Últimos itens adicionados do Acervo: Universidade Federal de Ouro Preto

A Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) é uma universidade pública brasileira mantida pelo governo federal do Brasil. Foi criada em 21 de agosto de 1969 a partir da incorporação de duas centenárias instituições de ensino superior: a Escola de Farmácia fundada em 1839 e a Escola de Minas fundada em 1876, ambas localizadas em Ouro Preto, Minas Gerais.

Página 14 dos resultados de 429 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Nanoparticulas bioadesivas para administra??o intramam?ria: desenvolvimento, caracteriza??o fisico-qu?mica, cin?tica de libera??o e avalia??o biol?gica ex vivo

Castanheira, Raquel Gomes
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Este trabalho trata do desenvolvimento farmacot?cnico e da caracteriza??o f?sico-qu?mica de formula??es nanoestruturadas destinadas ao encapsulamento de cloxacilina benzatina, um antimicrobiano de uso veterin?rio. Objetivou-se a otimiza??o de formula??es est?veis de nanoc?psulas (NC) e nanoesferas (NS) contendo o pol?mero poli-?-caprolactona (PCL) e revestidas com quitosana (QUI), um pol?mero com carga positiva, a fim de se obter uma formula??o com capacidade bioadesiva de administra??o intramam?ria da cloxacilina benzatina (CloxB). A distribui??o de tamanho m?dio das nanopart?culas (NP) e o ?ndice de polidispers?o foram determinados por espectroscopia de correla??o de f?tons e a morfologia por microscopia de for?a at?mica. A carga superficial foi determinada por anemometria de laser Doppler associada ? microeletroforese. A associa??o do f?rmaco ?s nanoestruturas e a cin?tica de libera??o in vitro foram determinados por duas diferentes t?cnicas de di?lise e o f?rmaco quantificado por cromatografia l?quida de alta efici?ncia (CLAE). As suspens?es de nanoc?psulas e de nanoesferas foram preparadas pelo m?todo de deposi??o interfacial de pol?meros pr?-formados seguido de evapora??o do solvente, conhecido como nanoprecipita??o. Foram avaliadas as influ?ncias de pol?meros (quitosana e poli-?-caprolactona)...

Desenvolvimento, caracteriza??o e liofiliza??o de nanopart?culas e encapsulamento de antibi?tico de uso veterin?rio

Ara?jo, Raquel Silva
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Na primeira parte deste trabalho foi avaliado o processo de liofiliza??o de nanoesferas e nanoc?psulas, utilizando-se v?rios crioprotetores e duas condi??es de congelamento, tendo como par?metro de investiga??o a efici?ncia do m?todo na manuten??o da distribui??o de tamanho inicial. Diferentes crioprotetores como glicose, sacarose, manitol e polidextrose, e concentra??es foram utilizadas. A distribui??o de tamanho das nanopart?culas e o ?ndice de polidispers?o foram determinados por espectroscopia de correla??o de f?tons e a morfologia por microscopia de for?a at?mica e eletr?nica de varredura. As nanopart?culas preparadas apresentaram-se com tamanho inferior a 300 nm e monodispersas. As amostras liofilizadas em presen?a de 5% (p/v) de sacarose forneceram como resultados de rela??o tamanho final/inicial valores de Tf/Ti=0,981 e Tf/Ti=0,995 a -80?C e a -196?C, respe ctivamente. Estudos por calorimetria diferencial explorat?ria confirmaram o efeito da sacarose sobre a intera??o entre tensioativos e pol?meros na estrutura das nanoesferas. O uso da polidextrose, como novo crioprotetor forneceu valores adequados de Tf/Ti=1,006, possibilitando a produ??o de nanoesferas liofilizadas na aus?ncia de mono e dissacar?deos. O uso de sacarose a 10% (p/v) forneceu resultados adequados Tf/Ti=1...

