Página 1 dos resultados de 257 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Adolescentes: autoimagem e nivel social e económico

Ribeiro, Maria Isabel; Correia, Teresa; Martins, Matilde
Fonte: Ordem dos Enfermeiros Publicador: Ordem dos Enfermeiros
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
274.04164%
Premiado: 1º. Lugar; São vários os fatores que podem influenciar o processo de formação da imagem corporal entre eles, o género, a idade, nível social e económico. Este estudo tem como objetivo analisar as relações entre o nível social e económico e a autoperceção da imagem corporal em adolescentes. Métodos: Investigação de natureza transversal. Após solicitada a autorização de participação aos responsáveis pelos adolescentes, foram distribuídos, no ano letivo 2010/2011, em contexto de sala de aula, 320 questionários a estudantes, com idades compreendidas entre os 10 e os 15 anos, que frequentavam o 2º ciclo de escolaridade de uma Escola localizada no Concelho de Vila Nova de Gaia, Porto. Para avaliar a perceção da autoimagem corporal utilizou-se a Escala de Silhuetas proposta por Tiggemann & Wilson-Barret (1998). O nível social e económico foi determinado através da Classificação Social Internacional estabelecida por Graffar. Dos adolescentes que participaram nesta investigação, 77 eram do género feminino. Uma parte significativa dos adolescentes apresentou sobrepeso (24,2%) ou obesidade (18,3%). Os resultados permitiram verificar que a imagem corporal esteve associada ao género (Χ2= 54,121; p= 0...

Adolescentes:autoimagem e nível social e económico

Ribeiro, Maria Isabel; Correia, Teresa; Martins, Matilde
Fonte: CESPU, CRL: Cooperativa de Ensino superior Politécnico e Universitário Publicador: CESPU, CRL: Cooperativa de Ensino superior Politécnico e Universitário
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
274.04164%
São vários os fatores que podem influenciar o processo de formação da imagem corporal entre eles, o género, a idade, nível social e económico. Este estudo tem como objetivo analisar as relações entre o nível social e económico e a autoperceção da imagem corporal em adolescentes. Métodos: Investigação de natureza transversal. Após solicitada a autorização de participação aos responsáveis pelos adolescentes, foram distribuídos, no ano letivo 2010/2011, em contexto de sala de aula, 320 questionários a estudantes, com idades compreendidas entre os 10 e os 15 anos, que frequentavam o 2º ciclo de escolaridade de uma Escola localizada no Concelho de Vila Nova de Gaia, Porto. Para avaliar a perceção da autoimagem corporal utilizou-se a Escala de Silhuetas proposta por Tiggemann & Wilson-Barret (1998). O nível social e económico foi determinado através da Classificação Social Internacional estabelecida por Graffar. Dos adolescentes que participaram nesta investigação, 77 eram do género feminino. Uma parte significativa dos adolescentes apresentou sobrepeso (24,2%) ou obesidade (18,3%). Os resultados permitiram verificar que a imagem corporal esteve associada ao género (Χ2= 54,121; p= 0,046 <0,05), ao Índice de Massa Corporal (Χ2=48...

Construindo o (auto) exílio: trajetória de Abdias do Nascimento nos Estados Unidos, 1968-1981; Constructing the (self) exile: trajectory of de Abdias do Nascimento in the Estados Unidos, 1968-1981

Custodio, Tulio Augusto Samuel
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/01/2012 Português
Relevância na Pesquisa
274.04164%
A presente dissertação trata sobre a trajetória de Abdias do Nascimento durante o período de seu autoexílio nos Estados Unidos, entre 1968 e 1981. Na pesquisa, verificamos a hipótese que preconiza ser esse momento decisivo para mudança da autoimagem do autor, que sai do Brasil como artista e retorna como liderança do ativismo negro internacional. Investigamos os fatos e experiências do autor no período, passando pelas atividades, redes pessoais e sua participação em diversos congressos e seminários internacionais. A pesquisa é delineada em dois eixos: discurso e imagem. Discurso envolve a abordagem de Nascimento acerca de cultura negra e sua crítica à democracia racial, que articulariam uma interlocução com elementos conceituais transnacionais, presentes no discurso negro no âmbito internacional. Em relação à imagem, tentamos abordar como o autor, a partir de sua discurso ideológico e atuação, reconstrói sua autoimagem, projetando em seu retorno a posição de liderança negra do ativismo internacional e de pensador da diáspora. Para tanto, analisamos as obras artísticas e políticas do período, bem como elementos anteriores tratados pela literatura sociológica, para evidenciar as formas dessa reconstrução.; This dissertation deals with the trajectory of Abdias do Nascimento during his selfexile period in the United States...

