Últimos itens adicionados do Acervo: Universidade Federal de Ouro Preto

A Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) é uma universidade pública brasileira mantida pelo governo federal do Brasil. Foi criada em 21 de agosto de 1969 a partir da incorporação de duas centenárias instituições de ensino superior: a Escola de Farmácia fundada em 1839 e a Escola de Minas fundada em 1876, ambas localizadas em Ouro Preto, Minas Gerais.

Página 6 dos resultados de 429 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Efeito de tratamentos isot?rmicos ?s temperaturas de 475?C e 850?C na microestrutura e na resist?ncia ? fadiga de um a?o inoxid?vel duplex UNS S32304.

Reis, Thompson Junior Avila
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia de Materiais. Rede Tem?tica em Engenharia de Materiais, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s-Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Os a?os inoxid?veis duplex s?o uma classe de a?os inoxid?veis com microestrutura bif?sica constitu?da de ? e ? em fra??es volum?tricas aproximadamente iguais. Esta classe tem conquistado grande interesse da ind?stria e suas principais aplica??es incluem equipamentos e estruturas para ind?stria petroqu?mica, nuclear, aliment?cia, de papel e outras. Suas caracter?sticas desej?veis incluem boa resist?ncia ? corros?o em diversos meios e elevada resist?ncia mec?nica se comparada ?s ligas das demais classes de a?os inoxid?veis. Mas o uso dos a?os inoxid?veis duplex est? limitada a estreita faixa de temperaturas entre -50?C e aproximadamente 300?C. Isto devido ao fato dos a?os inoxid?veis duplex apresentarem comportamento fr?gil abaixo de -50?C e serem suscet?veis ? precipita??o de fases indesej?veis na faixa de temperaturas entre 300?C e 1000?C. Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de tratamentos isot?rmicos a 475?C e a 850?C nas propriedades mec?nicas, principalmente quanto ? resist?ncia ? fadiga, de um a?o inoxid?vel duplex UNS S32304. Para tal, ensaios mec?nicos de tra??o, impacto e medi??es de dureza foram realizados para constatar os efeitos de poss?veis altera??es microestruturais devido aos tratamentos isot?rmicos propostos nas propriedades mec?nicas b?sicas da liga. Al?m dos ensaios de fadiga...

Produ??o e modifica??o de carv?es ativados a partir de mat?rias-primas de baixo custo: osso bovino e cascas de sementes de moringa.

Souza, Juber Pereira de
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
As propriedades adsortivas de um carv?o dependem fundamentalmente da mat?ria-prima utilizada na sua fabrica??o e do tipo de processo de ativa??o empregado. Portanto, carv?es produzidos a partir de baga?o de cana, de serragem, de casca de c?co, de casca de sementes e de res?duos ?sseos bovinos podem apresentar caracter?sticas muito distintas. Este trabalho avaliou carv?es produzidos a partir de 2 tipos de mat?rias-primas: res?duos ?sseos bovinos (BC) e casca de sementes de Moringa ole?fera (S). Os carv?es BC foram modificados com adi??o de fontes de carbono como etanol, sacarose e piche de alcatr?o e os carv?es S foram modificados quimicamente por lavagem ?cida (Sa) e, posteriormente, lavagem com per?xido de hidrog?nio (Sp). Na primeira parte os carv?es BC foram caracterizados fisicamente quanto ? ?rea superficial (B.E.T.), n?mero de iodo (NI), remo??o de azul de metileno (AM) e textura (MEV). O carv?o BC puro apresentou ?rea superficial de 119 m?.g-1, NI igual a 151 mg.g-1 e AM de 40%. O carv?o BC tratado com etanol apresentou ?rea de 876 m?.g-1, NI igual a 194 mg.g-1 e AM de 93%, indicando boa deposi??o de carbono a partir do etanol. Numa segunda parte foram caracterizados os carv?es produzidos a partir da casca da semente de Moringa oleifera triturada. Os carv?es de moringa (S) apresentaram ?rea superficial relativamente alta...

Aplica??o do modelo de autodepura??o de qualidade das ?guas QUAL-UFMG estudo de caso sub-bacia do Rio Piracicaba.