Avalia??o da atividade farmacol?gica de Cissus verticillata Nicolson & C. E. Jarvis subsp. verticillata como antioxidante, antif?ngico, hipoglicemiante e cicatrizante

Braga, Tatiane Vieira
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A esp?cie Cissus verticillata (L.) Nicolson & C. E. Jarvis subsp. verticillata ? conhecida popularmente como ?insulina vegetal? e utilizada popularmente como hipoglicemiante. Neste trabalho avaliou-se primeiramente o processo de coleta e secagem da amostra vegetal e a qualidade de amostras comerciais de ?insulina vegetal?. O material vegetal foi coletado em Ouro Preto, Minas Gerais, e a exsicata depositada no Herb?rio Jos? Badini da UFOP (OUPR 20570). As folhas de C. verticillata verticillata possuem teor de ?gua de 85,52%. O processo de secagem em estufa de ventila??o for?ada, a temperatura de 45?C, foi eficaz, proporcionando folhas com teor de 11,47% de umidade e 17,99% de cinzas totais. Nas amostras comerciais de ?Insulina vegetal? foram encontrados altos valores na carga de mes?filos aer?bios. O perfil cromatogr?fico de C. verticillata verticillata confirmou a presen?a de rutina na fra??o acetato de etila das folhas. Tamb?m foi avaliado a atividade antioxidante atrav?s da determina??o de compostos fen?licos totais e metodologia do DPPH. A quantifica??o de compostos fen?licos totais em EHA, FD e FA foi respectivamente 381,0, 52,0 e 2574,0 mg/mL em equivalentes de ?cido t?nico. A atividade antioxidante determinada atrav?s da metodologia do DPPH foi de 11...

M?sica evolutiva: uma abordagem computacional para composi??o algor?tmica

Freitas, Alan Robert Resende de
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncia da Computa??o. Departamento de Computa??o, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncia da Computa??o. Departamento de Computa??o, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
?Este trabalho descreve uma abordagem para composi??o algor?tmica baseada em algoritmos gen?ticos. S?o desenvolvidos dois m?dulos principais, que s?o os geradores mel?dico e harm?nico. Um dos maiores problemas quando se usa algoritmos gen?ticos para evoluir melodias ? criar uma medida esteticamente consciente de fitness. Neste trabalho, descreve-se uma nova abordagem com uma medida m?nima de fitness na qual um conjunto de boas melodias ? retornado no fim do processo. Logo depois, uma abordagem multiobjetivo ? usada para harmoniza??o da melodia. O algoritmo evolucion?rio multiobjetivo define mudan?as de acordes com diferentes graus de simplicidade e dis- son?ncia. Experimentos foram feitos e comparados a julgamento humano dos resultados. As descobertas sugerem ser poss?vel desenvolver fun??es de fitness que refletem inten??es humanas para m?sica. ____________________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: This work describes an approach for algorithmic composition based on genetic algorithms. Two main modules are described, which are the melodic and harmonic generators. One of the greatest problems when using genetic algorithms to evolve melodies is creating an aesthetically conscious measure of fitness. In this work...

Arcabou?o tectono-estratigr?fico da bacia do S?o Francisco nos arredores das serras da ?gua Fria e da On?a, por??o centro-norte do Estado de Minas Gerais

Hercos, C?zia Mara
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A ?rea investigada est? situada nos setor oriental da bacia do S?o Francisco, por??o centro-norte de Minas Gerais, e compreende as imedia??es da cidade de Jequita? e das serras da ?gua Fria, da On?a e das Porteiras. No contexto geotect?nico essa regi?o se encontra inserida na zona de antepa?s do Cr?ton do S?o Francisco, afetada por uma tect?nica epid?rmica sem envolvimento do embasamento na deforma??o da cobertura. O objetivo deste estudo foi reconstruir o arcabou?o tectono-estratigr?fico do segmento em quest?o, a partir da integra??o de dados s?smicos com dados de superf?cie, al?m de investigar o posicionamento estratigr?fico das rochas que afloram na serra da ?gua Fria, incluindo os diamictitos da Forma??o Jequita?. Foram utilizadas as se??es s?smicas RL-060 e RL-300, al?m dos dados dos po?os 1- RF-1-MG e PSB-17. O levantamento dos dados de superf?cie foi concentrado pr?ximo ? linha RL-300 que atravessa parte da ?rea, com dire??o NW-SE. As atitudes estruturais e os contatos foram projetados para a se??o de modo a completar a geometria estrutural, bem como buscar a correla??o entre as unidades estratigr?ficas aflorantes com aquelas reconhecidas em subsuperf?cie. A partir da an?lise dos padr?es s?smicos de reflex?o, identificou-se que o preenchimento da bacia do S?o Francisco no segmento considerado ? representado por tr?s megasseq??ncias: (a) megasseq??ncia inferior...

