Últimos itens adicionados do Acervo: Universidade Federal de Ouro Preto

A Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) é uma universidade pública brasileira mantida pelo governo federal do Brasil. Foi criada em 21 de agosto de 1969 a partir da incorporação de duas centenárias instituições de ensino superior: a Escola de Farmácia fundada em 1839 e a Escola de Minas fundada em 1876, ambas localizadas em Ouro Preto, Minas Gerais.

Página 5 dos resultados de 429 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Modifica??o p?s-traducional dependente de SUMO em Schistosoma mansoni: padr?o de express?o diferencial durante a transi??o cerc?ria a esquistoss?mulo.

Pereira, Roberta Verciano
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Biol?gicas. N?cleo de Pesquisas em Ci?ncias Biol?gicas, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Biol?gicas. N?cleo de Pesquisas em Ci?ncias Biol?gicas, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A conjuga??o de SUMO aos substatos alvo ocorre atrav?s de um mecanismo an?logo ao da ubiquitina, pela a??o sequencial de tr?s classes de enzimas: E1 ativadora (Aos1-Uba2), E2 conjugadora (Ubc9) e E3 ligases (PIAS, Polycomb2 e RanBP2). SUMO ? sintetizada como um precursor inativo, que requer processamento por proteases espec?ficas (SENPs). A conjuga??o de SUMO ? uma modifica??o revers?vel e transit?ria. As mesmas enzimas que convertem SUMO em sua forma madura tamb?m catalisam a clivagem dos seus substratos. A reconstitui??o da via de sumorila??o em Schistosoma mansoni, baseado em busca por homologia utilizando banco de dados dispon?veis, mostra a exist?ncia de 9 genes envolvidos com esta via: dois genes para SUMO (Smsmt3b/c), um para E1 (Smaos1-uba2), um para E2 (Smubc9), dois para E3 (Smpias e Smranbp2) e dois para SENPs (Smsenp1/7). Neste trabalho, os n?veis de express?o destes genes foram quantificados utilizando o m?todo de qRT-PCR e RNA total obtidos a partir de cerc?ria, verme adulto e esquistoss?mulos de 3,5 horas a 7 dias de cultivo in vitro (MTS). Os resultados evidenciaram um padr?o de express?o g?nica diferencial para todos os genes analisados. Vale ressaltar que os n?veis de transcritos foram 3 vezes maiores em MTS-3...

Uma contribui??o ao estudo do processo de projeto de seguran?a contra inc?ndio baseado em desempenho.

Mattedi, Domenica loss
Fonte: Programa de P?s Gradua??o em Engenharia Civil. Departamento de Engenharia Civil, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s Gradua??o em Engenharia Civil. Departamento de Engenharia Civil, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Investigar e compreender os princ?pios do m?todo de projeto baseado em desempenho aplicado ao projeto de seguran?a contra inc?ndio de edifica??es consiste no foco principal desta pesquisa. O performance-based design (PBD) vem sendo estudado intensivamente e utilizado em boa parte do mundo desenvolvido com vistas ? evolu??o do sistema prescritivo de seguran?a contra inc?ndio, sistema tradicionalmente utilizado em projetos. A discuss?o acerca da filosofia de projeto baseado em desempenho evidencia uma outra possibilidade de tratar as solu??es e as medidas de seguran?a contra inc?ndio sob o enfoque avan?ado da Engenharia de Inc?ndio. Diversos pa?ses hoje se encontram na vanguarda da utiliza??o do PBD, tend?ncia mundial ao paradigma tradicional prescritivo. Uma an?lise do grau de prescritividade das normas t?cnicas, regulamentos e instru??es t?cnicas brasileiras foi elaborada, segundo metodologia pr?pria descrita no texto, com o objetivo de avaliar sua influ?ncia no processo de projeto de seguran?a contra inc?ndio e, assim, verificar a viabilidade de implanta??o de sistemas de normas baseadas em desempenho no contexto nacional. Esta pesquisa discute ainda a viabilidade de implanta??o da filosofia de projeto PBD no ?mbito dos processos de projeto utilizados no Pa?s ? seq?encial e simult?neo. Finalmente...

