Página 1 dos resultados de 498 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Análise estrutural das faixas ectiníticas associadas ao falhamento de Cubatão entre as regiões de Juquiá e Pedro Barros, Estado de São Paulo

Egydio-Silva, Marcos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 20/05/1981 Português
Relevância na Pesquisa
57.813604%
Tendo por objetivo o estudo geométrico das faixas ectiníticas associadas ao Falhamento de Cubatão na região de Pedro Barros e Juquiá, dividiu-se a região de estudo em três compartimentos tectônicos, localmente denominados Bloco Norte, Sul e Central. Quanto ao aspecto litológico, o Bloco Norte é constituído predominantemente por gnaisses e migmatitos com intercalações de corpos graníticos. Por vezes os gnaisses apresentam associações mineralológicas que denotam um fácies metamórfico elevado, por exemplo, cordierita, sillimanita e feldspato potássico, porém predominam o fácies anfibólico. No Bloco Sul a litologia predominante são os ortognaisses, paragnaisses, quartzitos, charnockitos e rochas granulíticas. O Bloco Central apresenta uma litologia completamente distinta dos demais. Predominam os filitos, quartzitos, quartzitos, quatzo-mica-xistos, sericita-quartzo-xistos, grafita-xistos, rochas granitóides de composição granítica e granodiorítica, metabásicas e calco-silicáticas. No Bloco Central parece ter havido dois episódios metamórficos distintos. O primeiro teria atingido o fácies anfibolito, este foi verificado através de estudos feitos por EGYDIO DA SILVA et al. (1979) em grafitas e pelas associações mineralógicas verificada em rochas calco-silicáticas. O segundo seria de grau baixo...

Contribuição à geologia estrutural da unidade porongos na sua localidade tipo: |a Contribuição à geologia estrutural da unidade porongos na sua localidade tipo região de Pinheiro Machado, Rio Grande do Sul; Not available.

Mello, Fernando Machado de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/1993 Português
Relevância na Pesquisa
68.32178%
|a Contribuição à geologia estrutural da unidade porongos na sua localidade tipo |b região de Pinheiro Machado, Rio Grande do Sul; Research was carried out on the rocks affected by the brasiliano episode of deformation, in the Uruguaio-Sulriograndense shield, localized in state of Rio Grande do Sul, BraziI. An area about 500 km², situated in the lithologies defined as the Porongos Series was mapped. The investigation was centered on the deformed granites and their relationship with a meta-sedimentary cover. In the map area there was one main event of thrusting of an crystalline sheet, in this work called the Granito-Gnáissico unit, over a miogeoclinal sequence, thought to be related to the Lavalleja Group, in Uruguai. On the course of the deformation the granite rocks suffered a large process of conminuition and mineral transformations, under a ductile regime, with expressive segregation of silica, sometimes with generation of tens of meters of quartz-mylonites. The study comprises mineralogical and petrographic aspects with particular emphases on microtectonic. In the field work, special-atention was given to define the kinds of foliations and lineations, to charaterize the kinematic pattern in the region. The sucessive deformation was iniciated by a period of compressive tectonics...

Geologia estrutural do embasamento cristalino na região de São Sebastião, SP: evidências de um domínio transpressivo; Not available.

Maffra, Cristina de Queiroz Telles
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/04/2000 Português
Relevância na Pesquisa
58.000244%
O Complexo Costeiro estende-se ao longo da costa sudeste do Brasil e é composto por rochas gnáissico-migmatíticas de idade paleo - neoproterozóica. Faz parte do pelo Cinturão Ribeira, cuja origem pode ser associada ao Ciclo Brasiliano (700-530Ma). Na área de estudo, no município de São Sebastião, litoral norte do Estado de São Paulo, estruturas associadas ao Cinturão Ribeira são expressas pela Zona de Cisalhamento Bairro Alto (ZCBA), Zona de Cisalhamento Camburu (ZCC) e pelo Sistema de Cavalgamento São Sebastião (SCSS). Trabalhos prévios sugerem que estas estruturas formam uma estrutura em flor positiva como resultado do caráter transpressivo do Cinturão Ribeira. O escopo desta tese é estudar a deformação dúctil em São Sebastião a fim de caracterizar as relações geométricas das estruturas principais, discutir os possíveis modelos para o arranjo estrutural e relacionar este arranjo ao contexto regional. Este estudo incluiu cartografia estrutural, descrição de fabric, análise petrográfica, interpretação de imagem de radar, identificação de domínios lito-estruturais e uma modelagem final. Uma imagem de radar ERS-1 foi usada para ajudar na interpretação e caracterização estrutural regional. Inicialmente esta interpretação foi utilizada durante a fase de trabalhos de campo e mais tarde comparada as observações obtidas em campo. Sua interpretação mostrou a relação dos lineamentos principais e as estruturação regional...