Influ?ncia de n?veis de base nas caracter?sticas morfossedimentares das bacias dos rios das Velhas e Jequita? (MG)

Lana, Cl?udio Eduardo
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Tese de Doutorado
Português
As bacias dos rios das Velhas e Jequita? s?o afluentes da margem direita do rio S?o Francisco. Juntas, correspondem a uma faixa assim?trica de dire??o aproximadamente N-S que se estende desde o Quadril?tero Ferr?fero at? o norte de Minas Gerais. Ambas as bacias possuem nascentes instaladas em serras predominantemente compostas por quartzitos estruturados pela orog?nese brasiliana. As mesmas drenam em seu m?dio e baixo curso um conjunto de rochas metapel?ticas e metacalc?rias pouco deformadas. Tais contrastes litol?gicos e estruturais levam a um quadro morfossedimentar bastante diverso, cujos tra?os principais podem ser visualizados em particularidades do padr?o erosivo ou deposicional dos cursos d??gua. V?rios trabalhos t?m indicado a reativa??o cenoz?ica de estruturas fr?geis ao longo das duas bacias. Por?m, como os resultados foram obtidos a partir de metodologias distintas e em pontos isolados, ? vis?vel a necessidade de integra??o a partir de metodologias e objetos de estudo padronizados. Justamente por registrarem os efeitos dessa reativa??o durante sua evolu??o morfol?gica e sedimentar, os rios podem ser considerados uma importante ferramenta integradora. No presente trabalho foram gerados modelos tridimensionais de declividade...

O sinclinal de Ouro Fino: an?lise descritiva e cinem?tica de um segmento do sistema Fund?o, Quadril?tero Ferr?fero, Minas Gerais.

Fonseca, Marco Ant?nio
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O Sinclinal de Ouro Preto, localizado nas quadriculas de Capanema e Rio de Pedras corresponde a uma complexa estrutura, intimamente relacionada a um sistema de falhamentos de express?o regional, o denominado sistema do Fund?o. A analise estrutural, realizada nas seq??ncia aflorantes na ?rea em estudo, permite o grupamento das estruturas tect?nicas em tr?s fam?lias, cada uma das quais corresponde a uma fase deformativa. A fase antiga reconhecida na ?rea em estudo (D1) associa-se um conjunto de estruturas d?ctil-rupteis-falhas, zonas de cisalhamento e dobras, em todas as escalas alem de uma proeminente folia??o, uma xistosidade (que localmente evolui para folia??es miloniticas a protomiloniticas). Toda essa estrutura, bem como a pr?pria estrutura sinclinal propriamente dita, tem como estrutura mestra e envolt?ria, o falhamento do Fund?o. A orienta??o do eixo a cinem?tico, relativo a esta fase, mostra, na por??o meridional da estrutura, valores orientados em torno de ?60-70?. Em ?reas adjacentes ao sul, notadamente no segmento do sistema fund?o compreendido entre a regi?o de Capanema e Timbopeba, estes valores s?o da ordem de 100-110?. Esta varia??o ? atribu?da ? mudan?a de car?ter da falha mestra, de geometria de rampa lateral e sul e sudeste para geometria de rampa frontal...

Caracteriza??o mineral?gica e tecnol?gica dos lutitos diatom?ceos da Pen?nsula de Santa Elena, Equador