Efeitos da meditação na autoimagem de idosos; Meditation effects on elderly self image

Regis, Claudia Emi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/10/2014 Português
Relevância na Pesquisa
386.3819%
O crescimento do número de idosos no Brasil nos confronta com o desafio de olhar para o envelhecimento de forma diferente. No que concerne à Psicologia, tal exercício é essencial para (re)pensarmos a prática ampliando-a à população idosa. Tendo como hipótese a ocorrência de mudanças na imagem corporal e considerando o possível conflito mente-corpo no envelhecimento, o estudo teve como objetivo avaliar os efeitos de uma prática de meditação na autoimagem de idosos analisando conteúdo verbal e conteúdo gráfico; foi utilizado um roteiro de entrevista e o Procedimento de Desenho-Estória com Tema (Vaisberg, 1999); foi solicitado aos participantes que realizassem o desenho de uma pessoa idosa, que foi comparado com suas respostas sobre percepção do envelhecimento/velhice. Os dados foram analisados antes e depois da intervenção do curso de meditação. O referencial psicanalítico serviu como base para a análise dos dados, que considera a existência de aspectos inconscientes e a presença de mecanismos de defesa permeando o funcionamento psíquico. Os instrumentos permitiram visualizar diferenças entre os dados, com contradição no teor das respostas gráficas e verbais; os resultados mostraram essencialmente mudanças significativas referentes aos desenhos; o conteúdo verbal permaneceu praticamente o mesmo nos dois momentos; nas características gráficas houve expansão...

Mapeando os valores subjetivos dos gerentes de relacionamento em negociações bancárias

Pegorer Junior, Alcides
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
279.73715%
No contexto de um mercado tão competitivo, ter equipes bem preparadas e alocadas adequadamente é fundamental para a sobrevivência das empresas. O presente estudo objetiva identificar o reflexo na satisfação dos clientes e nos resultados das empresas, a partir do conhecimento das pessoas que trabalham na linha de frente dessas empresas, aqueles profissionais que exercem um papel importante de negociação, identificando o que eles valorizam subjetivamente em uma negociação. Por meio da ferramenta SVI (Subjective Value Inventory), desenvolvida por Curhan et al (2006), a partir das dimensões de autoimagem independente e interdependente, busca-se identificar os valores subjetivos dos negociadores de um banco de varejo brasileiro, responsáveis por parte significativa das negociações e dos resultados da empresa, relativamente aos sentimentos sobre si mesmos (Self), aos resultados instrumentais, e ao processo e relacionamento (Rapport), utilizando a confiança interpessoal como moderadora nessa relação. Após identificados os valores subjetivos desses negociadores em negociação, relacionar os resultados encontrados com a satisfação dos clientes. Para isso, foi realizada uma pesquisa quantitativa, com a aplicação de um questionário fechado e estruturado a 532 negociadores desse banco que atuam nos estados de Santa Catarina...

