerais com diferentes moabilidades e simula??o de moagem de mesclas bin?rias por meio de rede neural artificial (do tipo perceptron multicamada treinada com o algoritmo retropropaga??o com momento). Na primeira etapa, realizou-se o estudo do comportamento dos principais fatores relacionados a moagem mista bin?ria em batelada dos minerais dolomita e quartzo, visando estabelecer condi??es ideais para obten??o de um maior contraste granulom?trico entre tais esp?cies minerais. Por meio de v?rios ensaios f?sicos em diferentes propor??es volum?tricas desses minerais e diferentes ciclos moagem, acompanhou-se a evolu??o da granula??o dos produtos. Os resultados das an?lises granulom?tricas dos produtos provaram que os mesmos aderiram satisfatoriamente ? fun??o de distribui??o de probabilidades sigmoidal de Hill, a qual foi adotada para apoiar a analise comparativa dos resultados, conjuntamente com o indicador global de contraste granulom?trico (IGCG), definido neste trabalho. Na segunda etapa, os resultados obtidos na primeira foram utilizados para treinar uma rede neural artificial, a qual foi capaz de prever bons resultados a partir de padr?es de entrada que n?o fizeram parte do conjunto de treinamento. ____________________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: The present work becomes separated in two parts: the study of the binary mix grinding of minerals with different grindabilities and simulation of the binary mix grinding through a neural network (multiple-layer perceptron retropropagation-like algorithm with momentum). In the first stage took place the study of the behavior of the principal factors related to the batch mix binary grinding of the minerals dolomite and quartz...

Classifica??o de pilhas de est?ril na minera??o de ferro

Arag?o, Giani Aparecida Santana
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A atividade de extra??o mineral traz consigo a produ??o de uma quantidade vari?vel de materiais de pouco ou nenhum valor econ?mico, respectivamente min?rio pobre ou est?ril. Enquanto o manejo do min?rio pobre responde a uma estrat?gia de neg?cio e tem um car?ter de provisoriedade, a remo??o do est?ril da ?rea de lavra e sua disposi??o final s?o atividades que podem ter um impacto desfavor?vel no desenvolvimento de uma mina com implica??es de ordem econ?mica, de seguran?a e ambiental. Esses aspectos relativos ao manejo de est?reis s?o t?o mais significativos nos dias de hoje face aos grandes volumes movimentados nas opera??es mineiras, maior escassez de ?reas adequadas ? disposi??o, especialmente em empreendimentos mais antigos, e maior exig?ncia dos ?rg?os reguladores. Essa situa??o faz com que seja necess?rio um maior esfor?o de planejamento das atividades de projeto, constru??o, opera??o e reabilita??o das estruturas finais geradas pela movimenta??o dos est?reis. O presente trabalho baseia-se numa proposta de classifica??o de pilhas de est?ril do ponto de vista da sua estabilidade f?sica. O Sistema de Classifica??o foi apresentado pelo governo canadense na obra intitulada ?Mined Rock and Overburden Piles? (BC Mine Waste Rock Pile Research Committee...

Flota??o direta de min?rio de ferro

Lopes, Gilmara Mendon?a
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O objetivo deste trabalho foi estudar a possibilidade de concentra??o do min?rio Serra da Serpentina, considerado de baixo teor de ferro por flota??o direta. Foram investigados tr?s coletores: oleato de s?dio P.A., hidroxamato comercial (AERO 6493) e sulfonato comercial (AERO 825) e como depressor foi usado o metassilicato de s?dio P.A.. Em uma primeira fase foram efetuados estudos de microflota??o de amostras minerais puras (hematita e quartzo), usando tubo de Hallimond modificado com os coletores e depressor, buscando a determina??o do pH que levaria ? melhor seletividade na separa??o entre os dois minerais. Os pH?s de maior flotabilidade da hematita e quartzo usando oleato de s?dio foram 7 e 9, respectivamente. No caso do hidroxamato foram, respectivamente, 7 e 10. Para o sulfonato, foram 4 e 5, respectivamente. Foram determinadas as curvas de potencial zeta dos dois minerais condicionados com ?gua destilada, em solu??es dos coletores e em solu??o de metassilicato de s?dio seguida da adi??o dos coletores. Os valores de PCZ da hematita e quartzo foram 7,5 e 1,8, respectivamente. Finalmente, foram realizados ensaios de flota??o reversa (usando amido/amina) e direta (usando oleato de s?dio, hidroxamato e sulfonato e metassilicato de s?dio como depressor) em escala de bancada usando planejamento fatorial de experimentos...