A cria??o absurda segundo Albert Camus.

Pimenta, Danilo Rodrigues
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Este trabalho pretende mostrar a concep??o camusiana de cria??o absurda. Para isso, inicialmente mostramos a rela??o tensa entre homem e mundo e suas poss?veis conseq??ncias. Em um segundo momento, focamos em ilustra??es de vidas absurdas, representadas por Don Juan, pelo ator e pelo conquistador. Em um terceiro momento, discorremos sobre a cria??o art?stica enquanto den?ncia da confronta??o do homem com a absurdidade da exist?ncia. Al?m de O mito de S?sifo, utilizamos outras obras de Camus, como O estrangeiro e Discours de Su?de. Portanto, discutimos o absurdo, a rejei??o do suic?dio, a op??o camusiana de manter o absurdo e a cria??o art?stica como uma atitude coerente face ao problema do absurdo __________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: The following study intends to show the Camus? concept of absurd creation. For that, initially we show the tense relation between man and world and its possible consequences. In a second moment, we focus illustrations of absurd lives, represented by Don Juan, by the actor and by the conqueror. In a third moment, we discuss the artistic creation while denunciation of the confrontation of the man with the absurdity of the existence. Besides The Myth of Sisyphus...

Do g?nio rom?ntico ao ?Esp?rito Livre? (Nietzsche e a forma??o dos homens).

Silva, Marcelo Alessandre Muniz Gon?alves da
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Do g?nio rom?ntico ao ?Esp?rito Livre? (Nietzsche e a forma??o dos homens) O presente trabalho tem por objetivo espec?fico estudar as transforma??es nas propostas nietzschianas para a forma??o dos homens (Bildung) a partir de uma vis?o de conjunto de sua obra, buscando pensar os elementos nela presentes que ainda hoje possam reservar interesse para n?s em vista de tal horizonte. Para tanto, ocupamo-nos principalmente com o percurso que vai da concep??o do g?nio rom?ntico ? proposi??o do esp?rito livre. Como visada geral, procuramos contemplar a possibilidade de configurar um modelo formativo desej?vel para o nosso tempo, orientado pelas contribui??es do pensamento de Nietzsche, segundo uma perspectiva que sup?e a vida como fonte e origem para todos os valores humanos. __________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: The present dissertation has as its specific objective the study of the transformations in nietzschians? purposals for the men formation (Bildung), starting from a global view of his works, aiming to think which are the elements inside it that still remain interesting for us considering those horizons. To accomplish it...

Para uma rela??o art?stica consigo: a quest?o do sujeito nos ?ltimos escritos de Michel Foucault.

Lima, D?bora Chaves de
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Filosofia. Departamento de Filosofia, Instituto de Filosofia, Artes e Cultura, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Este estudo tem sua origem nas reflex?es de Foucault sobre a ?est?tica da exist?ncia?, mais especificamente, na quest?o do sujeito moral enquanto um ?compositor? de sua pr?pria vida. A partir dos ?ltimos escritos de Foucault, esse trabalho pretende apresentar a problematiza??o sobre o sujeito mantendo como pontos importantes da quest?o a liberdade, a verdade e o poder. __________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: This study has its origin in the thoughts of Foucault on the "aesthetics of existence", more specifically, the question of the moral subject as a "composer" of his own life. From the Foucault?s last writings, this work intends to present the questioning on the subject keeping as important points of the issue freedom, truth and power.

O desenvolvimento do pensamento e da linguagem alg?bricos no ensino fundamental: an?lise de tarefas desenvolvidas em uma classe do 6? ano.