Peralta S?nchez, Miguel Genaro
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Os lutitos diatom?ceos, que foram objeto de estudo nesta disserta??o, est?o inseridos no Membro Villingota da Forma??o Tosagua, na Bacia Progreso, na Pen?nsula de Santa Elena, que constitui uma importante ?rea localizada ao sudoeste do litoral do Equador. Arenitos presentes em alguns n?veis da Forma??o Tosagua tamb?m foram objeto de investiga??o, devido a sua presen?a em forma de fragmentos de rocha nos lutitos diatom?ceos. A Bacia Progreso ? formada principalmente por terrenos sedimentares de origem marinha, com ocorr?ncias de minerais e rochas industriais de interesse econ?mico. Na atualidade, este recurso mineral ? explotado de maneira artesanal em pequena escala, para a fabrica??o de ra??o de aves e como corretivo do pH de solos. O trabalho desenvolvido nesta disserta??o de mestrado incluiu a pesquisa de tr?s ocorr?ncias de lutitos diatom?ceos localizadas em tr?s povoados rurais: Sucre, Olmedo e San Ant?nio. A partir da aplica??o de t?cnicas anal?ticas, foi poss?vel identificar a mineralogia que ? formada por calcita, quartzo, montmorilonita e feldspato, al?m de tra?os de caulinita, mica e ze?litas e, determinar o car?ter lutito-silicoso e lutito-carbon?tico das amostras. Esta varia??o ? relacionada com a presen?a em maior ou menor propor??o dos microf?sseis silicosos e carbon?ticos como diatom?ceas...

Estudo do material particulado atmosf?rico proveniente da extra??o e manufatura de pedra-sab?o nos munic?pios de Ouro Preto e Mariana, MG

Proti, Rafaela Soares Costa
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A utiliza??o da pedra-sab?o (esteatito) em Ouro Preto ocorre desde o s?c.XVIII quando passou a ser empregada na ornamenta??o das igrejas e na produ??o artesanal de utens?lios dom?sticos. Ainda hoje ? utilizada como mat?ria-prima para produ??o de objetos decorativos e utilit?rios, constituindo uma importante alternativa econ?mica para a popula??o local, exclu?da do mercado formal de trabalho. O esteatito ? uma rocha metam?rfica de baixa dureza, constitu?da principalmente de talco, um filossilicato de magn?sio hidratado, podendo ocorrer tamb?m clorita, serpentina, antigorita e, ocasionalmente, quartzo, magnetita e pirita. O processo de extra??o da rocha em pedreiras e de produ??o de pe?as artesanais em oficinas submete trabalhadores e artes?os a inala??o de grande quantidade de poeira. Esta exposi??o ocupacional pode levar ao desenvolvimento de pneumoconioses como a talcose ou a talcoasbestose, que s?o doen?as pulmonares decorrentes da inala??o de part?culas respir?veis de talco ou de talco contaminado por fibras de asbesto. A caracteriza??o qu?mica e f?sica do material particulado oriundo destas atividades ? importante para avalia??o dos seus efeitos ? sa?de humana e ao meio ambiente. Com este prop?sito, foram coletadas amostras de poeiras geradas em oficinas de artesanato...

Quantifica??o do coeficiente de dispers?o longitudinal em pequenos cursos d??gua naturais com o uso de tra?ador ambientalmente neutro

Devens, Julimara Alves
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Os rios e ribeir?es s?o, tradicionalmente os locais de disposi??o de res?duos resultantes da atividade humana que, em conjunto com derramamentos acidentais, s?o os principais causadores da polui??o dos corpos h?dricos. Para a avalia??o do impacto causado pelo lan?amento de res?duos nos cursos d??gua naturais, utiliza-se de modelos de qualidade da ?gua que incorporam par?metros que precisam ser bem conhecidos, para que o modelo seja capaz de fornecer previs?es confi?veis. Dessa forma, considera-se nesse estudo a import?ncia do uso de modelos de qualidade da ?gua em corpos d??gua superficiais. Atrav?s da aplica??o de t?cnicas de campo com o uso de tra?ador salino e ambientalmente neutro determina-se um importante par?metro f?sico de qualidade da ?gua, o coeficiente de dispers?o longitudinal. A quantifica??o do coeficiente de dispers?o se d? atrav?s de cinco m?todos diretos, aplicados a dados de campo gerados em 15 testes conduzidos em trechos de pequenos cursos d??gua da regi?o de Ouro Preto (MG). O c?lculo considera ainda a perda do tra?ador utilizado, que n?o ? absolutamente conservativo. Uma discuss?o comparativa entre os resultados produzidos pelos m?todos diretos ? realizada, al?m da avalia??o do efeito da dura??o da inje??o do tra?ador sobre o coeficiente de dispers?o e avalia??o da reprodutibilidade dos m?todos diretos de obten??o do par?metro em estudo. Dez f?rmulas pr?ticas de previs?o do coeficiente tamb?m s?o avaliadas. ? proposto um modelo matem?tico de previs?o do coeficiente de dispers?o...