M?todos de otimiza??o multiobjetivo e de simula??o aplicados ao problema de planejamento operacional de lavra em minas a c?u aberto

Pantuza J?nior, Guido
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Este trabalho tem seu foco no problema de planejamento operacional de lavra de mina a c?u aberto, considerando aloca??o din?mica de caminh?es. Considera-se a exist?ncia de uma frota heterog?nea de caminh?es, a exist?ncia de dois pontos de descarga para o material lavrado, sendo o britador para descarga de min?rio e a pilha de est?ril para descarga de est?ril. O tempo de ciclo dos equipamentos tamb ?m foi considerado como um par?metro que depende da frente de lavra, do tipo de caminh?o e do tipo de material transportado. Para sua resolu??o, prop?e-se uma abordagem multiobjetivo, uma vez que o problema ? constitu?do de diversas metas con itantes. S?o propostos um modelo de programa??o linear por metas, um algoritmo gen?tico multiobjetivo h?brido baseado no algoritmo gen?tico multiobjetivo NSGA II, assim como um modelo de simula??o computacional para validar os modelos exato e heur?stico, bem como para fazer o sequenciamento das viagens realizadas pelos caminh?es. Os experimentos computacionais mostram a efetividade da proposta. ____________________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: This work deals with the Open-Pit-Mining Operational Planning problem concerning dynamic truck allocation. We also consider that there is a heterogeneous eet of trucks...

Quantifica??o de boehmita em presen?a de gibbsita

Soares, Guilherme Augusto Batista
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O processamento da bauxita para a produ??o de alum?nio ? altamente dependente das fases mineral?gicas presentes no min?rio. Bauxitas gibbs?ticas exigem um processo de digest?o muito mais brando do que aquele exigido para um min?rio boehm?tico. Desta forma, a quantifica??o de fases mineral?gicas presentes nos min?rios ? de extrema import?ncia tanto na determina??o de rotas de beneficiamento quanto de c?lculos de rendimento e em auditorias. N?o existe um m?todo anal?tico isolado para a quantifica??o de boehmita (AlOOH) em presen?a de gibbsita (Al(OH)3). Desta forma, no presente trabalho investigou-se a utiliza??o da t?cnica de difra??o de raios X para a quantifica??o destas duas fases em amostras de bauxita. Foram realizadas in?meras s?nteses de boehmita e gibbsita, e em alguns casos obtiveram-se amostras que aparentemente cont?m apenas uma fase mineral?gica. Entretanto, a cristalinidade dos minerais formados ? relativamente baixa, com tamanhos de part?culas nanom?tricos. Em temperaturas pr?ximas ao ponto de ebuli??o da ?gua, a boehmita ? preferencialmente formada. Por outro lado, com a aplica??o de press?o e temperaturas mais elevadas, os v?rios produtos, bayerita, gibbsita e boehmita, s?o formados ao mesmo tempo. A lixivia??o c?ustica a 160o C permitiu a remo??o completa de gibbsita em uma amostra de bauxita rica em boehmita. O posterior tratamento com o sistema Ditionito-Citrato- Bicarbonato n?o foi capaz de remover totalmente os ?xidos de ferro. Ao final do processo...

Transi??o da mina a c?u aberto para subterr?nea no morro da mina

Lopes, Gustavo Fontes
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Esta disserta??o tem como objetivo avaliar os recursos minerais remanescentes da cava final atrav?s de uma lavra subterr?nea no Morro da Mina, atividade centen?ria de lavra e beneficiamento de min?rio de mangan?s no Brasil. Para sua realiza??o, inicialmente se fez necess?ria uma pesquisa bibliogr?fica e estudos sobre temas relacionados ? minera??o subterr?nea, aprofundamento de minas a c?u aberto que passaram pela profundidade de transi??o, at? a fase de lavra essencialmente subterr?nea, dando continuidade ?s opera??es atrav?s de por??es ou corpos mineralizados que n?o foram economicamente vi?veis pelos m?todos de lavra a c?u aberto. Sua aplica??o pr?tica a realidade do Morro da Mina est? associada ?s decis?es futuras de engenharia, planejamento estrat?gico da mina e aspectos relacionados ao plano de fechamento, durante a fase de desativa??o do empreendimento. As informa??es geradas foram discutidas com a equipe t?cnica do Morro da Mina e mostraram claramente a necessidade de continuidade das pesquisas geol?gicas em profundidade visando o conhecimento geol?gico e estrutural da mineraliza??o e ainda, aprimorando o grau de confiabilidade das informa??es, possibilitando assim, elevar a classifica??o dos recursos remanescentes at? a categoria de recursos medidos ou at? mesmo...