Veloso, D?bora Silva
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Educa??o Matem?tica. Departamento de Matem?tica, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Educa??o Matem?tica. Departamento de Matem?tica, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A ?lgebra, apesar de seu valor ineg?vel na forma??o matem?tica do cidad?o, figura como uma das ?reas que oferece grandes dificuldades para professores e alunos. Uma das explica??es apresentadas pela literatura nacional e internacional ? o fato de seu ensino ser predominantemente mec?nico e desprovido de sentido para os alunos. Outra ? a ?nfase excessiva no simbolismo em detrimento do desenvolvimento do pensamento alg?brico. Tais leituras e reflex?es levaram-nos construir, desenvolver e analisar um conjunto de tarefas envolvendo padr?es e sequ?ncias com o prop?sito de investigar como alunos iniciantes no estudo de ?lgebra lidariam com as mesmas e responder a seguinte quest?o de investiga??o: Que contribui??es uma proposta de ensino baseada na percep??o e generaliza??o de padr?es e sequ?ncias pode trazer para o desenvolvimento do pensamento alg?brico e da linguagem alg?brica em alunos que se iniciam no estudo da ?lgebra? A pesquisa aconteceu em uma classe do 6? ano do Ensino Fundamental de uma escola privada de Belo Horizonte (MG). Sete tarefas foram desenvolvidas nos hor?rios regulares das aulas de Matem?tica. Esse estudo...

Conserva??o do gravatazeiro Rhopornis ardesiacus (Wied 1831) (Aves: Thamnophilidae): distribui??o geogr?fica, estrat?gia de forrageamento, densidade e estimativa populacional.

Luiz, Edson Ribeiro
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A distribui??o geogr?fica das esp?cies n?o ? produto do acaso. V?rios fatores geogr?ficos e ecol?gicos determinam a presen?a ou a aus?ncia de um determinado t?xon em um ponto geogr?fico qualquer. Assim, conhecer a distribui??o das esp?cies amea?adas de extin??o ? um passo fundamental para se tomar medidas de conserva??o das mesmas. Nesse trabalho foram estudados aspectos da distribui??o geogr?fica do gravatazeiro (Rhopornis ardesiacus), esp?cie de Thamnophilidade end?mica do Brasil e amea?ada de extin??o, com gera??o de um modelo de distribui??o potencial para sua ocorr?ncia. Com os resultados desse estudo R. ardesiacus passa a ser conhecido de 12 localidades, distribu?das em cinco bacias hidrogr?ficas e quatro tipologias vegetacionais. A distribui??o geogr?fica da esp?cie ? limitada por duas barreiras geogr?ficas (rios Jequitinhonha e Paragua?u) e duas ecol?gicas (florestas ombr?filas densas e savanas est?picas do tipo Caatinga). A extens?o de ocorr?ncia do gravatazeiro foi estimada em 19550 Km 2 e a ?rea de ocupa??o atual em 1200 Km 2 , sugerindo que, com base apenas no crit?rio distribui??o geogr?fica, a esp?cie deva ser inserida na categoria Vulner?vel de amea?a de extin??o. Com os dados do modelo de distribui??o potencial indicaram-se 13 localidades ainda n?o investigadas ornitologicamente...

Atrito Interno em a?os inoxid?veis austen?ticos contendo martensita induzida por deforma??o.

Santos, Tiago Felipe de Abreu
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Foi objetivo deste trabalho estudar o comportamento do amortecimento de vibra??es mec?nicas de a?o inoxid?vel austen?tico tipo ABNT 304 contendo diferentes tipos e quantidades de martensitas induzidas por deform a??o. Ensaios de tra??o foram realizados em corpos de prova do a?o inoxid?vel austen?tico, em temperaturas no intervalo de ?50 a 20?C e quantidades de deforma??o verdadeira de 3 a 12 %, com a finalidade de se obterem diferentes quantidades de fases martens?ticas dos tipos ? (hexagonal compacta) e ?? (c?bica de corpo centrada). As martensitas induzidas por de forma??o foram caracterizadas quanto a sua morfologia, distribui??o e quantidade por meio de an?lises metalogr?ficas, dilatometria, e foram medidas com um ferritosc?pio. As temperaturas de transforma??es reversas, ??? e ?? ??, foram determinadas por ensaios dilatom?tricos. O comportamento de amortecimento de vibra??es mec?nicas em fun??o da temperatura, para diferentes quantidades de martensitas presentes no a?o inoxid?vel austen?tico, foi avaliado por meio de medidas realizadas em um p?ndulo de tor??o invertido, na faixa de temperaturas de 40 a 400?C. Foi determinado que a quantidade de martensita ?? aumenta continuamente com a deforma??o para uma mesma temperatura e diminui com a eleva??o de temperatura para uma deforma??o constante. Por outro lado...