Mour?o J?nior, Polynice Rabello
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Sustentabilidade S?cio-econ?mica e Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Sustentabilidade S?cio-econ?mica e Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A modelagem da qualidade de ?gua, atrav?s da utiliza??o de modelos matem?ticos, ? uma das ferramentas mais poderosas no auxilio na gest?o dos recursos h?dricos em uma bacia hidro-gr?fica. Os modelos matem?ticos s?o capazes de simular diferentes cen?rios de desenvolvi-mento na bacia, levando em conta tanto fontes pontuais quanto difusas de polui??o. Um mo-delo calibrado com dados reais pode, inclusive, permitir interven??es em locais, definindo locais onde se devem concentrar esfor?os por meio da simula??o de cen?rios. O objetivo prin-cipal desta disserta??o foi a aplica??o e calibra??o do modelo de qualidade de ?gua utilizan-do-se do modelo modificado QUAL-UFMG na bacia do Rio Piracicaba, MG, modelando o OD, DBO, serie nitrogenada, f?sforo (org?nico e inorg?nico) e coliformes termotolerantes. Para tal, foi efetuado o ajustamento dos coeficientes das equa??es que comp?em o modelo, propiciando a avalia??o atendimento aos padr?es ambientais e a disponibiliza??o de uma fer-ramenta para avalia??o de aloca??o de cargas futuras para o Comit? de Bacia do Rio Piracica-ba- MG. As 12 esta??es de qualidade de ?gua operadas pelo projeto ?guas de Minas, para a bacia do rio Piracicaba-MG, forneceram os dados que foram utilizados tanto para a calibra??o como para a valida??o do modelo. Por tentativa e erro...

Avalia??o da efic?cia da descontamina??o de res?duos biol?gicos do subgrupo A1 por tratamento t?rmico em autoclave a vapor: um estudo de caso.

Galv?o, Maria Aparecida
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O tratamento t?rmico dos res?duos infectantes do subgrupo A1 ? indispens?vel para garantir uma disposi??o final ambientalmente correta e segura para os funcion?rios que os manipulam, tendo em vista que, alguns micro-organismos patog?nicos podem permanecer vi?veis, inclusive no solo, por per?odos de at? 180 dias. Este trabalho objetivou verificar a efic?cia da descontamina??o dos res?duos infectantes gerados em laborat?rios de microbiologia que realiza diagn?stico e monitoramento das doen?as de interesse a sa?de p?blica, ap?s tratamento pr?vio pelo m?todo de autoclava??o. Visou ainda observar o gerenciamento destes res?duos na institui??o. Para alcan?ar os objetivos propostos realizou-se uma pesquisa de campo alicer?ada em dois estudos de caso, ambos realizados no Laborat?rio Central de Sa?de P?blica de Minas Gerais, que tem descrito e aprovado em seu Plano de Gerenciamento dos Res?duos Servi?os de Sa?de o tratamento preliminar dos res?duos do subgrupo A1 por autoclava??o. Os res?duos foram submetidos ao processo de autoclava??o a 121?C por 40 minutos e 127?C por 30 minutos. Para investigar a efic?cia da descontamina??o utilizou-se um bioindicador termorresistente (suspens?o de esporos de Bacillus stearotermophilus - ATCC 7953) que...

Estimativa de eros?o e sua rela??o com os diferentes mecanismos erosivos atuantes: estudo da vo?oroca Vila Alegre.

Cherobin, Salete Fany
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O distrito de Cachoeira do Campo, Ouro Preto/MG, se destaca pela presen?a de um n?mero significativo de vo?orocas, que se distribuem ao redor do n?cleo urbano chamando aten??o pelas graves consequ?ncias ambientais e sociais que esse tipo de evento propicia. Sabe-se que o processo de eros?o ? um dos mais graves tipos de degrada??o ambiental, que pode se manifestar em sulcos ravinas e vo?orocas. Estas ?ltimas podem ser consideradas de grande poder destrutivo, pois envolvem diferentes mecanismos relacionados entre si que atuam de forma intensa, desagregando os solos e inutilizando grandes extens?es de terras. Sua forma??o e evolu??o est?o diretamente relacionadas aos fluxos de ?gua de superf?cie e subsuperf?cie, estes promovem diferentes mecanismos conforme o local de sua atua??o e com isso geram fei??es que permanecem como testemunhos do processo de eros?o. Dessa forma, a pesquisa ? proposta tendo em vista a signific?ncia do processo de eros?o sua localiza??o em ?rea urbanizada e sua reativa??o. Para tanto, buscou-se estimar o avan?o da vo?oroca Vila Alegre, por meio de fotografias a?reas de diferentes datas (1960/1986/2003), utilizando-se de fotointerpreta??o e geoprocessamento. Posteriormente relacionou-se o est?gio atual com os diferentes mecanismos atuantes. Estes demonstraram um papel significativo no avan?o da incis?o...