Desenvolvimento de metodologia anal?tica para determina??o de microcistina-LR e agrot?xicos em ?guas superficiais, utilizando as t?cnicas de cromatografia l?quida e cromatografia gasosa acopladas a espectrometria de massas

Silva, J?lio C?sar Cardoso da
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Alguns compostos org?nicos t?m causado preocupa??es ?s autoridades sanit?rias no que diz respeito ? qu?o t?xicos podem ser a organismos humanos e se os tratamentos convencionais utilizados nas esta??es de tratamento de ?gua s?o eficientes em suas remo??es. Dentre os microcontaminantes atualmente presentes no ambiente destacam-se microcistina-LR (MC-LR) e alguns agrot?xicos (organoclorados, organofosforados, carbamatos, etc). Os baixos n?veis de concentra??o desses contaminantes encontrados no ambiente exigem etapas de tratamento e concentra??o das amostras para determina??o anal?tica, que normalmente demandam tempo e custo. Essa disserta??o teve como objetivo desenvolver metodologia anal?tica para quantifica??o de MC-LR e trinta e sete agrot?xicos multirres?duo em amostras de ?gua superficial, utilizando apenas uma ?nica etapa de preparo e concentra??o das amostras. A quantifica??o de MC-LR nas amostras de ?gua foi feita por cromatografia l?quida acoplada a espectrometria de massas (CLAE/EM), e o m?todo multiress?duo para determina??o de agrot?xicos em ?gua foi feito por cromatografia gasosa acoplada ? espectrometria de massas. A concentra??o e o clean-up das amostras foram obtidos usando extra??o em fase s?lida, cartucho C18. A recupera??o de MC-LR para o m?todo variou entre 93...

Estudo de liga??es parafusadas em perfis formados a frio

Silva, Alexandre Camillo
Fonte: Programa de P?s Gradua??o em Engenharia Civil. Departamento de Engenharia Civil, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s Gradua??o em Engenharia Civil. Departamento de Engenharia Civil, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
As liga??es estruturais desempenham um papel fundamental nas estruturas met?licas influindo no comportamento global das mesmas. Neste contexto, o presente trabalho apresenta estudos te?rico-experimentais para a avalia??o do comportamento de uma tipologia, n?o padronizada, de liga??o viga-coluna parafusada, utilizando se??es transversais em perfis de a?o formados a frio. Os estudos deram continuidade ?s pesquisas anteriormente desenvolvidas no Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Civil ? PROPEC/EM/UFOP. Foi desenvolvido um programa experimental que consistiu na realiza??o de quatro ensaios em quatro diferentes configura??es de liga??es viga-coluna, agrupadas em dois grupos: sem enrijecedores (SE) e com enrijecedores (CE) de alma soldados nos flanges da coluna, estabelecendo assim par?metros de compara??o; diferiram tamb?m as espessuras das vigas. Os resultados experimentais permitiram determinar as curvas momento-rota??o e rigidezes, bem como os momentos ?ltimos, os campos de deslocamento e deforma??o e os respectivos mecanismos de colapso de cada liga??o ensaiada. Os resultados foram ent?o confrontados com os resultados de pesquisas anteriores e mencionadas caracter?sticas particulares a cada modelo ensaiado. Como resultado, verificou-se que as liga??es com enrijecedores de alma na coluna...

Estudo do impacto ambiental nos cursos d??gua causado pelo lan?amento de efluentes de ind?strias do munic?pio de Itabirito / MG

Lacerda, Junaia de Paula
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Neste trabalho foi estudado o impacto ambiental causado pelo lan?amento de efluentes das principais ind?strias da cidade de Itabirito, que est? situada na zona metal?rgica de Minas Gerais. As ind?strias com alto potencial poluidor de Itabirito s?o dos setores t?xtil, siderurgia e matadouro. Foram analisadas amostras de ?gua dos corpos receptores e efluentes destas ind?strias, a fim de se identificar o caso mais cr?tico. Os principais par?metros que n?o apresentaram conformidade com a Delibera??o Normativa COPAM n?10, de 16/12/1986, foram demanda bioqu?mica de oxig?nio (DBO), demanda qu?mica de oxig?nio (DQO), f?sforo total e nitrog?nio amoniacal. Foi testado para o efluente da ind?stria que apresentou maior potencial poluidor os tratamentos f?sico-qu?mico, com sulfato de alum?nio, e biol?gico, com sistema de lodos ativados, em escala de laborat?rio, sendo que n?o obtiveram boa efici?ncia. ____________________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: In this work the environmental impact caused by effluent discharger was studied of the main industries of the city of Itabirito, that it is situated in the metallurgic zone of Minas Gerais. The industries with highnt polluting potential of Itabirito are of the sectors textile...

