Página 1 dos resultados de 1235 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Girassol Clearfield consorciado com Brachiaria ruziziensis utilizando doses reduzidas de herbicidas inibidores de ACCase.

BRIGHENTI, A. M.; CASTRO, C. de; COSTA, T. R.; DEMARTINI, D.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 26-30. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 26-30. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.39885%
O objetivo desse trabalho foi avaliar a tolerância do girassol (Helianthus annuus) e o estabelecimento do capim-braquiária (Brachiaria ruziziensis) submetidos a doses reduzidas de herbicidas em sistemas de integração lavoura-pecuária. O delineamento experimental foi blocos casualizados, com quatro repetições. Os tratamentos foram i) tepraloxydim 10 g i.a./ha; ii) tepraloxydim 20 g i.a./ha; iii) fluazifop-p-butyl 12,5 g i.a./ha; iv) fluazifop-p-butyl 25,0 g i.a./ha; v) clethodim 12,0 g i.a./ha; vi) clethodim 24,0 g i.a./ha; vii) haloxyfop-methyl 6,0 g i.a./ha; viii) haloxyfop-methyl 12,0 g i.a./ha; ix) testemunha sem capina e x) testemunha capinada. É viável a utilização de doses reduzidas de graminicidas como reguladores de crescimento da B. ruzizizensis, reduzindo sua capacidade competitiva com a cultura do girassol. Todas as doses aplicadas causaram supressão do crescimento da B. ruzizizensis, a exceção da maior dose de clethodim e da maior dose de haloxyfop methyl, havendo morte total das plantas da forrageira. No tratamento onde foi aplicada a dose de 12,5 g i.a./ha de fluazifop-p-butyl houve a maior produtividade de fitomassa da forrageira. Todos os tratamentos herbicidas foram seletivos para a cultura do girassol.; 2009

Comportamento produtivo do girassol na região de Campinas-SP.

RAMOS, N. P.; CARVALHO, C. G. P. de; VIEIRA, H. B.; BATISTA, E. R.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 44-50. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 44-50. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.39885%
O trabalho teve como objetivo avaliar o desempenho produtivo de genótipos comerciais de girassol na região de Campinas-SP. Foram testados quatro cultivares comerciais de girassol (Morgan 734, Agrobel 960, Helio 358 e Embrapa 122) em quatro safras de cultivo (safra 2007/08, safrinha 2008, safra 2008/09 e safrinha 2009), sob delineamento experimental de blocos ao acaso, em esquema fatorial 4 x 4, com quatro repetições. As parcelas experimentais constituíram-se de quatro linhas de 6,0 m, espaçadas 0,8 m entre si e 0,3 m entre plantas, sendo avaliado o rendimento final de aquênios (em kg ha-1) pela análise de variâncias e teste Tukey de comparação de médias. Houve efeito altamente significativo para o rendimento de aquênios, apenas para o efeito isolado de genótipos e safras de cultivo, sem resultados positivos para a interação entre fatores. O rendimento médio foi de 1997 kg ha-1, sendo os maiores valores observados nos híbridos Morgan 734 (2184 kg ha-1) e Agrobel 960 (2125 kg ha-1), que não diferirem entre si e nem da variedade (população de polinização aberta) Embrapa122 (2018 kg ha-1). Os períodos de safra foram os mais produtivos, entretanto, as safrinhas, mesmo que com rendimentos inferiores, ainda foram satisfatórias...

Agrupamento de genótipos de girassol pela reação à mancha de alternaria (Alternaria helianthi) e produtividade.

LEITE, R. M. V. B. de C.; OLIVEIRA, M. C. N. de.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 59-65. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 59-65. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.39885%
O objetivo do trabalho foi agrupar genótipos de girassol em função da reação à mancha de Alternaria, do rendimento e do peso de mil aquênios, pelo método multivariado de Análise de Componentes Principais (ACP). Quarenta e nove genótipos de girassol foram avaliados em condições de campo, em Londrina, PR, nas safras de 2003/2004, 2004/2005, 2005/2006, 2007/2008 e 2008/2009. A severidade da doença, que ocorreu por infecção natural das plantas pelo fungo, foi avaliada na fase de desenvolvimento R3, utilizando uma escala diagramática da doença. Após a colheita, foram avaliados o rendimento (kg ha-1) e o peso de mil aquênios (g). O método de ACP foi útil para agrupar genótipos de girassol em função das variáveis respostas estudadas. Os materiais de girassol com características agronômicas desejáveis (maior produtividade e maior resistência ou tolerância à doença) situam-se no primeiro quadrante e os menos produtivos localizam-se no terceiro quadrante.; 2009

Avaliação de genótipos de girassol para o cerrado de Rondônia: ensaio final 1 - safrinha 2009.