Caracterização estrutural e petrológica do magmatismo pré-colisional do Escudo Sul-Rio-Grandense : os ortognaisses do Complexo Metamórfico Várzea do Capivarita

Martil, Mariana Maturano Dias
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
58.00891%
As rochas ortometamórficas registram importantes informações sobre fontes de magmatismo e ambientes tectônicos nos quais foram geradas. O estudo de suas características geoquímicas, aliado ao detalhamento de seus aspectos geológicos, estruturais e petrográficos permite estabelecer a história geológica destas litologias, seu ambiente de formação e a fonte de seus protólitos. Deste modo, a investigação criteriosa de sequências ortometamórficas constitui uma importante ferramenta para a reconstrução da história evolutiva de segmentos crustais proterozóicos e fanerozóicos. Ademais, a estratigrafia tectônica comumente observada em terrenos metamórficos, além de permitir a avaliação dos diferentes eventos relacionados à origem deste tipo de empilhamento, fornece dados significativos sobre os processos pré-tectônicos relacionados à gênese de cada uma das diferentes sequências envolvidas. O Escudo Sulrio- grandense (ESRG) é principalmente composto por granitóides de idade diversa e seus derivados metamórficos, o que torna o estudo detalhado dessas rochas fundamental para o entendimento da evolução crustal da região. O Complexo Metamórfico Várzea do Capivarita (CMVC) ocorre nas proximidades da cidade de Encruzilhada do Sul e congrega sequências ortometamórficas de composição tonalítica e sienítica...

Geologia estrutural e petrologia do granito corre-mar, Região De Balneário Camboriú, SC

Martini, Amós
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
57.813604%
O Granito Corre-Mar (GCM), localizado na região de Balneário Camboriú, SC, foi detalhado do ponto de vista estrutural e petrológico, a fim de esclarecer suas estruturas, suas relações com as rochas encaixantes, e seu posicionamento em relação às zonas de cisalhamento transcorrentes do Cinturão de Cisalhamento Sul-brasileiro (CCSB). Uma zona de cisalhamento de orientação NNE, subvertival, de cinemática transcorrente sinistral com componente trativa controla o posicionamento do GCM e o afeta de modo dúctil, formando uma foliação de cisalhamento (C) penetrativa. Nas rochas encaixantes, a mesma foliação é restrita e gera apenas discretas zonas de deformação rúptil próximo aos contatos com o GCM. A foliação C trunca a foliação magmática (S) do GCM, de direção NE-SW, e forma com ela um par S-C. Microestruturas indicam a deformação progressiva do GCM em temperatura decrescente, evidenciada por estruturas de alta temperatura, como subgrãos em padrão tabuleiro de xadrez no quartzo e grãos de plagioclásio recristalizados por rotação de subgrãos, retrabalhadas por estruturas de mais baixa temperatura, como intensa recristalização do quartzo por RSG e migração de limites de grão, kink-bands em plagioclásio...

Geologia estrutural aplicada às rochas ornamentais na Pedreira Knawa, Cláudio (MG)

Ferreira, Samuel Nunes
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xiii, 136 f. : il., gráfs., tabs. + 1 mapa
Português
Relevância na Pesquisa
58.00891%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; Este trabalho apresenta os resultados de mapeamento geológico-estrutural de detalhe numa área piloto (Pedreira Knawa, Cláudio Estado de Minas Gerais) em escala de 1:200 e dos estudos de reconhecimento geológico em suas áreas adjacentes, e da aplicação do método de GPR na identificação de estruturas geológicas na Pedreira Knawa. Onde seu objetivo principal é proporcionar um direcionamento dos trabalhos geológico-estruturais na pedreira, visando otimizar a extração da rocha. As rochas que compõem esta região abrangem tanto rochas do complexo gnáissico-migmatítico de médio a alto grau denominado de Complexo Campo Belo quanto de suas supracrustais o Supergrupo Rio das Velhas, que encontram-se inseridos dentro do contexto geotectônico do Cráton do São Francisco Meridional. A Pedreira Knawa está localizada nos domínios da zona de cisalhamento Cláudio, e o arcabouço litológico predominante corresponde a um biotita gnaisse bandado fortemente migmatizado e deformado, de coloração cinza claro a cinza esbranquiçado, com pequenas quantidades de mobilizados félsicos de coloração rósea e xenólitos de rochas básica e ultrabásicas. As estruturas exibidas por esta rocha são predominantemente gnássica a migmatítica e revelam em escala de detalhe uma grande heterogeneidade...