Cultivo de Bact?rias redutoras de sulfato (BRS) e sua aplica??o na remo??o de sulfato e ars?nio utilizando p? de penas de galinha como substrato org?nico.

Costa, Patr?cia Freitas
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Ambiental. PRO?GUA, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A presen?a de ars?nio (As) em efluentes industriais e em ?guas de consumo representa um grande risco aos organismos vivos. A remo??o desse metal?ide ? realizada usualmente por meio de processos f?sico-qu?micos e mais raramente por processos biol?gicos. Neste trabalho, foi empregada uma metodologia biol?gica alternativa baseada no cultivo de bact?rias redutoras de sulfato (BRS), foi testado tamb?m um material residual de baixo custo ainda pouco explorado, o p? comercial de penas de galinha. Tal material foi avaliado quanto ao seu potencial em ser utilizado simultaneamente como fonte de mat?ria org?nica para o crescimento de BRS e material suporte s?lido para imobiliza??o de ars?nio trivalente (As3+). Os experimentos em batelada e em condi??es semi-cont?nuas compararam a efici?ncia de remo??o de sulfato e As3+ na presen?a de dois substratos org?nicos distintos: lactato de s?dio e/ou p? de penas de galinha. Em batelada, a remo??o de As3+ aumentou consideravelmente quando o p? de penas foi acrescido ao sistema, de 38% para aproximadamente 80%, com concentra??o inicial de 4mg.L-1. A condi??o semi-cont?nua foi testada utilizando um reator de fluxo ascendente, operado por 202 dias, no qual se obteve remo??o de sulfato e As3+ de aproximadamente 84% e 98%...

Biologia comportamental e estudo da osteologia e miologia dos membros de Phyllomedusa ayeaye B. Lutz (1966) (Anura, Hylidae).

Monteiro, Vinicius Silva
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Phyllomedusa ayeaye B. Lutz (1966) foi descrita a partir de sete exemplares coletados em Morro do Ferro, distrito de Po?os de Caldas, Minas Gerais. A popula??o presente no Parque Estadual do Itacolomi foi inicialmente descrita como P. itacolomi tendo sido posteriormente sinomizada com P. ayeaye e constituiu o objeto deste estudo. As esp?cies do g?nero Phyllomedusa habitam preferencialmente ambientes providos de riachos e vegeta??o arbustiva. Esses anuros caminham, saltam e se reproduzem sobre galhos de ?rvores ou arbustos, devido a um conjunto de adapta??es dos membros locomotores. Caracter?stica marcante desse g?nero ? o polegar opositor presente nos membros anteriores e posteriores e, ainda, os m?os e os p?s serem grandes em rela??o ao corpo. Os animais estudados vivem numa drenagem tempor?ria, em ?rea de campo rupestre, no Parque Estadual do Itacolomi. A vegeta??o da ?rea ? constitu?da predominantemente por gram?neas, substrato utilizado na locomo??o de P. ayeaye, havendo um n?mero reduzido de suportes utilizados para a forma de locomo??o t?pica da maioria dos Phyllomedus?neos. No presente estudo, s?o analisados diversos aspectos do comportamento reprodutivo e as posturas corporais adotadas por P. ayeaye em diferentes situa??es...

Ciliados planct?nicos e epibent?nicos do Rio das Velhas e tribut?rios, MG: ecologia e uso potencial para bioindica??o da qualidade das ?guas.

Mendon?a, Henrique S?vio Santos de
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A bacia hidrogr?fica do rio das Velhas sofre grandes impactos antr?picos como intensa atividade mineradora e altas cargas de efluentes dom?sticos e industriais ao longo de todo o seu percurso. Utilizando-se da comunidade de protistas ciliados planct?nicos como objeto de estudo, o presente trabalho objetivou principalmente conhecer as respostas estruturais desta comunidade frente ?s varia??es nos n?veis de polui??o h?drica de trechos da bacia do rio das Velhas durante os per?odos de chuva (out/2009) e seca (jul/2010) utilizando o Sistema Sapr?bico. Os resultados da qualidade das ?guas na rede amostrada, constitu?da por 23 esta??es de coleta, foram compilados a partir da base de dados do IGAM (2009, 2010). Foi estudada a comunidade de ciliados planct?nicos e epibent?nicos do rio das Velhas e tribut?rios, MG, Brasil por meio do estudo qualitativo e quantitativo da comunidade distribu?das nas regi?es do alto, m?dio e baixo curso do rio. Utilizou-se para os ciliados planct?nicos a t?cnica de impregna??o quantitativa pelo proteinato de prata denominada QPS ? Quantitative Protargol Stain e observa??es in natura para os epibent?nicos, fazendo-se uso de t?cnicas de impregna??o por prata na identifica??o dos mesmos. Foram identificadas 45 esp?cies de protistas ciliados planct?nicos...