GODINHO, V. de P. C.; UTUMI, M. M.; CARVALHO, C. G. P. de; BROGIN, R. L.; SIMONETTO, R.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 85-91. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 85-91. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.354966%
Dois ensaios de girassol, denominados Final 1, foram conduzidos na safrinha 2009, de fevereiro a junho, com o objetivo de avaliar genótipos quanto à adaptação às condições de cerrado de Rondônia. Os ensaios foram instalados no Campo Experimental de Vilhena, Embrapa Rondônia (12º45? S e 60º08? W, 600m de altitude), em blocos casualizados, com 22 tratamentos e quatro repetições, em duas épocas de semeadura, com intervalo de 19 dias. Foram avaliadas as variáveis produtividade, dias para florescimento, população de plantas, porcentagem de plantas quebradas e acamadas e altura de planta. Diferenças estatísticas significativas foram observadas para as variáveis produtividade, altura de planta e dias para florescimento, nas duas épocas, e para plantas acamadas e quebradas, na 1ª. época. Essas diferenças confirmaram a necessidade e a importância de se avaliar diferentes genótipos de girassol para o cerrado de Rondônia, visando selecionar os mais adequados para cultivo. Os genótipos que mais se destacaram, considerando as duas épocas de semeadura, foram M 734, M 735 e V50070, com produtividades superiores a 1.900 kg.ha-1.; 2009

Avaliação de genótipos de girassol para o cerrado de Rondônia: ensaio final 2 - safrinha 2009.

GODINHO, V.de P. C.; UTUMI, M. M.; CARVALHO, C. G. P. de; BROGIN, R. L.; SIMONETTO, R.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 92-98. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 92-98. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.354966%
Dois ensaios de girassol, denominados Final 2, foram conduzidos na safrinha 2009, de fevereiro a junho, com o objetivo de avaliar genótipos quanto à adaptação às condições de cerrado de Rondônia. Os ensaios foram instalados no Campo Experimental de Vilhena, Embrapa Rondônia (12º45? S e 60º08? W, 600m de altitude), em blocos casualizados, com 18 tratamentos e quatro repetições, em duas épocas de semeadura, com intervalo de 19 dias. Foram avaliadas as variáveis produtividade, dias para florescimento, população de plantas, porcentagem de plantas quebradas e acamadas e altura de planta. Diferenças estatísticas significativas foram observadas para as variáveis produtividade, altura de planta e dias para florescimento, confirmando a necessidade e a importância de se avaliar diferentes genótipos de girassol para o cerrado de Rondônia, visando selecionar os mais adequados para cultivo. Os genótipos que mais se destacaram, considerando as duas épocas de semeadura, foram NEON, M 734, BRS G26 e NTO 3.0, com produtividades acima de 1.800 kg.ha-1.; 2009

Adaptabilidade e estabilidade de cultivares de girassol no nordeste brasileiro.

CARVALHO, H. W. L. de; OLIVEIRA, I. R. de; CARVALHO, C. G. P. de; LIRA, M. A.; FERREIRA, F. M. de B.; TABOSA, J. N.; RANGEL, J. H. de A.; FEITOSA, L. F.; RODRIGUES, C. S.; MENEZES, A. F.; MELO, K. E. de O.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 104-108. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 104-108. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.298896%
O objetivo deste trabalho foi averiguar a adaptabilidade e a estabilidade de cultivares de girassol em diferentes condições ambientais do Nordeste brasileiro, para fins de recomendação. Os ensaios foram instalados em vinte ambientes distribuídos nos estados da Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco, no Nordeste brasileiro, no ano agrícola de 2008. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos com quatro repetições dos treze genótipos. Detectaram-se comportamentos diferenciados dos genótipos avaliados nos ambientes desfavoráveis, sobressaindo, com adaptabilidade ampla, os genótipos BRS Gira 20, MG 2 e BRSH 01, os quais se consubstanciam em excelentes opções de cultivo do girassol no Nordeste brasileiro.; 2009

Comportamento de dezenove genótipos de girassol no nordeste brasiliero na safra 2007.