Geologia da formação Rio Claro na Folha Rio Claro (SP)

Zaine, José Eduardo
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 90 f. : il., gráfs., mapas, tabs. + 2 mapas
Português
Relevância na Pesquisa
48.120176%
Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; Este trabalho consistiu no estudo e interpretação da Formação Rio Claro em um contexto de evolução morfo-tectônica do Cenozóico paulista. A Formação Rio Claro tem sua seção-tipo no Município de Rio Claro, capeia grandes interflúvios planos 50 a 60 m acima do Rio Corumbataí, entre as cotas de 580 a 670 m. A área de estudo abrangeu a Folha Rio Claro na escala 1: 50.000, onde a unidade ocupa cerca de 25% da folha. O estudo envolveu descrição e levantamento de seções colunares da unidade, definição do padrão estrutural, através do tratamento estatístico de 1.269 dados de lineamentos obtidos em fotografias aéreas, além de medidas de fraturas e falhas, tanto da Formação Rio Claro como da Formação Corumbataí, subjacente. A maior parte do sítio urbano de Rio Claro está assentada sobre a Formação Rio Claro, o que justificou um estudo mais detalhado sobre a unidade. Esta formação apresenta como características marcantes: fraca litificação e profunda alteração pedogenética, espesso solo arenoso e domínio de litotipos arenosos, esbranquiçados, amarelados a avermelhados, variando de areia fina a grossa, com intercalação de camadas de conglomerados e de sedimentos argilosos. A espessura máxima é da ordem de 40 m...

Mapeamento geológico-estrutural e potencialidade econômica dos arredores de Jacutinga - MG

Petolchckny, Alexandre Francisco
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 62 f.
Português
Relevância na Pesquisa
48.21052%
This monograph presents the data of geological mapping, structural and economic research of an area of about 230 km², in the outskirts of Jacutinga / MG, south of Minas Gerais State and adjacent areas of the northeastern state of São Paulo, in compliance with the discipline of Graduation Course of Geology at the Institute of Geosciences and Exact Sciences. It consists of Socorro-Guaxupé Nappe, developed in response to the collision of cratons Parana and Sao Francisco (630 Ma ago), with mass transit to the east, affected by the coexistence of a system pushes later, with convergence to Northwest, giving rise to the intricate area of interference of the two provinces. Locally there metasedimentary rocks of molasse basin of Proterozoic- Phanerozoic transition called Eleutério; Intrusive, equigranular and porphyroid granits, polyphase, and predominantly granodioritic migmatites Anatexia of structures with different neossomas predominantly granodioritic to granitic in Group Amparo, paragneisses arcosianos, greywacke, aluminous , calc-silicate, mica schists and migmatites of the aluminous migmatites and Itapira Anatexia of multi-phase, with neossomas predominantly granodiorite, with intercalations orthogneissic homogeneous granitic to tonalitic porphyroid composition of the Amparo. We tried to draw a geological map...

Contribuição ao estudo da geologia estrutural e da genese do deposito aurifero de Passagem de Mariana-MG

Fernando Roberto de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/03/1998 Português
Relevância na Pesquisa
57.813604%
A mina de ouro de Passagem de Mariana constitui-se em uma das mais antigas minas de ouro do País, já teve grande importância no cenário econômico nacional, tendo produzido até o início dos anos 80 cerca de 60 t de ouro. Neste trabalho foram abordadas questões relativas a estruturação e a gênese da mineralização aurífera, bem como condições metamórficas. O cenário estrutural da mina de Passagem de Mariana foi desenvolvido em dois episódios orogênicos relacionados aos ciclos Transamazônico (2,2-1,8 Ga) e Brasiliano (0,6 - 0,5 Ga). Durante o ciclos Transamazônico foram desenvolvidas estruturas dúcteis e rúpteis em eventos extensionais e compressivo. O evento extensional DI é marcado pelo desenvolvimento de veios de quartzo (V n-l) paralelo à oblíquo a foliação tectônica principal S(I?) sobre condições metamórficas anfibolito baixo. O segundo evento tectônico D2 compreende estruturas compressivas vergentes para NW representadas por falhamento de empurrão de baixo ângulo, dobras F2 apertadas a isoclinal e veios de quartzo desenvolvidos sobre condições metamórficas de fácies xisto verde médio/alto. O último evento Transamazônico a atuar na área compreende estruturas de caráter extensional incluindo tension gashes (Vn+I)...