Composi??o, etnoecologia e etnotaxonomia de serpentes no Vale do Para?ba, Estado de S?o Paulo.

Portillo, Jos? Thales da Motta
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O Brasil abriga uma grande diversidade de serpentes. O Estado de S?o Paulo possui as principais cole??es zool?gicas de serpentes neotropicais e ? uma das regi?es mais estudadas do pa?s. O objetivo do trabalho foi reunir a informa??o relativa ? composi??o de esp?cies de serpentes dos munic?pios de Roseira, Taubat? e Lagoinha, a fim de analisar os aspectos ecol?gicos dessa fauna relacionados ao hist?rico de uso da terra na regi?o. Foram consultados os acervos cient?ficos de serpentes do Instituto Buntatan e do Museu de Zoologia da Universidade de S?o Paulo e realizadas coletas em campo, com buscas ativas na ?rea de estudo. Ao todo, foram encontradas 30 esp?cies para a ?rea de estudo. As tr?s esp?cies mais abundantes nas cole??es zool?gicas foram Crotalus durissus terrificus (n=274, 52,9%); Bothrops jararaca (n=99, 19,1%) e Xenodon merremii (n=33, 6,2%). Em campo foram B. jararaca (n=15, 20,27%%), Helicops modestus (n=12, 16,22%) e C. d. terrificus (n=12, 16,22%). As esp?cies do levantamento s?o comuns aos biomas da Mata Atl?ntica e do Cerrado e tendem a ocupar ?reas abertas, utilizando substrato terr?cola. O ?ndice de Simpson foi 0,47 para a esp?cie C. d. terrificus, com maior frequ?ncia relativa nas amostras. Os impactos antr?picos podem ter afetado a composi??o das esp?cies de serpentes...

Perfil nutricional e bioqu?mico de alcoolistas frequentadores do CAPSad de Ouro Preto, Minas Gerais.

Toffolo, Mayla Cardoso Fernandes
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Sa?de e Nutri??o. Escola de Nutri??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Sa?de e Nutri??o. Escola de Nutri??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A presente disserta??o esta apresentada em tr?s artigos que contemplaram os seguintes objetivos: avaliar o estado nutricional e cl?nico de alcoolistas (artigo 1); avaliar os n?veis de leptina de acordo com o padr?o de uso de ?lcool e o tempo de abstin?ncia (artigo 2) e avaliar a fissura e o consumo de alimentos em alcoolistas ap?s tr?s meses de tratamento (artigo 3). Artigo 1: trata-se de um estudo transversal com 65 pacientes alcoolistas requentadores do Centro de Apoio Psicossocial aos usu?rios de ?lcool e outras drogas (CAPSad) de Ouro Preto-MG. Os participantes foram divididos de acordo com o padr?o de uso do ?lcool (NA- n?o abstinentes; A2- abstinentes at? 3 meses; A3- abstinente por 4 meses ou mais). Al?m do question?rio s?cio-demogr?fico, tamb?m foram aplicados os question?rios SADD (Short Alcohol Dependence Data) e o ASSIST (Alcohol Smoking and Substance Involvement Screening Test) para conhecimento do grau de depend?ncia alco?lica e do poliuso de drogas, respectivamente. O perfil bioqu?mico e nutricional foi avaliado atrav?s de exames bioqu?micos e avalia??o antropom?trica. A adequa??o das calorias e nutrientes da alimenta??o fornecida na institui??o tamb?m foi analisada. Foi alto o percentual de participantes com depend?ncia alco?lica grave (67...

Aspectos da biologia de Melipona quinquefasciata Lepeletier (Manda?aia do ch?o), caracter?sticas f?sico-qu?micas do mel, recursos alimentares e leveduras associadas.