CARVALHO, H. W. L. de; OLIVEIRA, I. R. de; CARVALHO, C. G. P. de; LIRA, M. A.; FERREIRA, F. M. de B.; RANGEL, J. H. de A.; FEITOSA, L. F.; MELO, K. E. de O.; MENEZES, A. F.; RODRIGUES, C. S.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 114-118. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 114-118. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.298896%
O objetivo deste trabalho foi verificar o comportamento produtivo de dezenove cultivares de girassol, componentes do Ensaio Final de Primeiro Ano, em seis ambientes do Nordeste brasileiro, distribuídos nos estados da Bahia, Sergipe, Alagoas e rio Grande do Norte, na safra 2007. utilizou-se o delineamento experimental em blocos ao acaso, com quatro repetições. Detectaram-se, na análise de variância conjunta, diferenças significativas entre as cultivares e os ambientes e inconsistência no comportamento produtivo das cultivares nas diferentes condições ambientais. As cultivares com rendimentos de grãos acima da média geral mostraram melhor adaptação, merecendo destaque as cultivares M734 e BRS Gira 20, os quais, se constituem em excelentes alternativas para exploração comercial em áreas do agreste do Nordeste brasileiro.; 2009

Desempenho de genótipos de girassol em áreas do agreste do nordeste brasileiro.

OLIVEIRA, I. R. de; CARVALHO, H. W. L. de; CARVALHO, C. G. P. de; FERREIRA, F. M. de B.; LIRA, M. A.; RANGEL, J. H. de A.; FEITOSA, L. F.; MENEZES, A. F.; RODRIGUES, C. S.; MELO, K. E. de O.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 124-129. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 124-129. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.354966%
O objetivo deste trabalho foi averiguar o desempenho de genótipos de girassol em diferentes épocas de plantio no agreste nordestino. Os ensaios foram instalados em duas épocas, no município de Carira, e em três épocas, no município de Frei Paulo. Foram avaliados treze genótipos em blocos ao acaso, com quatro repetições. Ficaram evidenciadas diferenças entre as épocas de plantio e comportamento diferenciado dos genótipos no decorrer dessas épocas de plantio. Os plantios realizados no período compreendido entre a última semana de maio até a primeira de junho foram mais favoráveis ao cultivo do girassol. Os genótipos BRS Gira 20, MG 2, BRHS 01 e MG 52 apresentam os melhores rendimentos de grãos, o que evidencia melhor adaptação às condições edafoclimáticas do Agreste nordestino. Consubstanciam-se, portanto, em excelentes opções de cultivo para a agricultura regional.; 2009

Girassol Clearfield consorciado com Brachiaria ruziziensis utilizando herbicidas inibidores da enzima aceto-lactato sintase (ALS).

BRIGHENTI, A. M.; CASTRO, C. de; COSTA, T. R.; DEMARTINI, D.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 20-25. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 20-25. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.354966%
O objetivo desse experimento foi avaliar a tolerância do girassol (Helianthus annuus) e a supressão do capim-braquiária (Brachiaria ruziziensis) a herbicidas inibidores da enzima aceto-lactato sintase (ALS). O delineamento experimental foi blocos casualizados, com quatro repetições. Os tratamentos foram i) imazethapyr 30 g i.a./ha; ii) imazethapyr 70 g i.a./ha; iii) imazapyr 75 g e.a./ha; iv) imazapyr 125 g e.a./ha; v) chlorimuron-ethyl 7,5 g i.a./ha; vi) chlorimuron-ethyl 12,5 g i.a./ha; vii) nicosulfuron 8 g i.a./ha; viii) nicosulfuron 20 g i.a./ha; ix) testemunha sem capina e x) testemunha capinada. Os tratamentos com imazethapyr (30 e 70 g i.a./ha), imazapyr (75 e 125 g e.a./ha) e nicosulfuron (8 e 20 g i.a./ha) não causaram injúrias às plantas de girassol. O chlorimuron-ethyl nas doses de 7,5 e 12,5 g i.a./ha resultou em alto grau de fitointoxicação às plantas de girassol. O imazethapyr (30 e 70 g i.a./ha) e o nicosulfuron (8 g i.a./ha) causaram supressão do crescimento das plantas de B. ruziziensis. Entretanto, o imazapyr (75 e 125 g e.a./ha) e a maior dose de nicosulfuron (20 g i.a./ha) afetaram drasticamente a produção de fitomassa da forrageira, com morte das plantas.; 2009

Curva de calibração para predição do teor de óleo pela análise do espectrômetro de infravermelho próximo (NIR) em ensaios de competição de cultivares de girassol no Brasil.