Caracterização das estruturas geológicas e estimativa da resistência ao cisalhamento das descontinuidades na mineração de cobre de Tintaya, Perú

Neyra, Arturo Fausto Maldonado
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
48.315737%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, 2006.; No sul do Perú, sob o extremo sudoeste da Cordilheira Ocidental Andina, localiza-se o Distrito Mineiro de Tintaya, no qual ocorrem vários depósitos de escarnito de Cobre, sendo um deles o depósito de Tintaya, onde atualmente desenvolve-se a operação mineira e centraliza-se a pesquisa desta dissertação. No Contexto Geológico, tanto na área do Distrito quanto na Mina Tintaya, identificam-se unidades litológicas sedimentarias e ígneas, cujas idades abrangem o período Cretáceo até Quaternário, assim também estruturas geológicas rúpteis e dúcteis com características geométricas e cinemáticas próprias de uma histôria estrutural complexa. Neste cenário geológico definiram-se quatro domínios lito-estructurais maiores, estabelecendo, com base nos lineamentos e no mapeamento estrutural da área do Distrito e redores, que existe repetição dos padrões estruturais de dobras, falhas e juntas, desde uma escala regional do Distrito até uma escala de detalhe na mina, destacando entre eles: os padrões NNW - NW e NS, por serem próprios de dobras e cavalgamentos associados, e os padrões NE e ~EW como próprios de estruturas rúpteis...

Análise estrutural da Província Maroni-Itacaiúnas e da Bacia do Amazonas na região de Altamira (PA)

Perico, Edimar
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
57.813604%
Resumo: A caracterização de estruturas em rochas do embasamento de uma bacia sedimentar apresenta grande interesse para a indústria petrolífera. Estruturas preexistentes podem ter influenciado na evolução das rochas sedimentares e controlado a distribuição de hidrocarbonetos. Este trabalho caracterizou as principais descontinuidades existentes na Província Maroni-Itacaiúnas. A área de estudos está situada no centro-leste do Estado do Pará, no Terreno Bacajá e abrange rochas fanerozóicas da borda sul da Bacia do Amazonas e seu embasamento paleoproterozoico. A análise estrutural multiescala foi baseada em ados da literatura, na análise de imagens SRTM, em dados geológicos de campo, em dados microtectônicos e geocronológicos e na análise de paleotensores. A análise de imagens SRTM mostrou a predominância de feições de direção NW-SE na Bacia do Amazonas e no embasamento. No caso da bacia, a presença dos lineamentos relaciona-se a fraturas, enquanto que no embasamento, podem refletir também acamamentos litológicos, contatos geológicos, formas de plútons e foliações. O embasamento é constituído por rochas metabásicas e granitoides foliados, que afloram sob a forma de corpos alongados na direção N45W. As ochas metabásicas são foliadas em diferentes intensidades...

Análise estrutural do Intervalo Permiano-Jurássico da Bacia do Parnaíba - Região de Araguaína (TO)

Spisila, André Luis
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
58.240366%
Resumo: Este trabalho refere-se à análise estrutural da Bacia do Parnaíba, em sua porção oeste, entre os municípios de Araguaína (TO) e Carolina (MA), em uma área de aproximadamente 10.000 km2. São utilizados dados bibliográficos, interpretações de imagens de sensores remotos e descrição de afloramentos. A Bacia do Parnaíba compreende uma área de 600.000 km2 e sua origem e evolução estão relacionadas à formação da Plataforma Sul-Americana, através de riftes precursores associados ao Lineamento Transbrasiliano. A bacia apresenta cinco sequências deposionais, com a sequência Siluriana representada pelo Grupo Serra Grande que compreende as formações Ipu, Tianguá e Jaicós, a sequência Mesodevoniana- Eocarbonífera, denominada como Grupo Canindé, apresenta as formações Itaim, Pimenteiras, Cabeças, Longá e Poti. O Grupo Balsas contém as formações Piauí, Pedra de Fogo, Motuca e Sambaíba, constituindo a sequência Neocarbonífera-Eotriássica, a sequência jurássica é representada pela Formação Pastos Bons, compreendida entre dois eventos magmáticos, correspondentes as rochas das formações Mosquito e Sardinha, que estão associados à abertura do Atlântico Norte e Sul, respectivamente. A sequência que encerra a deposição da bacia é a Cretácea...