Qualidade de vida, autoestima e autoimagem dos dependentes químicos

Silveira,Camila da; Meyer,Carolina; Souza,Gabriel Renaldo de; Ramos,Manoella de Oliveira; Souza,Melissa de Carvalho; Monte,Fernanda Guidarini; Guimarães,Adriana Coutinho de Azevedo; Parcias,Sílvia Rosane
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2013 Português
Relevância na Pesquisa
283.5954%
Estudo de corte transversal que objetivou investigar a qualidade de vida, a autoestima e a autoimagem dos dependentes químicos do Instituto São José, São José (SC). A amostra por acessibilidade foi composta de 100 pacientes do sexo masculino com média de idade de 43,0 ± 10,7 anos, que estudaram 8,4 ± 3,7 anos, sendo 48% casados, estando internados ou em tratamento por um período mínimo de sete dias. Os dependentes químicos quando não internados moram com esposas e filhos (23%), são casados (48%), empregados (72%); fazem parte do estrado B (58%); já fizeram algo que se arrependem em suas vidas (57%) e percebem a saúde como boa (57%). Quanto à qualidade de vida, o domínio ambiental obteve o maior escore (65%) e o psicológico o menor (58%). Todos os pacientes tomavam medicamentos e possuíam autoestima e a autoimagem baixas (77% e 96% respectivamente). Observou-se, por meio de regressão logística, a ausência de interferência da qualidade de vida sobre a autoestima e a autoimagem dos dependentes químicos. A qualidade de vida positiva não interferiu para mudanças na baixa autoestima e autoimagem dos dependentes químicos.

Postura corporal, voz e autoimagem em cantores líricos

Mello,Ênio Lopes; Ballestero,Luiz Ricardo Basso; Silva,Marta Assumpção de Andrada e
Fonte: Escola de Música da UFMG Publicador: Escola de Música da UFMG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 Português
Relevância na Pesquisa
279.73715%
A consciência corporal é um pré-requisito imprescindível na manutenção da postura e na elaboração da gestualidade vocal e corporal para os cantores líricos. O objetivo desse estudo foi discutir sobre as relações entre signos posturais e vocais com a autoimagem em cantores líricos. Para tanto, foi realizada uma discussão semiológica baseada na Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Filosofia, Psicologia e Artes, principalmente canto. Essa discussão foi estruturada em três tópicos: A) Singularidade e percepção corporal; B) Imagem e expressão; C) Postura, voz e autoimagem. Considerações finais: a expressão e a imagem corporal são figuradas por meio da conscientização da postura e do movimento corporal, portanto todo movimento é expressivo. Toda expressão tem efeito na imagem corporal, logo, toda nova percepção da expressão produzirá alteração na autoimagem. Dessa forma, o cantor lírico altera a percepção de si mesmo, a cada nova interpretação e institui novos signos para os gestos e para as posturas corporais.

Relação entre estado nutricional, adiposidade corporal, percepção de autoimagem corporal e risco para transtornos alimentares em atletas de modalidades coletivas do gênero feminino

Kravchychyn,Ana Claudia Pelissari; Silva,Danilo Fernandes da; Machado,Fabiana Andrade
Fonte: Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 Português
Relevância na Pesquisa
274.04164%
O objetivo do presente estudo foi analisar se há associação entre a autoimagem corporal, risco para transtornos alimentares, adiposidade corporal e estado nutricional em atletas de modalidades coletivas do gênero feminino. Participaram 45 atletas das modalidades de basquetebol, voleibol, handebol e futsal. Foram aferidas massa corporal, estatura e dobras cutâneas para a determinação do Índice de Massa Corporal (IMC) e percentual de gordura corporal (%G). Os questionários aplicados foram o Body Shape Questionnarie (BSQ) e o Eating Atittudes Test (EAT-26). A análise de associação foi feita pelo teste Qui-quadrado 2×2 e Exato de Fisher (p < 0,05). A média do IMC e %G foram de 22,82 ± 2,73 kg•m-2 e 23,42 ± 5,10%, respectivamente. O BSQ se associou com o IMC (p = 0,001) e com o %G (p = 0,008), já EAT-26 não se associou com as variáveis antropométricas. Conclui-se que atletas em sobrepeso e obesidade possuem maior tendência a distorção da autoimagem corporal, porém não tem propensão para desenvolver transtornos alimentares.