GRUNVALD, A. K.; LEITE, R. S.; TERRA, I. M.; CARVALHO, C. G. P. de; MANDARINO, J. M. G.; ANDRADE, C. A. B.; OLIVEIRA, A. C. B. de; RAMOS, N. P.; AMABILE, R. F.; GODINHO, V. de P. C.; CARVALHO, H. W. L. de; OLIVEIRA, I. R. de; AZEVEDO, N. A.; GONCALVES, S.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 51-58. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DO GIRASSOL, 18.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 6., 2009, Pelotas. Anais... Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2009. p. 51-58. Editado por Ana Paula Schneid Afonso Rosa, Márcia Vizzotto, Simone Ery Grosskopf.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.354966%
O objetivo deste trabalho foi estabelecer uma curva de calibração para avaliação do teor de óleo pelo NIR em de ensaios de competição de cultivares de girassol no Brasil. Os dados foram obtidos de genótipos avaliados em ensaios de competição de cultivares, em delineamento de blocos completos ao acaso, conduzidos na safra 2007/2008 e 2008. Para a determinação da curva de calibração foram utilizados 683 valores, estimados pela Ressonância Magnética Nuclear (RMN), a uma faixa de 23,47 a 55,34% de óleo. Os espectros foram coletados de sementes intactas por esfera de integração em um NIR Thermo Scientific modelo Antaris II. Foi utilizado o sinal spectrum sem derivada, sendo que cada espectro foi uma média de 32 scans com resolução 4 cm-1. A região estabelecida para a curva de calibração foi de 7.576 a 5.680 cm-1. Para avaliar a precisão da curva foi calculado o coeficiente de determinação (R2) e o erro padrão de calibração (SEC) entre os dados obtidos pelo RMN e NIR. Para validação da curva foram calculadas correlações de Pearson entre valores estimados no NIR e RMN, obtidos de ensaios conduzidos na safra 2008, utilizando-se cada valor observado, as médias dos genótipos em cada local e a média geral dos genótipos nestes ensaios. Os locais usados para calibração da curva foram diferentes daqueles para sua validação. A curva de calibração apresentou um coeficiente de determinação (R2) de 0...

Tolerância de girassol (Helianthus annuus L.) ao alumínio.

RODAK, B. W.; CASTRO, C. de; MORAES, L. A. C.; OLIVEIRA JUNIOR, A. de; OLIVEIRA, F. A. de
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; p. 71-74.
Português
Relevância na Pesquisa
47.354966%
O girassol é uma planta muito sensível à acidez do solo, não tolerando, de modo geral, saturação por alumínio (Al) trocável superior a 5 %. Nessas condições o desenvolvimento radicular é drasticamente afetado reduzindo a capacidade das plantas de explorar maior volume de solo, consequentemente de água e nutrientes. O objetivo deste trabalho foi avaliar a tolerância de genótipos de girassol a diferentes concentrações de alumínio. O experimento foi conduzido no Laboratório de Sementes da Embrapa Soja. Sementes de dez genótipos (Pioneer 6510, CF 101, Embrapa 122, BRS 323, BRS 322, V 70004, SYN 045, BRS G 32, HLA 211 CL e Catissol) foram embebidas com quatro doses de alumínio (0, 0,4, 0,8 e 1,2 mg dm-3 de Al), em papel de germinação, com três repetições. Foi avaliada a massa seca das raízes aos sete dias após a germinação. A massa seca das raízes dos genótipos de girassol foi afetada significativamente pelos teores de alumínio em solução. O método é capaz de separar os genótipos de girassol em função do desenvolvimento das raízes em diferentes concentrações de alumínio. SUNFLOWER (Helianthus annuus L.) TOLERANCE TO ALUMINUM. Sunflower is a very sensitive to soil acidity and cannot tolerate, in general...