O uso do sistema light steel framing associado a outros sistemas construtivos como fechamento vertical externo n?o-estrutural

Santiago, Alexandre Kokke
Fonte: Programa de P?s Gradua??o em Engenharia Civil. Departamento de Engenharia Civil, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s Gradua??o em Engenharia Civil. Departamento de Engenharia Civil, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A constru??o civil brasileira ? marcada pelos sistemas construtivos artesanais, por?m, diante da crescente demanda e da disponibilidade t?cnica de alternativas, v?rias correntes deste setor t?m se mostrado abertos ao emprego de solu??es industrializadas. Sistemas construtivos com concep??o racionalizada t?m ganhado espa?o conforme cresce a aceita??o da tecnologia por parte dos setores produtivos e principalmente dos consumidores. O sistema construtivo Light Steel Framing (LSF), que se apresenta como uma solu??o industrializada e racionalizada, vem ganhando espa?o no Brasil em constru??es dos mais diversos usos e j? conta com todos os insumos necess?rios para sua execu??o dispon?veis no pa?s. Os fechamentos verticais industrializados s?o utilizados no Brasil com certa freq??ncia, sendo o dry-wall (internamente) e os pain?is met?licos e de concreto pr?-moldado (externamente) suas formas mais comuns. Entretanto, os fechamentos externos em LSF para edif?cios com estrutura principal portante, que s?o comuns em pa?ses de cultura construtiva mais industrializada, ainda s?o raros em nosso pa?s. A utiliza??o deste sistema representa maior rapidez de execu??o com perdas m?nimas; menor emprego de m?o-de-obra; e a redu??o consider?vel no peso pr?prio comparado a materiais convencionais. Nesse contexto...

Prospec??o de bact?rias com potencial aplica??o na biorremedia??o de efluentes industriais contendo ars?nio

Guedes, Keicilane Aparecida
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O Ars?nio (As) est? naturalmente presente no ambiente terrestre associado a minerais sulfetados em rochas e sedimentos. Devido a oxida??es qu?micas e biol?gicas e principalmente a atividades ligadas ? minera??o e metalurgia, o As ? mobilizado de dep?sitos naturais tornando-se um importante contaminante ambiental. Em baix?ssimas concentra??es, esse metal?ide ? t?xico para diversos seres vivos. V?rios estudos t?m sido realizados a fim de remediar tais impactos imobilizando este elemento. Dentre as metodologias propostas podemos citar com destaque a utiliza??o de micro-organismos na remo??o de metais de efluentes e corpos d??gua contaminados. Bact?rias podem remover metais de uma solu??o por diferentes mecanismos, tais como aqueles que envolvem a acumula??o extracelular/precipita??o, a adsor??o i?nica na superf?cie celular ou complexa??o, e a acumula??o intracelular ou bioacumula??o. A remo??o de metais dos ambientes aqu?ticos tamb?m pode ocorrer pela a??o de metab?litos produzidos pelas bact?rias presentes como, por exemplo, pelo H2S produzido pelo grupo das Bact?rias Redutoras de Sulfato (BRS). Estes micro-organismos s?o peculiares por, atrav?s da redu??o qu?mica do sulfato, produzir sulfeto que, por sua vez, ? capaz de precipitar metais...