Petrologia e geologia estrutural dos ortognaisses das ilhas de Balneário Barra do Sul e dos granitoides das ilhas de Tamboretes, Litoral Norte do Estado de Santa Catarina

Baldin, Michelangelo Tissi
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 163f. : il. algumas color., mapas., grafs., tabs.; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
58.21052%
Orientador : Prof. Dr. Carlos Eduardo de Mesquita Barros; Co-orientador : Prof. Dr. Leonardo Fadel Cury; Anexo os mapas Geológicos das Ilhas de São Francisco do Sul e das Ilhas de Balneário Barra do Sul; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Programa de Pós-Graduação em Geologia. Defesa: Curitiba, 10/07/2014; Inclui referências; Área de concentração: Geologia exploratória; Resumo: As rochas das ilhas de Balneário Barra do Sul e Tamboretes afloram na porção nordeste do Estado de Santa Catarina e estão distribuídas ao longo de uma faixa alongada segundo a direção geral N15-20E. Compreendem a região norte do Cinturão Dom Feliciano, a leste da Microplaca Luís Alves e são compostas por unidades geológicas pertencentes ao Terreno Paranaguá. Este trabalho tem como objetivos entender a evolução metamórfica da região; discutir os mecanismos de deformação atuantes na área; investigar a petrogênese do protólito e contribuir para o entendimento do arranjo estrutural das rochas de estudo. A investigação foi desenvolvida através de estudos de campo, petrografia, análise estrutural e geoquímica. As ilhas dos Remédios e Feia pertencem ao Complexo São Francisco do Sul e são compostas por granodioritos...

Condicionamento estrutural das zonasa de cisalhamento da região de Forquilha, domínio Ceará Central: uma abordagem integrada de sensoriamento remoto e geologia estrutural

Cunha, Fábio Souza e Silva da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Geodinâmica e Geofísica; Geodinâmica; Geofísica Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Geodinâmica e Geofísica; Geodinâmica; Geofísica
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
57.92487%
The studied region, named Forquilha and localized in northwestern Central Ceará domain (northern portion of Borborema Province), presents a lithostratigraphic framework constituted by paleoproterozoic metaplutonics, metasedimentary sequences and neoproterozoic granitoids. The metasedimentary rocks of Ceará group occupy most part of the area. This group is subdivided in two distinct units: Canindé and Independência. Canindé unit is represented basically by biotite paragneisses and muscovite paragneisses, with minor metabasic rocks (amphibolite lens). Independência sequence is composed by garnetiferous paragneisses, sillimanite-garnet-quartz-muscovite schists and quartz-muscovite schists, pure or muscovite quartzites and rare marbles. At least three ductile deformation events were recognized in both units of Ceará group, named D1, D2 and D3. The former one is interpreted as related to a low angle tangential tectonics which mass transport is southward. D2 event is marked by the development of close/isoclinal folds with a N-S oriented axis. Refolding patterns generated by F1 and F2 superposition are found in several places. The latest event (D3) corresponds to a transcurrent tectonics, which led to development of mega-folds and several shear zones...

Geologia da região do médio Curimatau (PB) e o alojamento do granito de Dona Ines associado a zonas de cisalhamento transcorrentes brasilianas; Not available.

Borges, Sérgio Vieira Freire
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/03/1996 Português
Relevância na Pesquisa
48.19555%
Numa área de aproximadamente 700 km2 no nordeste da Paraíba e tendo como ponto principal o Município de Dona Inês, foi realizado um mapeamento geológico/estrutural, um levantamento gravimétrico e datações radiométricas pelos métodos Rb/Sr em rocha total e idades modelo Sm/Nd, com intuito de estudar e compreender a geologia dessa porção de terreno, o alojamento do granitoide de Dona Inês e sua relação com as encaixantes e a deformação atuantes à época da intrusão. A área estudada foi primeiramente objeto de um mapeamento geológico realizado em 1974 pelo DNPM/CPRM no Projeto Leste da Paraíba e Rio Grande do Norte, na escala de 1:250.000, como também foi tema de uma dissertação de mestrado com ênfase em petrologia e geocronologia, desenvolvida por McMurry (1982). O presente trabalho possui um enfoque estrutural, e procura compreender as relações intrusão/encaixante, assim como o controle da intrusão pelas zonas de cisalhamento existentes, numa tentativa de elaborar um modelo para a ascensão e alojamento do plúton de Dona Inês. As ferramentas utilizadas para a obtenção desse objetivo foram: mapeamento geológico/estrutural na escala de 1:100.000, gravimetria e geocronologia. A área cartografada é compreendida principalmente por rochas pré-cambrianas de idades variadas (paleoproterozóicas e neoproterozóicas) e divididas em três unidades litológicas de acordo com critérios petrográficos e estruturais...