Avalia??o e caracteriza??o de membranas de celulose microcristalina regenerada para uma potencial aplica??o em cicatriza??o de feridas cr?nicas

Lemos, Elke Margareth Fernandes
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Este trabalho ? parte de um estudo que pretende usar a celulose microcristalina (MCCR) no processo de cicatriza??o de feridas cr?nica. Para avaliar sua microestrutura, a MCCR foi caracterizada atrav?s de FTIR, DRX e MEV. A caracteriza??o biol?gica foi tamb?m realiz ada para verificar seu grau de citoxicidade e al?m desses foram ainda avaliados o ?ndice de degrada??o e o de intumescimento da celulose imersa em tamp?o fosfato de s?dio (PBS) e em simulador de fluido corp?reo (SBF). Os resultados mostraram um si gnificante percentual de degrada??o da MCCR assim como uma importante toler?ncia no contato celular. A biocompatibilidade da MCCR foi estabelecida atrav?s de testes de citotoxicidade e confirmada atrav?s de an?lises do MEV. E foi verificado o comportamento da MCCR atrav?s de uma modifica??o qu?mica, a qual n?o apresentou mudan?as significativas na degrada??o e manteve o mesmo comportamento de intumescimento em rela??o ? MCCR original. __________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: This work is part of a study aiming at the use of regenerate microcrystalline cellulose (MCCR) in the process of cicatrizat ion of chronic wounds. In order to evaluate its microstructure...

Avalia??o da drenagem de l?quidos do cadinho do alto-forno 2 da ArcelorMittal Tubar?o atrav?s de modelagem f?sica e matem?tica.

Santos, Erick Torres Bispo dos
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A t?cnica de modelagem f?sica a frio tem sido empregada com sucesso para simula??o de processos industriais de fabrica??o de gusa e/ou a?o, tais como alto-forno, carro torpedo, RH, convertedor LD, distribuidor e muitos outros. O escoamento de gusa e esc?ria tem fun??o important?ssima na zona inferior do alto-forno, tanto no comportamento operacional como no prolongamento de sua vida ?til. O fluxo de l?quidos no cadinho pode ser caracterizado de forma qualitativa e quantitativa usando-se grupos adimensionais com o foco de garantir a similaridade din?mica entre o modelo e o equipamento real. ? sabido que este fluxo sofre influ?ncia da permeabilidade do leito no interior do reator, da vaz?o gasosa realizada atrav?s das ventaneiras (raceway), do ritmo de produ??o e pelo perfil do alto-forno (cuba, ventre, rampa e cadinho). Informa??o adicional a respeito dos fluxos t?rmicos e do perfil de distribui??o de temperatura, bem como o detalhamento relativo ao fluxo de metal no leito poroso (deadmam, homem-morto) pode ser obtido pela utiliza??o de modelos matem?ticos. O tratamento do problema via modelagem f?sica e matem?tica s?o complementares e se poss?vel devem ser aplicados em conjunto. Na opera??o de um alto forno n?o s?o raras as flutua??es em seu processo...