Cala?a, Paula de Souza S?o Thiago
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Os melipon?neos constituem um grupo de abelhas eussociais bem diversificado que ocorre principalmente em pa?ses da regi?o Tropical. Melipona quinquefasciata pertence a este grupo e ocorre na parte sul do Estado do Cear?, na Bahia, Piau?, Pernambuco, sul do Estado do Esp?rito Santo at? o Rio Grande do Sul. Conhecida como manda?aia-do-ch?o, a esp?cie diferencia-se das demais do g?nero por nidificar no subsolo. O estudo foi desenvolvido no Parque Estadual Veredas do Perua??, uma ?rea de Cerrado no norte de Minas Gerais. O objetivo deste trabalho foi descrever a biologia da nidifica??o de Melipona quinquefasciata por meio da avalia??o dos recursos florais utilizados, caracterizar as propriedades f?sico-qu?micas do mel e verificar a diversidade e a abund?ncia de leveduras associadas ? esp?cie. A t?cnica de transfer?ncia dos ninhos naturais para caixas de cria??o racional modelo Uberl?ndia obteve sucesso e pode ser utilizada para o manejo desta esp?cie. Melipona quinquefasciata mostrou-se uma esp?cie generalista, por?m com prefer?ncia por determinadas fam?lias e esp?cies bot?nicas. As principais fontes de n?ctar foram: Anacardiaceae (Anacardium cf. humile)...

Composi??o flor?stica e distribui??o vertical de ep?fitas vasculares sobre indiv?duos de Guapira opposita (Vell.) Reitz (Nyctaginaceae) em um fragmento florestal na Serra da Br?gida, Ouro Preto, MG.

Ferreira, Mariana Terr?la Martins
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Ep?fitas correspondem a 10% do total de plantas vasculares e desempenham importante fun??o na flora e ecologia das florestas tropicais. Considerando que existem poucos estudos realizados em h?bitats relativamente secos como as florestas estacionais, o objetivo desse estudo foi analisar a riqueza, abund?ncia e o padr?o de distribui??o vertical da comunidade epif?tica sobre indiv?duos de Guapira opposita (Vell.) Reitz, em um fragmento de floresta estacional semidecidual no Parque Natural Municipal das Andorinhas, sudeste do Brasil. Todas as esp?cies de ep?fitas vasculares sobre as ?rvores hospedeiras foram registradas. Os for?fitos foram divididos em tr?s estratos (fuste, copa interna e copa externa) e as esp?cies epif?ticas ocorrentes em cada for?fito receberam notas de acordo com sua abund?ncia. Foram amostrados 332 for?fitos sobre os quais foram registradas 35 esp?cies de ep?fitas pertencentes a nove fam?lias e 28 g?neros. As fam?lias mais ricas foram Polypodiaceae (10 esp?cies), Orchidaceae (oito esp?cies) e Bromeliaceae (sete esp?cies). Microgramma squamulosa (Kaulf.) de la Sota foi a esp?cie com maior valor de import?ncia epif?tico deste levantamento. A categoria ecol?gica mais numerosa foi holoep?fita facultativa com 18 esp?cies. A riqueza e abund?ncia de esp?cies epif?ticas apresentou correla??o significativa e positiva com o CAP do for?fito. A ocorr?ncia das esp?cies epif?ticas n?o diferiu significativamente entre os estratos dos for?fitos. __________________________________________________________________________________________; ABSTRACT: Ten percent of all vascular plants are epiphytes and they play an important role in the flora and ecology of the tropical rain forests. Considering a few studies which have been performed in relatively dry habitats such as seasonal forests...

Arquitetura a?rea de Lychnophora ericoides Mart. (Asteraceae) em complexos rupestres de quartzito e canga do Quadril?tero Ferr?fero, sudeste do Brasil.