A forma??o salinas da faixa Ara?ua?, MG: acervo estrutural e significado tect?nico.

Santos, Reginato Fernandes dos
Fonte: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto. Publicador: Programa de P?s-Gradua??o em Evolu??o Crustal e Recursos Naturais. Departamento de Geologia. Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto.
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
58.000244%
A Forma??o Salinas, unidade supracrustal mais jovem at? o presente encontrada no Or?geno Ara?ua?, tem como principal ?rea de ocorr?ncia as vizinhan?as da cidade hom?nima no norte de Minas Gerais. Naquela regi?o, est? exposta em uma faixa de orienta??o meridiana e largura m?dia de 25 km, jaz em discord?ncia sobre rochas do Grupo Maca?bas situadas a oeste e ? intrudida por corpos gran?ticos das Su?tes G4 e G5, a leste. Tendo como objetivos a caracteriza??o do acervo estrutural e da hist?ria metam?rfica das rochas Salinas e, em ?ltima inst?ncia, a natureza tect?nica da bacia em que foram acumulados os seus prot?litos, o presente estudo teve como base a cartografia geol?gica e as an?lises petrol?gica e estrutural, levadas a efeito nas proximidades da cidade de Salinas. Nesta regi?o, a Forma??o Salinas engloba um pacote sedimentar onde predominam as intercala??es de (meta) arenitos e (meta) pelitos, com lentes de (meta) conglomerados, contendorica assembl?ia de estruturas sedimentares diagn?sticas de deposi??o por correntes dedensidade em leque submarino. Quatro gera??es de estruturas deformacionais est?o presentes na regi?o investigada e dentre estas, somente tr?s fazem-se presentes nas rochasda Forma??o Salinas. A fase mais antiga...

CARACTERIZAÇÃO ESTRUTURAL E CONSIDERAÇÕES SOBRE A EVOLUÇÃO TECTÔNICA DA FORMAÇÃO SALITRE NA PORÇÃO CENTRAL DA BACIA DE IRECÊ, NORTE DO CRÁTON DO SÃO FRANCISCO (BA)

Kuchenbecker, Matheus; Reis, Humberto Luis Siqueira; Fragoso, Daniel Galvão Carnier
Fonte: Centro de Pesquisa Professor Manoel Teixeira da Costa - IGC - UFMG Publicador: Centro de Pesquisa Professor Manoel Teixeira da Costa - IGC - UFMG
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 08/02/2013 Português
Relevância na Pesquisa
57.92487%
A Bacia de Irecê representa a principal ocorrência de coberturas sedimentares neoproterozóicas na porção norte do Cráton do São Francisco, e apresenta um curioso padrão estrutural relacionado ao Ciclo Brasiliano. Na porção central da bacia, na região dos municípios de Irecê-Lapão, a análise das estruturas presentes nas rochas da Fm. Salitre permite traçar considerações sobre a evolução tectônica da região, contribuindo para o entendimento da bacia como um todo. Foram encontrados dois padrões deformacionais distintos: o padrão dominante é representado por um intenso sistema de dobramentos de eixo aproximadamente E-W, com vergência para sul (D1), que é balizado por zonas de cisalhamento dúctil regionais. Associadas a estas dobras ocorre, entre outras estruturas, uma foliação plano-axial (S1), visível principalmente nos litotipos mais ricos em minerais terrígenos. O segundo padrão observado ocorre como um sistema de dobras menos expressivo (D2), cujos eixos apresentam caimentos altos a moderados para as direções NW a NE. Associada a estas dobras ocorre uma clivagem espaçada, plano axial (S2). A relação temporal entre D1 e D2 é verificável em diversos pontos, onde ocorrem dobras D1 cortadas indistintamente pela clivagem S2. Figuras de interferência entre os dois padrões também ocorrem localmente. A análise das relações estruturais observadas evidencia a ocorrência de duas etapas deformacionais...