Efeito da prática de trabalhos manuais sobre a autoimagem de idosos

Guedes,Maria Heliana Mota; Guedes,Helisamara Mota; Almeida,Martha Elisa Ferreira de
Fonte: Universidade do Estado do Rio Janeiro Publicador: Universidade do Estado do Rio Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 Português
Relevância na Pesquisa
286.38191%
A população mundial vem envelhecendo com rapidez; assim, a expectativa de vida vem aumentando e as pessoas estão prolongando seus anos de vida. A arte permite ao ser humano a liberação de seus sentimentos e emoções, aumentando a qualidade afetiva das relações interpessoais, pela melhora da comunicação, fortalecimento da autoimagem e redescoberta de potenciais criativos. Este trabalho teve como objetivo investigar de que forma a prática dos trabalhos manuais pode influenciar a autoimagem do idoso. Avaliou-se a arte através de entrevistas semiestruturadas, centradas em questões relacionadas com o envelhecimento e a autoimagem como recurso terapêutico, de criatividade, processo da criação, autoimagem, autoconceito, autoestima, sentimento e emoções. Evidenciou-se que os trabalhos manuais fortaleceram a autoimagem do idoso, através da concretização dos trabalhos, assim como a socialização, minimizando eventuais impactos decorrentes do envelhecimento, e até mesmo permitindo surgir habilidades artísticas e seu aprimoramento. Conclui-se através da categoria benefícios e das subcategorias habilidade mental, socialização e remédio, que as atividades manuais são valiosas ferramentas na recuperação biológica...

Níveis de mal/bem-estar docente, de autoimagem e autoestima e de autorrealização de docentes em uma escola tradicional de Porto Alegre

Dohms, Karina Pacheco
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
279.73715%
A presente pesquisa buscou analisar as possíveis influencias que o mal/bem-estar docente pode provocar no fazer docente, através da coleta de respostas de docentes de uma escola tradicional de Porto Alegre, após o preenchimento de Questionários de Mal-estar Docente, de Autoimagem e autoestima e de Autorrealização. No Referencial teórico são elencados elementos das possíveis causas e consequências do mal-estar docente, hoje mais comum nas instituições de ensino, e as formas de revertê-lo em bem-estar docente. Sabe-se que ser professor, na atualidade, não é tarefa fácil, mas também é, antes de tudo, estar bem preparado para trabalhar com a diversidade, isto é, desde a formação até constantes atualizações. A pesquisa, que é quanti-qualitativa, coletou respostas de 25 docentes, de Educação Infantil ao Ensino Médio, com idades entre 26 e 58 anos, em questionários quantitativamente analisados com Estatística Descritiva e Inferencial, utilizando para a qualitativa a técnica de Análise de Conteúdo de Bardin. Através das respostas fica possível evidenciar que existe um grande nível de estresse entre os professores, que consideram como as principais fontes de pressão: o relacionamento com familiares de alunos; falta de respaldo dos cuidadores; falta de recursos materiais na escola; indisciplina discente; burocracias escolares e trabalhos além da carga horária...

Prática regular de dança: relação com qualidade de vida, autoimagem, autoestima e sintomas depressivos em mulheres pós-menopáusicas de um grupo de convivência

Montenegro, Zilda Maria Coelho
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
279.73715%
Introdução: O aumento da expectativa de vida traz novas demandas no que diz respeito à criação de estratégias para proporcionar um envelhecimento saudável e com melhor qualidade de vida à população. A dança pode ser um desses caminhos, por ser uma atividade de baixo custo e culturalmente aceita.Objetivos: Avaliar a relação entre a prática regular da dança, qualidade de vida, autoimagem e autoestima em mulheres pós-menopáusicas e sintomas depressivos em idosas.Métodos: Ensaio clínico de abordagem quanti-qualitativa, realizado com uma amostra de mulheres pós-menopáusicas de um grupo de convivência na cidade de Bayeux, PB, Brasil. O estudo foi realizado em três etapas, sendo uma avaliação inicial, três meses de intervenção com aulas de dança e uma avaliação final. Foram aplicados os seguintes instrumentos: WHOQOL-bref, Questionário de Autoimagem e autoestima de Stobäus, Escala de Depressão Geriátrica Yesavage, ficha informativa incluindo dados socioeconômicos e de saúde e um questionário com questões abertas. Para comparar médias entre os momentos avaliados, foi utilizado o teste t-Student pareado. Em caso de assimetria, foi aplicado o teste de Wilcoxon. Na avaliação de proporções foi utilizado o teste de McNemar. Foi adotado o nível de significância de 5% (p0...