Elementos para uma sistematiza??o dial?ticomaterialista do vir a ser da arte

Marinho, Lucas Alves
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Desenvolvendo algumas indica??es de Theodor W. Adorno (1903-1969), esta disserta??o estabelece elementos conceituais para empreender (e ensaia) uma sistematiza??o dial?ticomaterialista do vir a ser da arte ? uma sistematiza??o do vir a ser da arte centrada no desenvolvimento dos diferentes procedimentos compositivos que efetivam os estados sucessivos da progressiva domina??o est?tica da natureza. ____________________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: Starting from some Theodor W. Adorno?s (1903-1969) indications, this work displays some conceptual elements in order to undertake (and it essays) a dialectical-materialist systematization of the becoming art of art ? a systematization focused on the developing of different compositional procedures which actualize the successive states of the aesthetic progressive domination of nature.

Estilo e ideal: a apropria??o do legado cl?ssico na est?tica de Goethe

Figueiredo, Luciano Nascimento
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O presente estudo busca compreender como Goethe se apropria do legado grego na modernidade. Para tanto recorremos a textos de fic??o do autor, ? correspond?ncia entre Goethe e Schiller e, sobretudo, aos artigos que comp?em o Escritos sobre arte. Tais textos demonstram que o modo como Goethe desenvolve seu pensamento sobre a Arte Cl?ssica ? fundamentado por princ?pios est?ticos consistentes. Por exemplo: o passado que deve servir ao agora, a cr?tica que deve servir ao fazer, as formula??es te?ricas que n?o devem violentar o fen?meno individual. O desenrolar da pesquisa possibilitou o esclarecimento a respeito destes princ?pios, al?m de demonstrar que exerceram influ?ncia sobre pensadores de gera??es posteriores. Entre eles, se destacam os fil?sofos Nietzsche e Benjamin, pois se detiveram e elucidaram aspectos importantes dos fundamentos est?ticos estudados na disserta??o. ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT: This study seeks to understand how Goethe appropriates the greek legacy in modernity. For this we call on the author?s fiction works, the correspondence between Goethe and Schiller...

O simbolismo moral no formalismo do belo: uma interpreta??o da Cr?tica da faculdade do ju?zo de Kant.

Goulart, Luis Ot?vio Luciano
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Este trabalho disserta acerca do v?nculo simb?lico entre a beleza e a moralidade proposto por Kant na Cr?tica da Faculdade do Ju?zo. Como tal v?nculo se estabelece somente pela via da reflex?o, a analogia proposta pela ?beleza como s?mbolo da moralidade? argumenta a favor de que no ju?zo de gosto n?o se tem prazer com a parte material do objeto. O prazer, neste caso, ? algo que diz respeito ? forma, n?o ? sensa??o a que est? submetido. Assim, por n?o ter uma propriedade objetiva ? qualificado por Kant como desinteressado. A beleza, neste sentido, pode ser considerada como s?mbolo da moralidade porque de uma maneira indireta (sem produzir conceito) atesta que a raz?o tem uma independ?ncia, uma autonomia. Veremos que para Kant, apesar do belo n?o ser id?ntico ao bom, pode-se pensar uma analogia entre esses campos que implique certo favorecimento da est?tica em rela??o ? ?tica. _______________________________________________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT: This essay is about a simbolical relation between beauty and morality proposed by Kant on his ?Critique of Judgement?. As such relation is stablished only through reflexive judgement, the analogy proposed by ?the beauty as the simmbol of morality? states that in the judgement of teste one has no pleasure from the material aspect of the object. The pleasure thus is a matter of form (shape)...

O(s) Tempo(s) da Imagem: uma investiga??o sobre o estatuto temporal da imagem a partir da obra de Didi-Huberman

Tavares, Marcela Botelho
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Este estudo apresenta um pensamento que considera as imagens produzidas no ?mbito da arte, principalmente no contexto das artes visuais ? pintura e escultura ? a partir da compreens?o do estatuto temporal que as constitui. Lemos em Walter Benjamin que ?a imagem ? um cristal de tempo, aonde o Outrora se encontra com o Agora em um rel?mpago para formar uma constela??o?, tal afirma??o est? na base da teoria est?tica formulada pelo fil?sofo franc?s Georges Didi-Huberman, sobre a qual nos debru?amos neste trabalho. O fil?sofo analisa as imagens art?sticas ? e a hist?ria que fazemos delas ? a partir de um modelo temporal acronol?gico, n?o-sucessivo; uma temporalidade de ?dupla-face?, anacr?nica e ?sintom?tica?. Tal temporalidade turbulenta origina imagens dial?ticas ? conceito formulado por Benjamin e atualizado por Didi-Huberman. As imagens dial?ticas s?o as ?nicas ?imagens aut?nticas?, que irrompem como redemoinhos no rio da hist?ria, fraturando o solo das doutrinas est?ticas, e nos for?ando a repensar o trabalho da Hist?ria da Arte. Nestas imagens, passado e presente coexistem, o virtual e o atual se cristalizam em uma imagem-cristal, que devido a sua transpar?ncia permite ao vision?rio, ao vidente ?ver o jorrar do tempo como desdobramento...