Estudo do reaproveitamento do res?duo gerado no processo hidrometal?rgico de fabrica??o de sulfato de zinco heptahidratado

Silva, Kriscilla Pedrosa da
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O processo hidrometal?rgico de fabrica??o de sulfato de zinco heptahidratado gera res?duo com teor de zinco o qual demanda aplica??o de Processo de Produ??o Mais Limpa, onde uma estrat?gia econ?mica, ambiental e tecnol?gica integrada deve ser utilizada, a fim de aumentar a efici?ncia no uso de mat?rias-primas, ?gua e energia, minimizando o res?duo gerado e trazendo benef?cios ambientais e econ?micos para o processo produtivo. O valor econ?mico do elemento zinco nesse processo ? elevado se comparado aos demais metais que constituem o res?duo, justificando a sua recupera??o. O objetivo deste trabalho de pesquisa foi otimizar as condi??es operacionais para a recupera??o a baixo custo do zinco presente no res?duo, de forma a reutiliz?-lo no processo, colocando-o no balan?o metal?rgico, substituindo a ?gua. Antes da utiliza??o do res?duo na lixivia??o, o mesmo foi caracterizado por microscopia eletr?nica de varredura (MEV), difra??o de raios-X, espectrometria de absor??o at?mica e medidas de superf?cie espec?fica e porosidade. Os resultados indicaram a presen?a de ?xido e sulfato na composi??o do material. Para otimizar as vari?veis da lixivia??o qu?mica foi avaliada a influ?ncia do tempo de rea??o, velocidade de agita??o, granulometria do material e concentra??o de ?cido. Testes preliminares mostraram ser baixo o percentual de extra??o de zinco ? temperatura ambiente e com agita??o lenta. Foi observado que o percentual de extra??o de zinco aumentou com o aumento da velocidade de agita??o e com a diminui??o da densidade da polpa. Observou-se tamb?m que o percentual de extra??o de zinco decresceu acentuadamente quando o teor de s?lidos passou de 10 para 20%...

Estudo comparativo de an?lises no dom?nio do tempo e da freq??ncia em risers flex?veis

Vaillant, Alyson Gomes
Fonte: Programa de P?s Gradua??o em Engenharia Civil. Departamento de Engenharia Civil, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s Gradua??o em Engenharia Civil. Departamento de Engenharia Civil, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O procedimento mais realista para se efetuar an?lises din?micas de risers flex?veis ? o uso de an?lises no dom?nio do tempo. An?lises no dom?nio do tempo conseguem levar em conta todas as n?o linearidades inerentes ao sistema como: geom?trica, intera??o solo-estrutura etc. Entretanto, an?lises no dom?nio do tempo demandam um esfor?o computacional e um tempo de simula??o muito grandes. Outros problemas associados com as an?lises no dom?nio do tempo s?o: o sinal produzido pela simula??o n?o ? ?nico e; o comprimento do sinal deve ser grande o suficiente para garantir a estabilidade dos par?metros estat?sticos. Com o intuito de solucionar estes problemas pode se utilizar an?lises no dom?nio da frequ?ncia ao inv?s de an?lises no tempo por serem muito mais r?pidas e necessitarem menor esfor?o computacional. Uma das diferen?as entre as duas metodologias ? que an?lises no dom?nio da frequ?ncia n?o levam em conta as n?o linearidades inerentes ao sistema e os efeitos destas lineariza??es ainda n?o s?o bem conhecidos. Por esta raz?o, foi proposto um estudo comparativo entre an?lises no dom?nio do tempo e da frequ?ncia de estruturas flex?veis, a fim de verificar a influ?ncia da n?o considera??o de algumas n?o linearidades e tentar determinar uma faixa de utiliza??o para an?lises no dom?nio da freq??ncia. N?o foi poss?vel determinar nenhuma influ?ncia ou tend?ncia de comportamento nos resultados a partir dos par?metros utilizados. As an?lises na frequ?ncia n?o exibiram erros consider?veis para as cargas de tra??o de topo...

Merceriza??o e modifica??o qu?mica de celulose e baga?o de cana-de-a??car com anidrido succ?nico e trietilenotetramina: prepara??o de novos materiais quelantes para a adsor??o de Pb (II), Cd (II), Cr (VI) e Cu (II)