Grupo de sensibilização e criatividade: espaço de retomada de bem-estar/autoimagem/autoestima de educadores

Castilhos, Daniel Carneiro
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
283.5954%
Este estudo teve como base um “espaço de retomada de bem-estar e de autoimagem/autoestima de educadores” relativizados pelo Método de Grupos de Sensibilização e Criatividade – GSC (Spieker de Oliveira, 2009) e buscou compreender qual a possível contribuição do referido método para bem-estar dos educadores, bem como seus desdobramentos para autoimagem e autoestima. A investigação caracterizada como Estudo de Caso e amparada em paradigma qualitativo construtivista, utilizou na coleta de dados as vivências do GSC, mais especificamente as produções destas vivências tais como: desenhos, dramatizações e textos escritos, bem como o registro de campo do pesquisador. Os dados foram estudados por meio da Análise de Conteúdo proposta por Bardin (2007). Da análise das produções do GSC emergiram cinco categorias, sendo elas: mal-estar - expectativas, uma busca constituinte; redefinir o desamparo pelo laço social: leitura do outro (a escuta); metaforizando-se, leitura de um novo texto/história/discurso; autoimagem como resultante da linguagem – a experiência de leitura pelo espelho e desdobramento do GSC espaço de leitura da autoimagem/autoestima refletida em bem-estar. O estudo evidenciou e relacionou a vida do homem com um texto a ser lido que necessita ser retomado e simbolizado por diferentes linguagens as quais o GSC utiliza como instrumento...

Vivências de docentes e de seus licenciandos no final de formação e passagem para o mundo do trabalho: mal/bem-estar docente/discente, autoimagem e autoestima

Sampaio, Adelar Aparecido
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
279.73715%
Vários estudos têm evidenciado a relevância da investigação de aspectos relativos às etapas de formação na Licenciatura e a transição para a fase inicial na docência, dada a importância que esses dois períodos de formação representam sobre o processo de tornar-se professor, num contexto repleto de adversidades, tensões e de aprendizagens que incidem diretamente sobre o processo de desenvolvimento docente. O objetivo do estudo centra-se no processo de investigação de vivências pessoais e profissionais de licenciandos e professores formadores e a passagem para o mundo do trabalho, no primeiro ano de docência, analisando dados e relatos sobre aspectos de mal/bem estar docente, autoimagem e autoestima, vivenciados nestes dois momentos de formação. A metodologia utilizada caracteriza o estudo como exploratório-descritivo longitudinal, de abordagem qualitativa, desenvolvido em dois momentos: primeiramente participaram 68 licenciandos do último semestre de sua formação de uma instituição privada do Estado do Paraná e seus docentes, em 2012; seguido do acompanhamento de cinco deles, na transição para a vida docente, em seu primeiro ano, em 2013, quando desenvolvemos a continuidade da pesquisa. Nas coletas de dados foram utilizados os instrumentos quantitativos: Questionário Motivação Inicial...

Relação entre índice de massa corporal e a insatisfação com a autoimagem em mulheres praticantes de musculação

Parisotto, Carolina Dias
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
286.38191%
A mulher é constantemente influenciada por fatores socioculturais que as conduzem a apresentar um conjunto de preocupações e insatisfações com sua autoimagem. Esses fatores induzem-nas a se exercitarem, a cuidarem de seus corpos, visando hábitos e cuidados prioritariamente relacionados à aparência visual do corpo. O presente estudo, de caráter descritivo com abordagem correlacional, tem por objetivo verificar as relações entre IMC e a insatisfação com a autoimagem de mulheres praticantes de musculação. Definimos como objetivo específico verificar se tempo de prática e a idade interferem na insatisfação com a autoimagem. Participaram da investigação 58 mulheres da Academia Natacenter, com média de idade de 38±8,92 anos. Para a avaliação da insatisfação corporal utilizou-se o questionário Body Shape Questionnaire (BSQ), os resultados foram classificados sem insatisfação (< 70) em insatisfação leve (70 a 90), moderada (90 a 110) ou intensa (> 110). Foram realizadas as medidas de massa corporal (kg) e estatura (m) para calcular o IMC. Para a categorização dos valores de IMC, adotamos a padronização da Organização Mundial de Saúde: normal (18,5 a 24,9); sobrepeso (25,0 a 29,9); obesa classe I (30,0 a 34...