Bueno, Amauri Pires
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Introdu??o e objetivos: Arquitetura a?rea vegetal pode ser definida como a organiza??o tridimensional dos componentes da planta no espa?o e ? resultado da combina??o de fatores gen?ticos e ambientais. N?o existe uma morfologia ideal ?nica e sim diferentes solu??es morfol?gicas ?s particularidades ambientais. Nossos objetivos foram verificar se arquitetura a?rea de L. ericoides varia em resposta a diferentes condi??es ed?ficas e entender como sua forma se relaciona com sua reprodu??o. ? M?todos: Oito popula??es, igualmente distribu?das, em complexos rupestres de quartzito e canga foram amostradas no Quadril?tero Ferr?fero. An?lises geoqu?micas e granulom?tricas foram realizadas para investigar poss?veis diferen?as nas caracter?sticas nutricionais dos solos oriundos de ambos os complexos. Oito par?metros morfom?tricos (altura do ramo principal, altura m?xima, di?metro do ramo principal, altura da primeira ramifica??o, di?metro da copa, n?mero de ramos secund?rios e terci?rios, n?mero de infloresc?ncias e ?rea foliar estimada) foram mensurados em 160 indiv?duos adultos de L. ericoides. Uma an?lise discriminante foi usada para separar arquitetonicamente as plantas em fun??o de seu habitat. A densidade e potencial reprodutivo estimado foram calculados para cada uma das popula??es. Regress?o linear m?ltipla e ANCOVA foram usadas para verificar as rela??es entre forma e reprodu??o das plantas. ? Resultados: Os solos dos complexos rupestres de canga se mostraram nutricionalmente mais f?rteis e apresentaram o dobro de part?culas de argila quando comparado a solos de complexos rupestres de quartzito. As plantas puderam ser discriminadas arquitetonicamente em fun??o do habitat sugerindo que a plasticidade fenot?pica de L. ericoides esteja relacionada com as diferen?as nutricionais do solo. N?o foram observadas diferen?as significativas nas densidades populacionais. Por outro lado...

Infloresc?ncias da holoparasita de ra?zes Langsdorffia hypogaea (Balanophoraceae) como recurso chave para uma fauna generalista na esta??o seca.

Freitas, Luana da Silva
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ecologia de Biomas Tropicais. Departamento de Biodiversidade, Evolu??o e Meio Ambiente, Instituto de Ci?ncias Exatas e Biol?gicas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Plantas que se reproduzem no per?odo de baixa disponibilidade de recursos s?o importantes para a manuten??o temporal de polinizadores e herb?voros. Foi testada a hip?tese de que as infloresc?ncias de Langsdorffia hypogaea s?o recursos-chave para parte da fauna em florestas sazonais por surgirem na esta??o seca e emitirem variados recursos em ?poca de escassez. ? esperada a exist?ncia de mecanismos para minimizar a herbivoria e otimizar a poliniza??o. A reprodu??o da planta foi estudada em 2010 e 2011, em rela??o a sua dura??o, padr?o fenol?gico, sincronia populacional e correla??o com a pluviosidade. Baseado na morfologia floral e no comportamento dos animais visitantes procurou- se averiguar a potencial s?ndrome de poliniza??o e levantar ind?cios de poss?veis polinizadores e predadores. Ap?s o t?rmino do per?odo reprodutivo ocorrido em 2009 e 2010, os rizomas foram escavados para an?lise da estrat?gia reprodutiva (monocarpia ou policarpia). A flora??o ? anual, de mar?o a setembro, abrangendo todo o per?odo de seca e parte do chuvoso. Houve sincronia populacional na flora??o de 2011 e emiss?o de bot?es em ambos os anos, sendo este correlacionado com a pluviosidade. A mortalidade p?s evento reprodutivo sugere monocarpia (N= 21). As infloresc?ncias s?o morfologicamente distintas...

Avalia??o do desempenho da barragem da usina hidrel?trica Governador Parigot de Souza (Capivari-Cachoeira).

Seara, Roberto Werneck
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Geot?cnica. N?cleo de Geotecnia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Geot?cnica. N?cleo de Geotecnia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Dentre as vinte barragens de propriedade da Companhia Paranaense de Energia (COPEL), a barragem da Usina Hidrel?trica Capivari-Cachoeira oficialmente denominada Governador Parigot de Souza (GPS) em opera??o plena desde 26.09.72, ? a ?nica constitu?da por uma estrutura de terra homog?nea e enrocamento, fato que sempre demandou uma maior aten??o em rela??o ?s demais, principalmente quanto ao seu comportamento e desempenho. Dentro deste contexto, e a partir de documentos antigos pesquisados e resgatados, este trabalho inicialmente apresenta uma revis?o hist?rica da concep??o do projeto da barragem, com descri??o dos estudo s de op??es para implanta??o do eixo, das caracter?sticas geol?gicas e geot?cnicas do s?tio, abordando os crit?rios de projeto estabelecidos para a sua constru??o e especifica??es t?cnicas, com ?nfase para os par?metros geot?cnicos adotados para o projeto e para os c?lculos de estabilidade. A pesquisa e tratamento da grande quantidade de dados de instrumenta??o armazenados permitiram entender com detalhes o sistema de ausculta??o instalado e seu desempenho ao longo das quase quatro d?cadas de opera??o, identificando as oportunidades de melhorias para o adequado monitoramento da estrutura. Por fim, com aux?lio de programas computacionais e tratamentos estat?sticos dos valores registrado s na instrumenta??o instalada...