Gurgel, Leandro Vin?cius Alves
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A celulose e o baga?o de cana-de-a??car foram usados na prepara??o de novos materiais quelantes para a adsor??o de metais pesados. Foram realizadas modifica??es f?sicas e qu?micas nesses biopol?meros com o objetivo de preparar materiais para adsorver metais pesados como o chumbo, o c?dmio, o cobre e o cromo. Essas modifica??es incluem a merceriza??o da celulose e do baga?o de cana-de-a??car e o tratamento dos materiais n?o mercerizados e mercerizados com anidrido succ?nico para a introdu??o de fun??es ?cido carbox?lico. Em seguida essas fun??es ?cidas foram modificadas com trietilenotetramina, um ligante polidentado, para o ancoramento de grupos amina nos materiais. Esses grupos amina foram quaternizados usando iodeto de metila para a obten??o de grupos am?nio quatern?rios. Os efeitos da merceriza??o foram avaliados pelas t?cnicas de difra??o de raios-X, FTIR e TGA-DTA. Os materiais obtidos pelas modifica??es qu?micas foram caracterizados por FTIR, TGA-DTA e an?lise elementar de C, H e N. Os ganhos de massa e as concentra??es de fun??es ?cidas e b?sicas introduzidas foram calculados. A celulose e o baga?o de cana mercerizados succinilados apresentaram em rela??o ? celulose e o baga?o de cana n?o mercerizados succinilados um aumento de 7...

Participa??o social: a efetividade das audi?ncias p?blicas em processos de licenciamento ambiental em Minas Gerais

Rocha, Lilian Luciana
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O sistema normativo ambiental brasileiro reconheceu o direito de todos os cidad?os de ter acesso ?s informa??es sobre o licenciamento ambiental de um dado projeto ou atividade atrav?s da publicidade do Estudo de Impacto Ambiental e seu respectivo Relat?rio de Impacto Ambiental ? EIA/RIMA e da realiza??o de audi?ncias p?blicas. Nesse contexto, prop?s-se realizar uma investiga??o com o objetivo de identificar e analisar os mecanismos que levaram ? realiza??o de audi?ncias p?blicas e sua influ?ncia na condu??o de processos de licenciamento ambiental de tr?s empreendimentos de grande porte instalados no Estado de Minas Gerais: o Distrito Ferr?fero de Itabira, da Cia Vale do Rio Doce, em Itabira, a Ibiritermo, em Ibirit?, e a Cia de Cimento Portland Ita?, em S?o Jos? da Lapa. A escolha levou em conta as caracter?sticas tecnol?gicas dos empreendimentos, que determinam o potencial poluidor e o risco do processamento industrial, as rela??es com os assentamentos urbanos adjacentes, e o fato de que no processo de licenciamento ambiental desses empreendimentos terem sido realizadas audi?ncias p?blicas. A pesquisa evidenciou dois aspectos importantes da participa??o social nos processos de licenciamento ambiental em estudo: o primeiro refere-se ? rela??o afetiva que a popula??o desenvolve com a cidade em vista dos la?os hist?ricos com o lugar...

Gest?o integrada de recursos h?dricos - o caso da bacia hidrogr?fica do Rio Doce

Domingues, Lilian M?rcia
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O desenvolvimento econ?mico e a ampla utiliza??o da ?gua como parte imprescind?vel dos processos produtivos acarretaram na degrada??o acelerada dos mananciais e escassez em muitas regi?es no mundo, raz?o pela qual o tema ?Gest?o Integrada de Recursos H?dricos (GIRH)? tem ganhado mais for?a e import?ncia nos ?ltimos anos. No Brasil, na bacia do rio Doce ? bacia de dom?nio da Uni?o, com cerca de 86% de sua ?rea pertencente ao Estado de Minas Gerais e 14% ao Esp?rito Santo, o processo de GIRH vem sendo implementado. A partir da necessidade comum destes Estados e da Uni?o em preparar seus Planos de Recursos H?dricos, foram reunidos esfor?os com outros atores sociais da bacia para a elabora??o do Plano Integrado de Recursos H?dricos ? PIRH - e dos Planos de A??es para as bacias afluentes ? PARHs, culminando na celebra??o de um Conv?nio de Integra??o - ?Pacto das ?guas? - para uma gest?o compartilhada. A avalia??o do processo de integra??o na gest?o dos recursos h?dricos desta importante bacia hidrogr?fica brasileira baseou-se nas treze fundamentais ?reas de mudan?a em GIRH e sua caixa de ferramentas, defendidas pela Parceria Mundial da ?gua (GWP) como um importante caminho para a gest?o mais coordenada dos recursos h?dricos. O PIRH-Doce...