Consórcio de girassol com milho e feijão no agreste Sergipano.

RODRIGUES, C. S.; OLIVEIRA, I. R. de; CARVALHO, H. W. L. de; CARVALHO, L. M. de; CASTRO, C. R.; MENEZES, V. M. M.; CARVALHO, C. G. P.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM; p. 202-205.
Português
Relevância na Pesquisa
47.434126%
Este trabalho teve por objetivo conhecer a adaptabilidade de cultivares de girassol no Agreste de Sergipe, para dotar a agricultura regional de cultivares superiores que sejam indicados ao cultivo consorciado com milho e feijão no Agreste sergipano. Foram utilizadas 20 cultivares de girassol: NTO 2.0, NTO 3.0, AGUARÁ 4, AGUARÁ 6, M 734, BRS 321, BRS 322, BRS 323, BRS G 26, OLISUN, PARAISO 22, PARAISO 33, PARAISO 65, HELIO 251, HELIO 253, HELIO 863, BRS 324, EMBRAPA122, MULTISSOL e CATISSOL cultivadas em monocultivo, consórcio com milho e consórcio com feijão. No consórcio com milho foi utilizado o híbrido 2B587 e no consórcio com feijão foi utilizado a variedade carioca BRS Requinte. Foi avaliado o peso dos aquênios, sendo estabelecido o rendimento de grãos de cada cultivar de girassol em cada um dos sistemas. Foram verificadas diferenças significativas entre as cultivares avaliadas no monocultivo, consórcio com milho e consorcio com feijão. Na média, os rendimentos de grãos foram de 2.209 kg/ha, em monocultivo, 2.379 kg/ha em consórcio com feijão e 1.583 kg/ha, em consórcio com milho. O consórcio com feijão foi mais favorável ao cultivo do girassol tanto em relação ao monocultivo como em relação ao consórcio com milho. Foi observado que as cultivares de girassol apresentaram respostas diferenciadas quando submetidas a sistemas de cultivos distintos. O rendimento médio de grãos de girassol...

Potencial produtivo do girassol consórciado com feijão no semiárido baiano.

CASTRO, C. R.; OLIVEIRA, I. R. de; CARVALHO, H. W. L. de; RODRIGUES, C. S.; MENEZES, V. M. M.; CARVALHO, L. M. de; CARVALHO, C. G. P. de
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; p. 206-208.
Português
Relevância na Pesquisa
47.434126%
O semiárido do nordeste baiano tem condições edafoclimáticas propícias ao desenvolvimento do girassol, à semelhança do que ocorre com o feijão. Assim foi objetivo deste trabalho conhecer o desempenho produtivo de cultivares de girassol nesta região, quando cultivadas em monocultivo e em consórcio com feijão, visando ampliar a área de adoção desta cultura. Os plantios experimentais foram realizados no município de Coronel João Sá, localizado no semiárido da Bahia no ano de 2010. Foram utilizadas os híbridos de girassol NTO 2.0, NTO 3.0, AGUARÁ 4, AGUARÁ 6, M 734, BRS 321, BRS 322, BRS 323, BRS G 26, OLISUN, PARAISO 22, PARAISO 33, PARAISO 65, HELIO 251, HELIO 253, HELIO 863 e as Variedades BRS 324, EMBRAPA122, MULTISSOL e CATISSOL. No consórcio utilizou-se a variedade de feijão carioca BRS Requinte. Foi estabelecido o rendimento de grãos de cada cultivar em cada um dos sistemas, monocultivo e consorciado. Na média, os rendimentos de grãos foram de 1.858 kg/ha, em monocultivo e 2.443 kg/ha, em consórcio com feijão. O sistema de plantio em consórcio com feijão foi mais favorável ao cultivo do girassol. A média geral de rendimento de grãos de girassol, na média dos sistemas de plantio adotados, foi de 2.151 kg/ha. As cultivares AGUARÁ 6...

Consórcio de girassol com mandioca na ecorregião dos Tabuleiros Costeiros.