Caracteriza??o das costaneiras da madeira de eucalitpto para uso na ind?stria moveleira

Leite, Maria Rachel Menezes
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Caracteriza??o das costaneiras da madeira de eucalitpto para uso na ind?stria moveleira No processo de industrializa??o da madeira de eucalipto, a exemplo de outras madeiras, o desperd?cio pode ultrapassar 50% do volume da tora. No desdobro prim?rio, que visa separar a madeira ?til do res?duo, ocorre a remo??o das quatro costaneiras, t?buas com uma face plana e outra curvil?nea, onde se encontra o alburno e parte do cerne. Este material n?o ? utilizado como madeira serrada por duas raz?es principais: a presen?a do alburno, mais suscet?vel ao ataque de xil?fagos e sua forma at?pica, fora dos padr?es e das t?cnicas usuais de desdobro. Este trabalho teve como objetivo realizar estudos das propriedades f?sicas e mec?nicas das costaneiras de eucalipto, visando sua utiliza??o como madeira serrada na ind?stria moveleira, evitando o desperd?cio de mat?ria prima com possibilidade de uso efetivo e com grande potencial econ?mico. Foram utilizadas madeiras das esp?cies E.grandis e E.urophylla, com dezessete anos de idade, provenientes de plantios comerciais da CAF ? Companhia Agr?cola e Florestal Santa B?rbara Ltda. Os ensaios experimentais foram desenvolvidos no Laborat?rio de Testes F?sicos do CETEC ? Funda??o Centro Tecnol?gico de Minas Gerais e tamb?m no Laborat?rio de Estruturas de Madeira da Universidade Federal de Minas Gerais. De acordo com os resultados obtidos neste estudo...

Estudo da biolixivia??o e da lixivia??o qu?mica de um concentrado sulfetado de zinco.

Pina, Pablo dos Santos
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A biolixivia??o ? uma tecnologia j? consolidada na ind?stria m?nero-metal?rgica e ? aplicada com sucesso no tratamento de min?rios refrat?rios de ouro e na recupera??o de cobre contido em min?rios marginais e rejeitos. Entretanto, os processos biotecnol?gicos possuem uma cin?tica mais lenta, quando comparados a processos qu?micos tradicionalmente empregados no processamento de sulfetos met?licos (lixivia??o direta e lixivia??o sob press?o). A biolixivia??o pode ser associada aos processos de lixivia??o direta (LD) e lixivia??o sob press?o (LSP) reduzindo o consumo de oxig?nio e aumentando a capacidade de produ??o dos reatores. Neste trabalho, foram estudadas: a biolixivia??o, em presen?a de microrganismos mes?filos e acid?filos (Acidithiobacillus sp.), e a lixivia??o qu?mica de um concentrado sulfetado de zinco. Durante os ensaios de biolixivia??o foram avaliados os efeitos do pH (entre 1,50 e 2,50), da concentra??o de ?on ferroso (entre 0 e 5g/L) e da concentra??o de ?on f?rrico (entre 0 e 5g/L) tanto sobre o percentual de extra??o de zinco quanto sobre a velocidade de crescimento do microrganismo. A concentra??o de ?on ferroso em solu??o...

Estudo do mecanismo de forma??o de v?rtice durante a etapa de vazamento do a?o da panela para o distribuidor do lingotamento cont?nuo da CST atrav?s da modelagem f?sica.

Santos, Sandro de Souza
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Um modelo em acr?lico na escala de 1:7 foi utilizado para simular as condi??es de processamento do a?o na CST ? Companhia Sider?rgica de Tubar?o na etapa de vazamento do a?o da panela para o distribuidor do lingotamento cont?nuo de placas, avaliando as condi??es mais propicias ao surgimento do v?rtice e contramedidas para mitig? -lo de forma reduzir o volume residual de a?o na panela . O modelo foi operado utilizando ?gua como fluido de trabalho e seguindo o crit?rio de similaridade de Froude. O momento da inser??o da segunda fase ? nestes experimentos o ar ? no canal de vazamento foi determinado com aux?lio de sensores foto - el?tricos e, para permitir uma avalia??o precisa do rendimento, o material residual foi pesado. Vari?veis como tipo de fluxo residual imposto por v?rias rotas de processamento comuns na CST, a vaz?o de drenagem, al?m de dispositivos antiv?rtice criados e transplantados da literatura foram avaliados atrav?s da modelagem f?sica. Os fluxos residuais gerados por reatores RH ou IRUT, a altura inicial de l?quido e outras vari?veis n?o mostraram influ?ncia na vari?vel resposta Volume Residual de l?quido na panela, indicando que o fluxo de a?o era interrompido pela capacidade de abastecimento radial do canal de sa?da ? Colapso da superf?cie. Como tal...