Autoestima e autoimagem de idosos praticante de hidroginástica

Dantas, Renata Sampaio
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
Português
Relevância na Pesquisa
386.3819%
Este estudo teve como objetivo analisar os aspectos da auto-imagem e auto-estima de idosos praticante de hidroginástica. A população desta pesquisa foi de 20 Idosos praticantes de hidroginástica em um clube de classe alta de Brasília DF. A amostra constou de n= 20 idosos sendo, 15 do sexo feminino e 5 do sexo masculino. Para avaliar a auto-estima e auto-imagem foi utilizado o questionário de Steglich (1978) que foi validado para idosos. Os idosos ativos apresentaram elevada autoimagem e autoestima, estando relacionadas à percepção positiva da aparência física, da capacidade funcional, à satisfação em relação à vida, ás condições financeiras, à aceitação e a adaptação à idade, ao contato social e ao desejo de estudar. Assim, a pratica de ativdade física pode ser um dos fatores positivos sobre a autoimagem e a autoestima dos idosos. Porém, há outros fatores positivos pontados pelo estudo, que colaboram para que estas variáveis sejam positivas. Não foram identificadas diferenças na autoimagem e na autoestima em relação ao sexo e estado civil. Quando comparadas as faixas etária, os mais velhos mostraram maior pontuação na autoestima e na autoimagem.; Atividade Física

Avaliação do IMC com a percepção da autoimagem em mulheres praticantes de atividades em academia

Silva, Thais Medeiros da
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: Texto
Português
Relevância na Pesquisa
386.3819%
A percepção da autoimagem é um importante parâmetro na prática de atividades físicas e pode estar relacionada a vários distúrbios da imagem corporal, desencadeando muitas vezes outras patologias. Esta pesquisa discute a avaliação do IMC com a percepção da imagem corporal por mulheres praticantes do programa de exercícios físicos da academia Vila Verde situada na cidade satélite de Samambaia- DF, identificando, ainda, seus índices de massa corporal (IMC) em relação a autoimagem que contribuem no desenvolvimento dos distúrbios da imagem corporal. Participaram do estudo 42 mulheres com idades entre 20 e 50 anos. A coleta das informações foi realizada por meio de preenchimento do questionário e aferição dos dados antropométricos. As mulheres que participaram do estudo apresentaram um perfil de “ausência” à “leve” possibilidade de desenvolver distorções da autoimagem corporal. Nesse contexto, visando coibir o desenvolvimento de futuras distorções de autoimagem, ressalta-se a importância em buscar o profissional de Educação Física qualificado que relacione a prática de exercícios físico para a saúde e não para fins estritamente estéticos.

Análise da autoimagem corporal relacionado ao IMC de mulhres praticantes de musculação

Oliveira, Hamilton Justino; Silva, Tyago Victor
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
Português
Relevância na Pesquisa
374.04164%
Este estudo teve como objetivo principal analisar a autoimagem corporal relacionada ao Índice de Massa Corporal (IMC) de mulheres praticantes de musculação. Fizeram parte da amostra deste estudo 40 mulheres com a faixa etária entre 18 e 38 anos, praticantes de musculação em uma academia do DF, em um período acima de 03 (três) meses. A amostra desse estudo foi realizada por conveniência. Os procedimentos adotados para a coleta de dados consistiram na utilização da escala de silhueta (Figure Rating Scale) de Stunkard et.al. (1983) para verificar a silhueta que mais se assemelhava e a silhueta ideal, com variações de figuras de 01 a 09 imagens de silhueta. Em seguida o Índice de Massa Corporal (IMC) de cada indivíduo por meio do peso corporal dividido pela altura ao quadrado conforme estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A própria escala possui uma classificação relacionando o IMC ideal para cada silhueta. Os resultados encontrados mostraram que das 40 mulheres que fizeram parte deste estudo, 31 (75,5%) mulheres possuem a consciência da imagem da silhueta atual (S.A) enquanto as outras 09 (22,5%) mulheres encontram-se com a imagem da silhueta atual (S.A) distorcida. Outra informação trata-se das 31 mulheres que se apresentaram ciente de sua (S.A)...