MENEZES, V. M. M.; OLIVEIRA, I. R. de; CARVALHO, H. W. L. de; RODRIGUES, C. S.; CARVALHO, L. M. de; CASTRO, C. R.; CARVALHO, C. G. P.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM; p. 209-212.
Português
Relevância na Pesquisa
47.463105%
O objetivo deste trabalho foi conhecer a produtividade de cultivares de girassol quando cultivadas em monocultivo e em consórcio com mandioca na ecorregião dos Tabuleiros Costeiros do Nordeste. Foi Instalado um experimento com 20 cultivares de girassol e com a variedade de mandioca BRS Kiriris. Foi avaliado o peso dos aquênios para estabelecer o rendimento de grãos de cada cultivar de girassol nos sistemas de consórcio e monocultivo. Foram verificadas diferenças significativas entre as cultivares avaliadas, evidenciando diferenças genéticas entre elas em ambos os sistemas de plantio. Na média, os rendimentos de grãos de girassol foram de 1.432 kg/ha, em monocultivo e 1.467 kg/ha, em consórcio com mandioca. Algumas cultivares de girassol, como a NTO 2.0, produziram mais em monocultivo (1.869 kg/ha) que no sistema consorciado (1.519 kg/ha). Outras, como a Aguará 6, produziram mais no sistema consorciado (1.816 kg/ha) que em monocultivo (1.504 kg/ha). O sistema de plantio em consórcio do girassol com mandioca BRS Kiriris foi favorável superando ou mantendo próximo à produtividade do sistema de monocultivo. A média geral de rendimento de grãos de girassol, na média dos sistemas de plantio adotados, foi de 1.450 kg/ha...

Rendimento de aquênios de girassol quando em consórcio com feijão no Alto Sertão de Sergipe.

OLIVEIRA, I. R. de; CARVALHO, H. W. L. de; CASTRO, C. R.; RODRIGUES, C. S.; MENEZES, V. M. M.; CARVALHO, L. M. de; CARVALHO, C. G. P.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM; p. 229-232.
Português
Relevância na Pesquisa
47.463105%
O girassol apresenta características desejáveis sob o ponto de vista agronômico, como ciclo curto, elevada qualidade e bom rendimento em óleo. Para a agricultura familiar nordestina a produção de biodiesel ainda é um mercado emergente que gera novas demandas de grãos de girassol e de novas cultivares mais produtivas e adaptadas a cada local, adaptação essa que passa pela adequação do girassol ao sistema de consórcio, principalmente com a cultura do feijão. Este trabalho objetivou validar variedades e híbridos de girassol, utilizando-se sistemas de plantio consorciado ao feijão e monocultivo, na região do Alto Sertão de Sergipe. Foram utilizadas 20 cultivares: NTO 2.0, NTO 3.0, AGUARÁ 4, AGUARÁ 6, M 734, BRS 321, BRS 322, BRS 323, BRS G 26, OLISUN, PARAISO 22, PARAISO 33, PARAISO 65, HELIO 251, HELIO 253, HELIO 863, BRS 324, EMBRAPA122, MULTISSOL e CATISSOL. No consórcio utilizou-se a variedade de feijão carioca BRS Requinte. Foi avaliado o peso dos aquênios, sendo estabelecido o rendimento de grãos de cada cultivar em cada um dos sistemas, monocultivo e consorciado. Verificaram-se diferenças significativas entre as cultivares avaliadas, evidenciando diferenças genéticas entre elas em ambos os sistemas de plantio...

Coeficiente de determinação genótipico e fenotípico entre rendimento de grãos e teor de óleo de genótipos de girassol.