Microestrutura e propriedades mec?nicas de recobrimentos qu?micos de Ni-P.

Sade, Wagner
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Os efeitos dos tratamentos t?rmicos na microestrutura e nas propriedades mec?nicas os recobrimentos qu?micos de Ni-P t?m despertado interesses para diversas aplica??es. V?rias delas ocorreram nos setores de energia de petr?leo e g?s, minero-metal?rgico e a ind?stria t?xtil para atender ? crescente demanda por melhores propriedades mec?nicas. Esses recobrimentos t?m sido empregados principalmente para resistir em condi??es de desgaste, em situa??es de corros?o e para substitui??o dos revestimentos de cromo, cujo preparo ? prejudicial ? sa?de humana e ao meio ambiente. A escassez de resultados na literatura quanto ?s propriedades de elasticidade e tenacidade de recobrimentos Ni-P e sua ades?o sobre a?o motivaram este trabalho. Recobrimentos de Ni-P com 8 e 10%P em peso e com espessura de 13,5?m, foram depositados em a?o ABNT 1020 e tratados termicamente entre 300?C e 650?C por 1 hora. A identifica??o e estudo da evolu??o de fases desses recobrimentos em fun??o da temperatura de tratamento t?rmico foram realizadas com an?lises de difra??o de raios X. An?lises no microsc?pio eletr?nico de varredura (MEV) constataram a precipita??o de fosfetos de n?quel com o aumento da temperatura. Ap?s as medidas de dureza Knoop (H) empregou-se a rela??o E/H para calcular o m?dulo de elasticidade (E) dos recobrimentos. Verificou-se que a dureza (10...

Mineralogia, calcina??o e nova classifica??o tipol?gica de min?rios de mangan?s s?lico-carbonatados.

Viana, N?vea Cristina da Silva
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O min?rio de Morro da Mina ? formado por silicatos e carbonato de mangan?s, com predomin?ncia dos silicatos. Foram realizadas an?lises de BET, umidade, granulometria, qu?mica, mineralogia, PPC, calcina??o e tamboramento para amostras tipol?gicas de Morro da Mina classificadas em granulado e sinter feed. Os minerais min?rio encontrados s?o rodocrosita, rodonita, tefro?ta, alabandita, espessartita e os minerais ganga s?o grafita, anfib?lio, micas e alguns sulfetos. Os silicatos rodonita e tefro?ta possuem tamanhos m?dio de 0,58mm enquanto os demais cerca de 0,15mm. O min?rio de primeira possui maior participa??o em peso de carbonato seguido pelo min?rio de segunda e com propor??o menor o min?rio de terceira. Nos tr?s tipos a rodocrosita e a tefro?ta tendem a se concentrar no granulado e no sinter e a espessartita e os minerais ganga tendem a se concentrar na fra??o de pellet feed, abaixo de 0,15mm. Foram observadas algumas correla??es diretas como: teor de rodocrosita e PPC; teor de espessartita e Al 2O3 ; conte?do de silicatos de mangan?s e SiO 2 . O processo de calcina??o foi eficaz ? temperatura de 900?C para todas as amostras. As amostras calcinadas nesta temperatura apresentaram enriquecimento em teor de mangan?s na ordem de 4% e gera??o de finos pr?xima de 14%. Foi proposto um novo crit?rio de classifica??o do min?rio s?lico-carbonatado de acordo com a propor??o da rodocrosita...