Dimensionamento de um pavimento experimental para o tr?fego de caminh?es fora-de-estrada em planta de mina.

Ferreira, Rafael Magno
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Geot?cnica. N?cleo de Geotecnia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Engenharia Geot?cnica. N?cleo de Geotecnia, Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Muitas estradas de mina em complexos mineradores de ferro s?o concebidas sem qualquer crit?rio de dimensionamento, em compara??o a rodovias de tr?fego comum. Al?m disso, s?o executadas de forma emp?rica, compreendendo basicamente etapas de aterro, espalhamento e compacta??o no teor de umidade natural do est?ril de min?rio de ferro, principal material da superestrutura vi?ria. No entanto, esses procedimentos n?o contemplam a compacta??o dos materiais em camadas, nem tampouco um controle tecnol?gico de campo. A ?compacta??o? ? obtida apenas superficialmente, por ocasi?o da passagem de ve?culos do tipo fora-de-estrada, durante opera??es convencionais de produ??o da mina. Aliados a dispositivos de drenagem inadequados e ineficientes, os resultados indesej?veis s?o di versos: enfraquecimento precoce da plataforma da estrada, perda de agregados, forma??o de buracos, trilhas e corruga??es, gera??o excessiva de material particulado (na aus?ncia de chuvas) ou lama (em per?odos chuvosos). Tais problemas se agravam ainda mais quando da condu??o de t?cnicas equivocadas de manuten??o, que compreendem processos rotineiros de raspagem do leito com motoniveladoras, impactando sensivelmente na redu??o de vida ?til do pavimento. Esta pesquisa se desenvolveu nesta tem?tica...

A??o do resveratrol e das tinturas das cascas e das folhas de Vitis labrusca L. var. Isabel na hiperlipidemia induzida em coelhos.

Fonseca, Karina Zanoti
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
As doen?as cr?nicas n?o transmiss?veis acometem milh?es de pessoas em todo o mundo e seu principal fator de risco ? a hiperlipidemia. A terapia medicamentosa para a hiperlipidemia pode envolver efeitos colaterais que dificultam a ades?o ao tratamento. Assim, somando-se ao grande potencial fitoter?pico que algumas plantas do territ?rio brasileiro possuem e o incentivo da fitoterapia no Sistema ?nico de Sa?de, ? necess?rio investigar novas formas de tratamento. Neste trabalho investigou-se o efeito do resveratrol e das tinturas das cascas e das folhas da uva Vitis labrusca L. var. Isabel em coelhos com hiperlipidemia induzida. Os animais utilizados foram fornecidos pelo setor de Cunicultura do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Vi?osa, sendo 72 coelhos da ra?a Nova Zel?ndia, machos, albinos, com idade de 55 dias e peso de 2000 g, divididos em 12 grupos, sendo um doente sem tratamento, um controle, atorvastatina (medicamento utilizado como padr?o) e outros 9 grupos que receberam tr?s doses crescentes de resveratrol, tintura das cascas e das folhas. Os animais foram tratados diariamente durante 60 dias, juntamente com a dieta acrescida de 1% de colesterol. Os par?metros sangu?neos: colesterol total; HDL; triglic?rides; Gama GT; creatinina; ?cido ?rico; ur?ia; TGO; TGP...

Estudo descritivo do consumo referido de psicof?rmacos em Ouro Preto Minas Gerais (2006).

Fontes, Renata Aparecida
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Farmac?uticas. CIPHARMA, Escola de Farm?cia, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A farmacoepidemiologia em sa?de mental ? incipiente no Brasil. Trabalhos sobre este tema contribuem para a discuss?o sobre a problem?tica de acesso ?s terapias farmacol?gicas dos transtornos mentais, pois permitem entender rela??o de sua utiliza??o com as dimens?es s?cio-demogr?ficas e pol?ticas p?blicas de sa?de. Por isso torna-se importante determinar a preval?ncia e fatores associados ao uso de psicof?rmacos e neste trabalho este procedimento foi realizado pela popula??o residente na zona urbana de Ouro Preto, Minas Gerais. Este foi um inqu?rito epidemiol?gico do tipo transversal com base populacional, por meio de question?rios censit?rios padronizados e testados cujos dados est?o em banco digital. Crit?rios de inclus?o: question?rios que continham ao menos um psicof?rmaco. Os medicamentos foram classificados segundo ATC e realizou-se an?lise estat?stica descritiva para as vari?veis s?cio-demogr?ficas. Foram coletadas informa??es de 24.169 habitantes. A preval?ncia estimada foi de 4,18% (n=1012). Subgrupos terap?uticos mais referidos: psicol?pticos (n=767; 49,1%), psicoanal?pticos (n=540; 34,6%), antiepil?pticos (n=213; 13...