Autoimagem e satisfação corporal dos alunos de uma academia de musculação

Tavares, Leonardo Martins
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
Português
Relevância na Pesquisa
388.4888%
O objetivo deste artigo foi avaliar a autoimagem e a satisfação corporal dos alunos de uma academia de musculação de Taguatinga Norte. Para isso, foi aplicado um questionário junto aos voluntários, no qual participaram 100 mulheres e 100 homens. Para coleta dos dados, foi utilizada a escala de silhuetas proposta por Kakeshita (2008). Os resultados obtidos mostraram que o maior índice de satisfação com a autoimagem foi encontrado nos voluntários com mais de um ano de prática regular de atividade e apenas 17% de todas as mulheres estão satisfeitas com sua autoimagem, diferente dos homens, que teve 44% de satisfação. Conclui-se que os praticantes de atividade física estão insatisfeitos com sua autoimagem. Comparando os grupos, as mulheres apresentam um número maior de insatisfação corporal, quando comparadas com os homens. Que quanto maior é o tempo de prática, independente do sexo, mais satisfeitos os entrevistados estão com a sua autoimagem.; Educação Física

Gordura visceral abdominal, autoimagem e patologias sequentes: revisão da literatura; Abdominal visceral fat, self concept and sequent pathologies – sistematic review

Estevinho, V.; Sousa, N.; Veiga-Branco, Augusta; Antão, Celeste
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde Publicador: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
374.04164%
A autoimagem - perceção pessoal de si - apresenta relação com o perfil físico emergente da Gordura Visceral Abdominal (GVA), tendo como consequência perceções pessoais promotoras de emoções negativas, além de quadros patológicos de caráter metabólico e postural. Estas alterações na imagem, nomeadamente no que respeita à existência de GVA, influenciam não só a saúde física, mas também os relacionamentos interpessoais, a autoestima e autoaceitação.

Qualidade de vida, autoestima e autoimagem dos dependentes químicos

Silveira,Camila da; Meyer,Carolina; Souza,Gabriel Renaldo de; Ramos,Manoella de Oliveira; Souza,Melissa de Carvalho; Monte,Fernanda Guidarini; Guimarães,Adriana Coutinho de Azevedo; Parcias,Sílvia Rosane
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2013 Português
Relevância na Pesquisa
283.5954%
Estudo de corte transversal que objetivou investigar a qualidade de vida, a autoestima e a autoimagem dos dependentes químicos do Instituto São José, São José (SC). A amostra por acessibilidade foi composta de 100 pacientes do sexo masculino com média de idade de 43,0 ± 10,7 anos, que estudaram 8,4 ± 3,7 anos, sendo 48% casados, estando internados ou em tratamento por um período mínimo de sete dias. Os dependentes químicos quando não internados moram com esposas e filhos (23%), são casados (48%), empregados (72%); fazem parte do estrado B (58%); já fizeram algo que se arrependem em suas vidas (57%) e percebem a saúde como boa (57%). Quanto à qualidade de vida, o domínio ambiental obteve o maior escore (65%) e o psicológico o menor (58%). Todos os pacientes tomavam medicamentos e possuíam autoestima e a autoimagem baixas (77% e 96% respectivamente). Observou-se, por meio de regressão logística, a ausência de interferência da qualidade de vida sobre a autoestima e a autoimagem dos dependentes químicos. A qualidade de vida positiva não interferiu para mudanças na baixa autoestima e autoimagem dos dependentes químicos.