Utilização de recursos de ambiente CAD em geologia estrutural

Carneiro, Celso Dal Ré; Carvalho, Ancilla Maria Almeida de
Fonte: Terrae Didatica Publicador: Terrae Didatica
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 26/06/2015 Português
Relevância na Pesquisa
68.425044%
O artigo descreve exemplos e técnicas de uso de recursos em ambiente CAD para ensino-aprendizagem de Geologia Estrutural. Na resolução manual de problemas práticos, as estruturas de corpos rochosos são tratadas como arranjos tridimensionais de figuras geométricas, como planos, linhas e superfícies. As técnicas envolvem geometria descri­tiva, trigonometria e geometria analítica. Baseados em conhecimentos sobre o conjunto de técnicas manuais, os recursos em ambiente CAD auxiliam o ensino-aprendizagem de técnicas de representação em três dimensões. O artigo reune três exemplos típicos, em ambiente CAD, de problemas sobre espessuras de camadas, profundidades, mergulhos aparentes, interseção de planos e determinação da atitude de um plano a partir de três pontos. Os exemplos ajudam a selecionar bons caminhos para resolução de problemas, sob a restrição permanente da aquisição de licenças de softwares comerciais. A experiência estimula a busca de alternativas educacionais para superar resultados, tantas vezes insatisfatórios, do ensino-aprendizagem de Geologia Estrutural.

Geologia estrutural na previsão e contenção de queda de blocos em encostas: aplicação no Granito Santos, SP

Pinotti, Alexandre Mathias; Carneiro, Celso Dal Ré
Fonte: Terrae Didatica Publicador: Terrae Didatica
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 25/06/2015 Português
Relevância na Pesquisa
68.26932%
É bem conhecido que ações antrópicas, como cortes, desmatamentos e adição de cargas podem afetar a estabilidade de encostas. O artigo sintetiza as principais abordagens de Geologia Estrutural para previsão e contenção de queda de blocos em encostas naturais e taludes rochosos. Os métodos de análise de encostas buscam avaliar situações de risco e minimizar riscos, apoiados no conhecimento de propriedades dos maciços, como composição litológica, estruturas e caracteres das descontinuidades, graus de alteração e consistência das rochas. A aplicação prática consistiu na avaliação dos resultados de levantamento executado por meio de rapel em talude na cidade de Santos, SP, por empresa de consultoria. O levantamento identificou os principais sistemas de fraturas e delimitou blocos em situações instáveis para eventual remoção ou estabilização. Este estudo revela a grande importância das juntas de esfoliação, feições que podem promover, graças à progressiva desagregação intempérica, progressivo desplacamento e desprendimento de massas de rocha encosta abaixo.

Geologia Estrutural em ambiente rúptil: fundamentos físicos, mecânica de fraturas e sistemas de falhas naturais

Zerfass, Henrique; Chemale Junior, Farid
Fonte: Terrae Didatica Publicador: Terrae Didatica
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/2015 Português
Relevância na Pesquisa
58.26932%
A geologia estrutural é uma matéria fundamental para o currículo de Geologia, com aplicações nas mais diferentes áreas de atuação do geólogo, tanto em atividades acadêmicas como industriais. Tradicionalmente, a geologia estrutural tem enfoque geométrico-cinemático, em que os esforços sofridos pelas rochas são induzidos a partir da disposição geométrica das estruturas. Como forma de agregar conhecimento da relação-processo-produto, este artigo procura adicionar conceitos de mecânica dos sólidos ao estudo das estruturas rúpteis – fraturas, juntas e falhas. Seguindo-se o raciocínio inverso, discute-se como as estruturas naturais podem ser deduzidas ou previstas a partir dos princípios da mecânica. O ponto de partida são os conceitos de força, tensão e magnitude de deformação. A partir daí, são apresentadas as principais ideias sobre a formação e propagação de fraturas, que foram desenvolvidas através de princípios teóricos (Teoria de Mohr- -Coulomb), bem como pela observação e medição de parâmetros durante ensaios de laboratório. Também será abordado o tema da ligação de fraturas, e o seu papel na formação dos sistemas de juntas e falhas. Os sistemas de falhas naturais em ambiente distensional...