Obten??o de rutina de Dimorphandra sp.: do processamento dos frutos ? obten??o de extrato enriquecido.

Santos, Elis?ngela Aparecida Macedo
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A rutina ? um flavon?ide empregado na ind?stria farmac?utica para fabrica??o de medicamentos que atuam na circula??o sangu?nea. ? extra?da em grande parte de frutos de esp?cies nativas do Cerrado Brasileiro. As esp?cies mais empregadas s?o conhecidas como fava d?anta (Dimorphandra mollis e Dimorphandra gardneriana). Os frutos s?o coletados verdes, e ap?s secos, s?o vendidos para as ind?strias que os processam, extraindo e comercializando principalmente a rutina, al?m de seus derivados. O Brasil atualmente exporta a maior parte da produ??o interna de extrato de fava d?anta e importa formula??es farmac?uticas contendo rutina e seus derivados na forma pura. Os objetivos do trabalho foram estudar a influ?ncia do sistema de secagem dos frutos e da granulometria do p? dos frutos no teor de rutina; desenvolver e avaliar t?cnica de extra??o de rutina com solventes pouco t?xicos; e avaliar a varia??o de rutina entre plantas de diversas proced?ncias em Minas Gerais. Os frutos verdes foram coletados e submetidos a quatro sistemas de secagem, determinado-se o teor de umidade durante o processo. Ap?s a secagem...

Otimiza??o de vari?veis no processamento de chapas grossas em laminador de desbaste

Novais, Eduardo Judice de
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Atualmente o processo de lamina??o para fabrica??o de chapas grossas em laminador desbastador da Companhia ARCELORMITTAL Tubar?o ? feito com placas de aproveitamento, isto ?, comdesvios de qualidade que impedem sua aplica??o na produ??o de bobinas, por?m permite ainda a sua utiliza??o para a produ??o de chapas grossas. O fato de ser produzido somente nos momentos ociosos da linha de produ??o faz com que n?o interfira negativamente na produtividade do equipamento. No presente experimento foram utilizadas placas sem desvio de qualidade para a lamina??o com espessura inicial de 250 mm, visando um produto de 100 mm de espessura e 1880 mm de largura, por ser este um produto de alta aceita??o no mercado. As chapas foram processadas industrialmente no laminador de desbaste da ArcelorMittal, com a utiliza??o de diferentes valores de fator de forma, mantendo-se fixa a temperatura de extra??o daschapas do forno e aplicando-se um maior resfriamento da chapa utilizando -se a descarepa??o em todos os passes durante o processo de conforma??o e ap?s este. Foram utilizados ensaios de tra??o para a avalia??o dos limites de escoamento e de resist?ncia, do alongamento total , assim como ensaios de ultrassom para a verifica??o da sanidade interna das chapas ao longo da espessura. Para as chapas processadas com 5 passes de lamina??o e 15 passes de resfriamento...

Oxida??o dos a?os AIS I 304 e AIS I 439 em alta temperatura e rela??o da difus?o do cromo e do oxig?nio com o crescimento do filme de Cr2O.