CARVALHO, C. G. P. de; GRUNVALD, A. K.; BASSOLI, P. A. C.; AMABILE, R. F.; CARVALHO, H. W. L. de; OLIVEIRA, I. R. de; GODINHO, V. de P. C.; OLIVEIRA, A. C. B. de; GONCALVES, S. L.; RAMOS, N. P.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; p. 347-350.
Português
Relevância na Pesquisa
47.354966%
Na escolha de cultivares de girassol é necessário verificar não apenas o seu potencial produtivo (kg ha-1), mas também, o teor de óleo em sua semente. A associação entre esses dois caracteres pode ser estimada com base em coeficientes de determinação. Seu valor pode indicar a tendência dos programas de melhoramento genéticos em selecionar cultivares com alto teor de óleo, além do acréscimo em rendimento. O objetivo do presente estudo foi estimar os coeficientes de determinação fenotípicos e genotípicos entre rendimento de grãos e teor de óleo de genótipos de girassol avaliados em ensaios de competição de cultivares conduzidos no Brasil. Os dados analisados foram obtidos da Rede de Ensaios de Avaliação de Genótipos de Girassol, entre 2006 e 2010. Os ensaios foram conduzidos em delineamento de blocos ao acaso, com quatro repetições. As estimativas dos coeficientes de determinação fenotípicos e genotípicos entre os caracteres foram obtidas como descrito por Vencovsky e Barriga (1992). Neste estudo, os coeficientes de determinação genotípicos foram, geralmente, superiores aos fenotípicos e não altos. Isto indica que os genótipos com alto rendimento de grãos avaliados na Rede de Ensaios de Avaliação de Genótipos de Girassol...

Desempenho agronômico de genótipos de girassol em cultivo de safra, no município de Espírito Santo do Pinhal-SP.

SOUZA, D. F. de; SOUZA, B. A. de; FORNI, M. A.; LEOPOLDINO, J. V.; SILVA, M. G. da; AGUIAR, G. A. B. de; MORICONI, W.; VIEIRA, H. B.; RAMOS, N. P.; CARVALHO, C. G. P. de
Fonte: In.: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 20.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 8., 2013, Cuiabá. Anais... Brasília, DF: Embrapa, 2013. Publicador: In.: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 20.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 8., 2013, Cuiabá. Anais... Brasília, DF: Embrapa, 2013.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.354966%
Resumo: O trabalho teve como objetivo avaliar o desempenho agronômico de genótipos de girassol em cultivo de safra, no município de Espírito Santo do Pinhal-SP, microregião de São João da Boa Vista. Foram testados sete cultivares pré-comerciais de girassol (BRS G34, BRS G35, SYN 3840, SYN 4065, Multissol, V90013 e V90631) e três cultivares comerciais como testemunhas (EMBRAPA 122 (T), HELIO 358 (T), M734(T)) na safra 2012/13; sob delineamento experimental de blocos ao acaso, em quatro repetições. Utilizaram-se parcelas de quatro linhas de 6,00 m, espaçadas 0,75 m entre si e 0,3 m entre plantas, avaliando-se apenas 8,1 m de área útil. As variáveis avaliadas foram: a) altura de plantas (cm); b) início do florescimento (dias); c) estande (número de capítulos m 2); d) diâmetro de capítulo (cm) e e) produtividade (kg ha 2), todas submetidas à análise de variâncias e teste Tukey de comparação de médias. Houve diferenças significativas entre os genótipos para as variáveis: altura de plantas, início do florescimento e produtividade. Os genótipos V90631 e V90013 foram os mais altos de todos estudados. As maiores produtividades foram observadas nos genótipos de ciclo médio (BRSG34, V90013, V90631 e M734). Assim...

Efeito dos sistemas de irrigação e do espaçamento no índice de área foliar e na radiação interceptada pelo girassol.

SIMOES, W. L.; MOURA, M. S. B. de; DRUMOND, M. A.; SILVA, J. B. de S.; LIMA, N. R. de; LIMA, J. A.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 7., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 7., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; p. 177-180
Português
Relevância na Pesquisa
47.354966%
Objetivou-se com o presente trabalho, determinar o índice de área foliar (IAF) e a fração da radiação fotossiteticamente (fPAR) ativa interceptada pela parte aérea de duas cultivares de girassol (Helianthus annuus L.), cultivadas sob três diferentes sistemas de irrigação e três espaçamentos entre fileiras de planta, na região do Submédio do São Francisco. O experimento foi realizado em Petrolina ? PE. O delineamento experimental foi com parcelas subdivididas, em blocos casualizados, sendo as parcelas os três sistemas de irrigação (gotejamento, microaspersão e aspersão). Em cada parcela foram plantadas as duas variedades de girassol (Helio 251 e 360) com três espaçamentos entre fileiras de plantas: 0,65; 0,55; e 0,45 m, com três repetições. Avaliando-se o IAF, observou-se média de 3,21 m2m-2 para o gotejamento, 4,98 m2m-2 para a microaspersão e 6,09 m2m-2 para a aspersão. Entre as variedades, observou-se 4,42 m2m-2 para variedade 1 e 5,10 m2m-2 para variedade 2. Avaliando-se a média dos espaçamentos, observou-se os valores de 5,04 e 5,01 m2m-2 para os espaçamentos 1 e 3, respectivamente, que foram superiores ao espaçamento 2 com 4,22 m2m- 2. Comportamento similar entre os tratamentos também foi observado para o fPAR...