Avalia??o da participa??o de receptores do tipo toll na indu??o de resposta imune por Lactobacillus delbrueckii UFV H2b20 .

Freitas, Leonardo Santos de
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Biol?gicas. N?cleo de Pesquisas em Ci?ncias Biol?gicas, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Biol?gicas. N?cleo de Pesquisas em Ci?ncias Biol?gicas, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
O uso de bact?rias probi?ticas como adjuvantes de vacinas tem sido considerado uma importante estrat?gia para o aumento de efic?cia desta ferramenta de combate ?s mais diversas patologias. Trabalhos recentes realizados com o candidato a adjuvante, Lactobacillus delbrueckii UFV H2b20, demonstraram sua capacidade de induzir, in vitro, a produ??o das citocinas pr?-inflamat?rias IFN-?, TNF-? e IL-12 por esplen?citos de camundongos BALB/c e c?lulas mononucleares do sangue perif?rico humano. Apesar da indu??o destas citocinas caracter?sticas de uma resposta imune TH1, esta estirpe bacteriana foi incapaz de proteger camundongos BALB/c da infec??o por L. braziliensis, sugerindo uma poss?vel regula??o do processo inflamat?rio. A partir destes dados, decidiu-se caracterizar o perfil de resposta induzido por L. delbrueckii em esplen?citos de diferentes linhagens de camundongos, no intuito de compreender os mecanismos envolvidos no controle da resposta. Neste sentido, verificamos que o est?mulo L. delbrueckii morto pelo calor determinou a produ??o de citocinas pr? e antiinflamat?rias, e tamb?m das quimiocinas CCL2 e CXCL10, sugerindo que esta prepara??o ? capaz de induzir o recrutamento de macr?fagos e c?lulas NK. Avaliou-se tamb?m a participa??o dos receptores do tipo Toll...

Efeito do bloqueio do receptor de IL-10 na resposta imune contra Leishmania amazonensis.

Amaral, Joana Ferreira do
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Biol?gicas. N?cleo de Pesquisas em Ci?ncias Biol?gicas, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Ci?ncias Biol?gicas. N?cleo de Pesquisas em Ci?ncias Biol?gicas, Pr?-Reitoria de Pesquisa e P?s Gradua??o, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
A avalia??o do papel da IL-10 na leishmaniose ? de extrema import?ncia, pois sendo uma citocina anti-inflamat?ria, inibe a a??o de IFN-ge NO, que t?m papel importante na elimina??o do parasita e no controle da les?o. O papel da IL-10na infec??o por L.(L.) amazonensis foi avaliado in vivo neste trabalho tratando-se camundongos C57BL/6, suscet?veis ? essa esp?cie de Leishmania, comanticorpos monoclonais anti-receptor de IL-10(a-IL-10R) na fase inicial da infec??o. Como controle de tratamento inoculamos um grupo de animais com IgG total de rato na mesma dose usada para o anticorpoa-IL-10R(0,5mg/animal/dose) e mantivemos outro grupo sem nenhum tratamento. Os animais tratados coma-IL-10R, ap?s 3semanas de infec??o, apresentaram perfil histopatol?gico, produ??odeTNFequantifica??odeparasitas semelhanteaos grupos controle, com exce??o da produ??o de IFN-g produzido por c?lulas mononucleares de linfonodo de camundongos tratados com a-IL-10R, que apresentaram quantidades dessa citocina superiores aos animais controles. Em rela??o aos animais sacrificados 12 semanas ap?s a infec??o, o curso da infec??o, o parasitismo e a produ??o de citocinas foram semelhantes para todos os grupos. Em rela??o ? an?lise histol?gica, observamos um maior infiltrado inflamat?rio e um parasitismo tecidual ligeiramente mais acentuado no grupo tratado coma-IL-10 R em rela??o aos controles. Dessa forma...