Resende, Fernando C?sar Teixeira
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Um estudo comparativo do comportamento da oxida??o em elevada temperatura em a?os inoxid?veis AISI 304 e AISI 439 foi realizado entre 850 ?C e 950 ?C, em atmosferas de ar ou de ar ?mido. As amostras de 10mm x 10mm x 0,6mm foram polidas com pasta de diamante, e submetidas ? oxida??o em uma termobalan?a com sensibilidade de ?1?g. Os tratamentos isot?rmicos foram executados por 50h. A caracteriza??o qu?mica e microestrutural da superf?cie oxidada foram realizadas por SEM (scanning electronic microscopy), por EDS (energy dispersive spectroscopy) e por XPS (X-ray photoelectron spectroscopy). A taxa de oxida??o do a?o AISI 304 ? menor em ar ?mido, a 850 ?C, mas, acima desta temperatura, sua taxa de oxida??o em ar ?mido ? maior do que no ar seco. Nesta temperatura, em ambas atmosferas, foi formado no a?o AISI 304 um filme protetor de Cr2O3, cuja cin?tica de crescimento seguiu uma lei parab?lica. Entretanto, a 900?C e a 950?C, em ar ou em ar ?mido, a oxida??o parab?lica do AISI 304 ocorre em duas etapas: a primeira corresponde ? forma??o de Cr2O3, e a segunda etapa ? relacionada ? forma??o de uma pel?cula externa de ?xido de ferro, que aumenta consideravelmente a taxa de oxida??o do a?o. A transi??o da camada de Cr2O3 para Fe2O3 foi observada tamb?m em um estudo precedente da oxida??o deste a?o na atmosfera de oxig?nio. Em todas as temperaturas...

Reologia e microestrutura na estabiliza??o de suspens?es concentradas de Al2O3.

Silva, Jos? Geraldo da
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Produtos cer?micos provenientes de suspens?es concentradas de Al2O3necessitam que as mesmas sejam estabilizadas para que possam atender ?s crescentes exig?ncias de performance. As suspens?es estudadas neste trabalho s?o, usualmente, empregadas na obten??o de folhas cer?micas pelo processo de colagem de folhas cer?micas (Tape Casting). Part?culas, quando em suspens?o, desenvolvem cargas superficiais. Quando estas part?culas entram em choque umas com as outras pode acontecer o fen?meno da agrega??o, gerando estruturas floculadas que aprisionam ?gua em seu interior, o que resultaria num produto final poroso e conseq?entemente de baixa resist?ncia mec?nica e at? mesmo qu?mica. Estabilizar uma suspens?o concentrada ? fazer com que a resultante entre as for?as atrativas de van der Waals e as for?as repulsivas, entre duplas camadas el?tricas igualmente carregadas ou decorrentes da adi??ode material polim?rico na superf?cie das part?culas, seja repulsiva. Os par?metros de avalia??o da estabilidade das suspens?es concentradas de Al2O3, aqui utilizados, foram o potencial zeta e a viscosidade. Foram, tamb?m, propostos novos par?metros, a saber: 1) estruturas milim?tricas, 2) microestruturas e 3) histerese nas curvas de viscosidades. Neste trabalho foram feitas suspens?es concentradas de Al2O3que variavam de 40% a 70%...

Avalia??o da toxicidade do antimoniato de meglumina.

Kato, Kelli Cristina
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
No Brasil, o antimoniato de meglumina, medicamento ? base de antim?nio, ? o f?rmaco de primeira escolha na terap?utica da leishmaniose. O alto custo do tratamento ? um desafio que deve ser ultrapassado e que justifica a busca por alternativas terap?uticas. Assim, a disponibilidade de produtos sint?ticos pode facilitar economicamente estudos de f?rmacos antimoniais pentavalentes e propiciar o desenvolvimento de novos medicamentos; por isto dois simples e eficientes m?todos de obten??o de antimoniato de meglumina, utilizando como fonte de antim?nio V SbCl 5 (produto AM) ou KSb (OH) 6 (produto AM1), foram desenvolvidos por Demicheli e cols. (1999-PI 9907575-0 e 2001-PI 0106305-7), e v?m sendo aplicados em diferentes estudos, uma vez que a an?lise dos mesmos mostrou similaridade com o f?rmaco comercial (Glucantime?) (Demicheli et al., 2003). No entanto, mesmo sendo os antimoniais f?rmacos empregados a muito tempo no tratamento da leishmaniose mostrando elevada efetividade, induzem efeitos adversos ap?s sua aplica??o, tais como: anormalidades no eletrocardiograma e nos n?veis de transaminases, pancreatite e nefrotoxicidade. Neste contexto...