Coeficiente de determinação genotípico e fenotípico entre rendimento de grãos e teor de óleo de genótipos de girassol.

CARVALHO, C. G. P.; GRUNVALD, A. K.; BASSOLI, P. A. C.; AMABILE, R. F.; CARVALHO, H. W. L. de; OLIVEIRA, I. R. de; GODINHO, V. de P. C.; OLIVEIRA, A. C. B. de; GONCALVES, S. L.; RAMOS, N. P.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 7., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja; Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011. 1 CD-ROM. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 19.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 7., 2011, Aracaju. Anais... Londrina: Embrapa Soja; Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2011. 1 CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
Português
Relevância na Pesquisa
47.39885%
Resumo: Na escolha de cultivares de girassol é necessário verificar não apenas o seu potencial produtivo (kg ha-1), mas também, o teor de óleo em sua semente. A associação entre esses dois caracteres pode ser estimada com base em coeficientes de determinação. Seu valor pode indicar a tendência dos programas de melhoramento genéticos em selecionar cultivares com alto teor de óleo, além do acréscimo em rendimento. O objetivo do presente estudo foi estimar os coeficientes de determinação fenotípicos e genotípicos entre rendimento de grãos e teor de óleo de genótipos de girassol avaliados em ensaios de competição de cultivares conduzidos no Brasil. Os dados analisados foram obtidos da Rede de Ensaios de Avaliação de Genótipos de Girassol, entre 2006 e 2010. Os ensaios foram conduzidos em delineamento de blocos ao acaso, com quatro repetições. As estimativas dos coeficientes de determinação fenotípicos e genotípicos entre os caracteres foram obtidas como descrito por Vencovsky e Barriga (1992). Neste estudo, os coeficientes de determinação genotípicos foram, geralmente, superiores aos fenotípicos e não altos. Isto indica que os genótipos com alto rendimento de grãos avaliados na Rede de Ensaios de Avaliação de Genótipos de Girassol...

Avaliação do ciclo de vida do sistema de produção soja-girassol no cerrado brasileiro.

MATSUURA, M. I. da S. F.; DIAS, F. R. T.; PICOLI, J. F.; LUCAS, K. R. G.; CASTRO, C. de; HIRAKURI, M. H.
Fonte: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 21.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 9., 2015, Londrina. Anais... Londrina: Embrapa Soja, 2015. 201 p. (Embrapa Soja. Documentos, 363). Editado por Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite. Publicador: In: REUNIÃO NACIONAL DE PESQUISA DE GIRASSOL, 21.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE A CULTURA DO GIRASSOL, 9., 2015, Londrina. Anais... Londrina: Embrapa Soja, 2015. 201 p. (Embrapa Soja. Documentos, 363). Editado por Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: p. 194-197.
Português
Relevância na Pesquisa
47.48733%
O girassol é uma importante cultura na região de Parecis, no Cerrado brasileiro. Em 2014, a egião respondeu pela produção de 232.700 t de grãos, 45% da produção nacional. A produção de girassol provém principalmente de um sistema que tem a soja como cultura principal. A associação entre soja e girassol pode reduzir impactos ambientais devido ao uso compartilhado de recursos. Este estudo desenvolveu uma Avaliação de Ciclo de Vida (ACV) do 'berço ao túmulo' do sistema de produção soja-girassol usado na região de Parecis e comparou seu perfil ambiental ao das monoculturas de soja e girassol. Impactos relacionados ao uso do solo (emissões da mudança de uso da terra e calagem) por cada cultura foram alocados em função do tempo de ocupação do solo. O sistema soja-girassol teve impactos ambientais menores em todas as categorias de impacto quando comparado à monocultura de soja e girassol, com o mesmo rendimento. reduções importantes foram observadas em 'mudança do Clima', ´Acidificação Terrestre´ e ´Formação de material Particulado´.; 2015